"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

quarta-feira, setembro 03, 2014

Universo Verdadeiro vs. Universo Aparente

 Capítulo 01       

UNIVERSO VERDADEIRO versus UNIVERSO APARENTE


Os princípios da cura espiritual, quando corretamente aplicados, nos conduzem a resultados rápidos e duradouros. A cura espiritual, num sentido mais amplo, trata da eliminação do falso conceito de universo que vínhamos retendo, dando-nos uma compreensão correta deste mesmo universo. Daí, poder considerar que um indivíduo se encontra “curado espiritualmente” quando se mostrar consciente de que se encontra, já agora e neste exato instante, num perfeito reino espiritual. 

Neste primeiro capítulo, daremos uma visão global do assunto. Caso alguém julgar confuso ou difícil, isto é natural. Nos capítulos seguintes, cada passo desta parte inicial será analisada detalhadamente, até que a "terapia metafísica" seja plenamente compreendida, assimilada e passível de ser posta em prática.

Relação entre o Universo real e o Universo da aparência 

Existe somente um universo, e este é o espiritual. O universo visível, ou perceptível pela mente humana (universo aparente), é um conceito do universo espiritual, ou seja, é como a mente humana consegue traduzir ou captar este universo espiritual em que estamos. Portanto, não há dois universos, mas apenas um, e, deste universo único, é criado um conceito, baseado em informações limitadas colhidas pela mente humana. A esse “conceito” de universo, damos o nome de “universo aparente”. 

O Universo real possui infinitas dimensões

O conceito de universo, que coletivamente aceitamos, é de natureza muito limitada. Tudo é traduzido nas três dimensões de comprimento, largura e profundidade, e  no fator tempo. São estes  os elementos de que dispomos, humanamente, para compor este conceito. Se partirmos do ponto de vista humano, estaremos irremediavelmente limitados pelos parâmetros de tempo e espaço. Mas, será que realmente estamos sendo limitados pelo universo em que nos encontramos? Ou nos limitamos somente pelo conceito de universo? No primeiro caso, estaríamos limitados pela própria Vontade de Deus. No segundo, nós próprios é que estaríamos traçando nossas limitações. Como saber qual das hipóteses é verdadeira? Certamente, poderíamos lançar mão de inúmeros argumentos, teorias e exemplos. Porém, nestes capítulos sobre a “cura", não pretendemos abordar o assunto intelectualmente. Queremos apresentar uma visão puramente espiritual do universo, que o considere ilimitado e composto de infinitas dimensões; e, a partir disso, visamos à comprovação da veracidade do exposto pelos frutos obtidos graças a esta nova conceituação. Resumindo, assumiremos, "a priori", a hipótese de já estarmos vivendo num UNIVERSO INFINITODIMENSIONAL, ESPIRITUAL E PERFEITO, e iremos observar os resultados que serão obtidos no desdobramento de nosso dia-a-dia.

AXIOMA PRIMEIRO: ESTAMOS NUM UNIVERSO ESPIRITUAL PERFEITO E DE INFINITAS DIMENSÕES

O vocábulo "Unidade" é largamente empregado nos textos metafísicos, por ser de máxima importância. O universo "causa" é uno; assim, o universo "efeito" também deve permanecer em unidade. Sendo una a causa, uno será o efeito, apesar de o "efeito" se manifestar como infinitas formas. Em outras palavras, o Todo-Infinito-Causa aparece como o Todo-Infinito-Efeito, e a totalidade do "Agente-Causa" permanece no "Efeito" também integralmente. O Princípio da Unidade estabelece que a Causa-Una permanece como Efeito-uno, apesar de discernido como se existissem infinitas manifestações isoladas, independentes ou autônomas entre si.

AXIOMA SEGUNDO: A TOTALIDADE DO UNO SE FAZ PRESENTE COMO CADA UM DE NÓS E COMO CADA SITUAÇÃO OU CIRCUNSTÂNCIA POR NÓS DISCERNIDA

Relação entre o Universo uno e o Universo aparente

Como vimos, o universo real, uno, é traduzido pela mente humana como  mundo de três dimensões. Mas, sendo uno o universo real, una também deverá ser a imagem dele criada pela mente humana na forma de conceito ou "tradução finita". Isto significa que o mundo captado pela mente humana é uma cópia finita do mundo real; e, sendo "cópia", também deverá ser encarado como uno.

AXIOMA TERCEIRO: O UNIVERSO APARENTE É "REFLEXO" UNO: UM QUADRO MENTAL IMPESSOAL E ISENTO DE SUBSTÂNCIA, REALIDADE  E PODER.

Apesar de termos dito que o "universo aparente" é uno, é  bom esclarecermos que este linguajar é utilizado meramente para fins didáticos. Estas considerações, que à primeira vista podem parecer complicadas, serão depois bem compreendidas, tornando-se o alicerce para a "edificação" da mente transparente ou receptiva ao discernimento das "coisas espirituais". Se este universo visível, tal como aparenta ser, é mero conceito feito pela mente carnal coletiva, podemos concluir que todo ele é uma "ilusão", pois não se fundamenta em realidade alguma! Somente o universo espiritual é real. Quando as vibrações infinitas são captadas pela mente humana limitada às três dimensões, elas são de certo modo "filtradas", e mostradas de maneira distorcida ou incompleta sob o aspecto deste suposto "mundo visível". É por este motivo que o chamamos de ILUSÓRIO! Não passa de uma imagem mental (reflexo) do universo espiritual, ou seja, de simples "aparência". É preciso que saibamos que no âmago deste universo aparente, exatamente agora, existe o universo real e perfeito, o chamado "Reino de Deus". Nosso Axioma 1, já citado, é o RECONHECIMENTO desta Verdade.

Mas, sendo ilusório este mundo visível, por que chegamos a comentar que ele é "uno"? Por nos facilitar na aplicação do "Princípio de impersonalização da ilusão" (a ser discutido). Se o que vemos é um "quadro mental uno", cópia imperfeita do verdadeiro universo-causa, poderemos contemplá-lo como um "cenário ilusório global". Passaremos a abandonar a falsa idéia de que o mal está localizado em determinada pessoa ou condição isolada: antes, tomaremos consciência de que o chamado "mal", além de ser ilusão, é ilusão impessoal. Nossa permanência nesse "reconhecimento" constitui a aplicação deste "Princípio de impersonalização da ilusão".

O cenário visível não possui poder algum

Após a aplicação do "princípio de impersonalização", daremos o passo seguinte: o "reconhecimento" de que o universo visível, este "cenário-uno" captado pela mente humana, não tem realidade nem poder, justamente por não passar de simples "quadro na mente humana", uma "aparência". Poderemos contemplá-lo sem a ânsia de querer "melhorá-lo", por termos já reconhecido que nele não reside poder algum. Esta contemplação descontraída do "universo aparente" -- com ou sem problemas --, feita com o reconhecimento de que ele não passa de uma espécie de miragem, um cenário ilusório -- puro NADA --, constitui o "Princípio de nadificação da ilusão", que completa a ação humana de preparação para a cura espiritual.

Receptividade ao discernimento espiritual

Com a mente ocupada no RECONHECIMENTO DA PRESENÇA DO UNIVERSO INFINITO PERFEITO E AUSÊNCIA DA "APARÊNCIA VISÍVEL IMPERFEITA", tornamo-nos receptivos à livre manifestação da Mente divina em nós, à livre manifestação de nossa verdadeira identidade, que é espiritual. Este "livre fluir" da Realidade é a ação verdadeira que, a partir de então, passa a surgir visivelmente para a mente humana como  "terapia de cura divina".

Uma análise cuidadosa de tudo que aqui foi dito, trará uma nítida visão dos profundos ensinamentos espirituais que nos foram revelados. A chamada "cura" é, portanto, uma conseqüência natural da prática convicta destes princípios.  

 CONCLUSÃO FUNDAMENTAL: 
(a base de todo o trabalho metafísico)

TODO O UNIVERSO JÁ É INFINITAMENTE PERFEITO AGORA. TODOS OS SERES JÁ SÃO INFINITAMENTE PERFEITOS AGORA. TODOS OS ACONTECIMENTOS ESTÃO SE MANIFESTANDO EM HARMONIA PERFEITA AGORA. SÓ EXISTE O UNIVERSO ESPIRITUAL PERFEITO; SÓ EXISTE O AGORA. NADA HÁ PARA SER CORRIGIDO OU MELHORADO.

Cont...

[caminhoinfinito.jpg]

2 comentários:

Matheus disse...

Ansioso para os próximos capítulos :)

Gugu disse...

Que bom que está animado, Matheus. A vontade potencializa a absorção/compreensão das verdades espirituais.

O capítulos são publicados a cada 2ou 3 dias. O normal é que fiquem no ar 2 dias, mas caso o capítulo seja um pouco extenso ou aborde um conteúdo mais profundo, pode ficar no ar por 3 dias. Dessa forma, podemos ler (ou reler) e ponderar com calma o conteúdo das mensagens. Isso também proporciona tempo para praticar os princípios apresentados. Leituras espirituais (como as deste livro) não são para serem lidas rapidamente da forma como fazemos quando lemos, por exemplo, uma notícia ou outra informação qualquer. É importante meditar nas mensagens espirituais.

Acompanhe dessa forma as mensagens e, quando chegar ao final do livro, perceberá o impacto que essas verdades terão causado em seu ser. Grato pelo comentário!

Grande Abraço!
Namastê!