"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

sexta-feira, setembro 05, 2014

O que acelera a percepção da Verdade

 Capítulo 02       

O QUE ACELERA A PERCEPÇÃO DA VERDADE

Todo o universo é infinitamente perfeito agora. Todos os seres já são infinitamente perfeitos agora. Todos os acontecimentos estão se manifestando em harmonia perfeita agora. Só existe o universo espiritual perfeito. Só existe o agora. Nada há para ser corrigido ou melhorado.


Há pessoas que dizem sentir enorme dificuldade para "conscientizar a Verdade", apesar de já terem conhecido intelectualmente os princípios fundamentais da Metafísica. Nesta parte, procuraremos abordar alguns pontos que poderão ajudá-las a praticar os princípios, acelerando, desse modo, a própria conscientização dos mesmos.

1. Não devemos julgar que o estudo ou as meditações nos tornam mais iluminados, enquanto o grosso da humanidade permanece na ilusão. "Tornamo-nos" iluminados à medida que reconhecermos que "a humanidade toda já é iluminada". Se, pelo contrário, fôssemos acreditar na existência de seres em ilusão, nós é que a estaríamos endossando, movidos pela crença de que existem seres apartados de Deus.

Assim, devemos estar alerta para o fato de ser a Verdade algo de natureza universal: A VERDADE É, AQUI E AGORA, PARA TODOS OS SERES.

Este item, de certa forma, nos amplia a visão da "Conclusão Fundamental" com que encerramos o capítulo anterior, e que iremos, agora, repetir devido à sua importância:TODO O UNIVERSO JÁ É INFINITAMENTE PERFEITO AGORA. TODOS OS SERES JÁ SÃO INFINITAMENTE PERFEITOS AGORA. TODOS OS ACONTECIMENTOS ESTÃO SE MANIFESTANDO EM HARMONIA PERFEITA AGORA. SÓ EXISTE O UNIVERSO ESPIRITUAL PERFEITO; SÓ EXISTE O AGORA. NADA HÁ PARA SER CORRIGIDO OU MELHORADO.

2. Quando se diz "conscientizar a Verdade", isto não implica nenhum esforço mental. Conscientizar a Verdade significa RECONHECER a Verdade, sem a necessidade de qualquer esforço. Sim, a Verdade É! Não iremos alterá-La sob nenhum aspecto. Cabe a cada um de nós um sereno reconhecimento interno de cada um de seus princípios. A cada Verdade que formos reconhecendo, iremos testemunhando visivelmente a livre manifestação "DAQUILO QUE ERA DESDE O PRINCÍPIO", através da mente humana.

3. Há estudantes da Verdade que se afastam do mundo e das pessoas para unicamente "ficarem conscientizando a Verdade", isoladamente. Permanecem meses e meses presos a citações bíblicas, etc., e se esquecem de que exatamente "o mundo e as pessoas" são os objetos principais, reais e ideais para nosso "treino de percepção". Em outras palavras, se aproveitarmos todos os nossos contatos "humanos" para nos conscientizarmos de que "estamos num universo espiritual, em que TODOS os habitantes já são o Cristo", rapidamente adquiriremos o hábito de "não julgar segundo as aparências".

Não será "fugindo das aparências" que iremos conscientizar a Verdade; exatamente no meio delas é que iremos, internamente, reconhecer a Onipresença Divina.

Uma emissora de TV emite sinais invisíveis à mente humana, e que se tornam visíveis na forma de imagens ao serem sintonizadas por um aparelho de televisão. Se o aparelho usado for do tipo preto-e-branco, os sinais invisíveis serão "vistos" em preto e branco; se ele for a cores, os sinais invisíveis serão observados como imagem colorida. Porém, nos dois casos, as imagens não passam de "aparências" das ondas invisíveis. De modo análogo, a ONIPRESENÇA DIVINA INVISÍVEL pode Se tornar "visível" em conformidade com os recursos de captação da mente humana.

Para não "julgarmos segundo as aparências", devemos procurar viver o nosso cotidiano em estado de "julgamento justo", ou seja, viver conscientes de que as imagens do mundo visível são meramente imagens-reflexo das Ondas Divinas. Quando pudermos olhar as imagens "deste mundo" da mesma forma com que olhamos as imagens em preto e branco da televisão, cientes de que "não são existência real", mas representações visíveis das ondas invisíveis emitidas, então poderemos dizer que estamos CONSCIENTES da Verdade. Não precisaremos "fugir" das imagens em preto-e-branco para fazermos o reconhecimento de que elas são mero "conceito eletrônico" e não uma existência real. Na mesma hora, já saberemos internamente, sem esforço algum, que a tela de TV nos mostra uma imagem aparente. Este reconhecimento será feito automaticamente. É este o estado de consciência em que deveremos viver. Iremos olhar o mundo e as pessoas de forma que, automaticamente, de imediato nos chegue à lembrança o "julgamento justo": estamos num mundo invisível, habitado por seres invisíveis, na perfeição eterna absoluta, na ONIPRESENÇA DIVINA, e, o mundo visível é mera "imagem finita", captada pela "televisão" da mente carnal.

4. Não devemos cair na armadilha de acreditar que existam muitos males e problemas no mundo, DOS QUAIS poderemos nos livrar através da Verdade. Não existem "males", no plural, mas UMA ILUSÃO, no singular. Se Deus é ONIPRESENÇA, a imagem ilusória não pode estar existindo realmente. Assim, não devemos nos preocupar em resolver vários problemas de saúde, de finanças e outros, que pareçam estar existindo ao mesmo tempo. O "problema" é sempre UM SÓ: a crença de que somos seres apartados de Deus. Lembremo-nos de nossa verdadeira identidade: "Aquieta-te e sabe, EU SOU DEUS".

5. Há pessoas que costumam argumentar da seguinte maneira: "Não dei a menor  importância às queixas de doença de um conhecido meu, mas mesmo assim esse meu 'tratamento' não o curou." Há enorme diferença entre conscientizarmos internamente que a ilusão é NADA e, simplesmente, ficarmos numa atitude de "indiferença" diante dos quadros ilusórios. A indiferença não constitui "tratamento espiritual", pois nela não se inclui o reconhecimento interno e consciente da ONIPRESENÇA DIVINA. Esta conscientização é o "julgamento justo", recomendado por Jesus. Não devemos "julgar segundo as aparências", mas precisamos "julgar consoante julgamento justo".

6. Outro aspecto a ser considerado é o seguinte: a conscientização da Verdade não elimina os "males" do conceito material de mundo, isto é, não corrige este mundo retratado pela mente humana. A conscientização da Verdade elimina o próprio conceito material de mundo, capacitando-nos a discernir o universo espiritual verdadeiro, único  realmente  existente. Portanto, não devemos buscar resultados no "mundo visível", mas sentir (perceber) a Atividade do Cristo em nossa consciência. Os resultados visíveis serão "os bens vindos de acréscimo", quando não os  buscarmos diretamente, mas sim, em primeiro lugar, buscarmos dentro de nós "o reino de Deus e a Sua justiça".

7. Quando nos sentamos para meditar, normalmente ficamos com os "olhos carnais" cerrados, aguardando uma "abertura dos olhos espirituais". Se procurarmos viver o nosso dia-a-dia dedicando-nos à conscientização da Verdade em nosso meio ambiente, estaremos realmente vivendo os princípios espirituais na prática. Este modo de viver é o do "orai, e vigiai sem cessar", segundo o qual  nos mantemos permanentemente conscientes daquilo que é REALIDADE e daquilo que é ILUSÃO. Este modo de viver é também aquele em que "vivemos no mundo sem pertencer-lhe". Não seria preciso cerrar os olhos físicos. Mesmo com eles abertos, estaríamos meditando, pois abertos estariam os nossos sentidos internos. Chegaremos, então, à compreensão de que somente existe o sentido espiritual interno, divino, a Mente do Cristo em nós, que discerne as coisas espiritualmente.

"Conclusão Fundamental", citada anteriormente, deve ser cuidadosamente analisada e posta em prática COM DECISÃO. Se nos decidirmos por colocá-la realmente em prática, em breve constataremos os frutos da Verdade aparecendo em nossas vidas.

O conhecimento intelectual da Verdade e a meditação isolada têm papéis importantes em nosso estudo; porém, é na vida prática que podemos vir a comprovar realmente o nosso grau de conscientização. A VERDADE É! Assim nos ensinam os princípios metafísicos. A VERDADE É! Assim devemos comprová-los na PRÁTICA.

Cont...

[caminhoinfinito.jpg]

4 comentários:

SERgio disse...

Olá,Amigo Gustavo...

Este livro é realmente fantástico!

Já o havia lido em 2009, quando do seu lançamento pelo Dárcio ,e agora estou relendo-o, no ritmo em que você posta
capítulo por capítulo.

É livro para "ser meditado", indo além da compreensão intelectual.
É para intuído pela própria Consciência.

Mereceria até, ser publicado por uma grande editora.

Mas você aqui, já contribui para um maior alcance dele.

Sou grato a você mais uma vez!

Gugu disse...

Você disse tudo, SERgio!!

Este livro é fantástico, espetacular.
As explicações dele são tais que ele é a chance que as pessoas têm para entender o Absoluto a partir do plano relativo. Concordo que mereceria ser publicado por uma grande editora. Ele foi escolhido a dedo para ser publicado aqui no site! rsss

Muito boas as suas obervações!
Grato, mais uma vez!!

Grande Abraço! _/\_

Jaime Pires disse...

Grato, grato, grato!

Namastê!

Gugu disse...

Da mesma forma, Jaime, fico muito grato pela presença/companhamento de cada um de vocês aqui! Desejo uma semana iluminada a todos.

Grande Abraço,
Namastê! _/\_