"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

quinta-feira, setembro 11, 2014

A Prática da Cura Espiritual

 Capítulo 05 

A PRÁTICA DA CURA ESPIRITUAL

Todo o universo é infinitamente perfeito agora. Todos os seres já são infinitamente perfeitos agora. Todos os acontecimentos estão se manifestando em harmonia perfeita agora. Só existe o universo espiritual perfeito. Só existe o agora. Nada há para ser corrigido ou melhorado.


Neste capítulo, abordaremos objetivamente a aplicação prática dos princípios espirituais comentados anteriormente, e que se encontram resumidamente na frase acima.

O procedimento para curarmos espiritualmente é um "Autotratamento", ou seja, um trabalho interno de consciência, que jamais visa a alterar alguma condição imperfeita referente a alguma pessoa ou circunstância que vínhamos percebendo através da mente humana. A totalidade do que é discernido pela mente humana é NADA. Todos os problemas relacionados com pessoas e circunstâncias ao nosso redor são como "bolhas de sabão já estouradas" –– puro NADA. Nesse caso, quem são realmente as pessoas com quem estamos convivendo? "Eis que EU estou convosco desde o princípio". Esta é a resposta! Todos vivemos com a Vida que é Deus! Para percebermos isto, fazemos o Autotratamento.

 1. DEUS É. DEUS É A ÚNICA PESSOA QUE EXISTE. CADA PESSOA JÁ É O FILHO DE DEUS, O CRISTO, O PRÓPRIO DEUS MANIFESTO COMO SER INDIVIDUAL.

Devemos nos interiorizar e nos compenetrar do sentido destas palavras. Sem nenhum esforço mental. Apenas nos colocaremos em atitude receptiva, que nos conduzirá naturalmente ao discernimento claro desta realidade. JAMAIS LEVAMOS À NOSSA MENTE ALGUMA "PESSOA HUMANA" OU "PROBLEMA". JAMAIS! Pelo contrário, desconsideraremos radicalmente todas as impressões colhidas pela mente humana. Nossa mente se ocupará exclusivamente com a Verdade de que DEUS É TUDO! Se soltarmos da mente aquilo que já é NADA, a Verdade será percebida como já ocupante do espaço todo (Onipresença), enquanto o que é NADA será por nós conscientizado como inexistente –– ILUSÃO.

2. NÃO PRETENDEREMOS AJUDAR OU CURAR OUTRAS "PESSOAS", MUITO MENOS A NÓS MESMOS. COMO IRÍAMOS "CURAR ILUSÃO"? NÃO! O AUTO-TRATAMENTO CONSISTE NUMA COMPREENSÃO INTERIOR DA IDENTIDADE ESPIRITUAL DE CADA SER. A CHAMADA "CURA" SERÁ UMA CONSEQÜÊNCIA DIRETA DESTA COMPREENSÃO INTERNA DA NATUREZA DIVINA DE CADA PESSOA.

Para nos desvencilharmos rapidamente das alegações errôneas sugeridas pela mente carnal, poderemos utilizar, no autotratamento, meditações contemplativas como as do seguinte tipo:

"Acabei de receber informação sobre alguém com um problema. Porém, isto não se refere a alguma pessoa. Tampouco é algo relacionado com a pessoa. Todo ser que existe, é DEUS INDIVIDUALIZADO. Assim , a informação que me veio não passa de uma sugestão. Uma "tentação" no sentido de que eu venha a acreditar na existência de "alguém" separado de Deus. Não me deixarei enganar! Somente considerarei a verdadeira existência de Deus, aparecendo COMO ser individual."

Desse modo, pelo reconhecimento interno de que apenas nos defrontávamos com uma "imagem hipnótica", sem realidade, sem substância, puro NADA, contemplaremos intuitivamente, com os "olhos espirituais", a Identidade Divina da pessoa em questão. Não iremos resolver problema algum de saúde, financeiro, moral, etc. Reconheceremos que DEUS É ONIPRESENÇA E INFINITUDE! Não há, no universo inteiro, "espaço para ser ocupado por imperfeição", já que Deus é onipresente e infinito. Ponderaremos a esse respeito durante o autotratamento.

3. CADA PROBLEMA QUE PARECE ENVOLVER ALGUMA PESSOA OU CONDIÇÃO SERÁ RESOLVIDO "DENTRO DE NÓS".

O chamado "problema" nunca será solucionado pela "mudança da outra pessoa". Iremos resolvê-lo DENTRO DE NÓS. Eis por que damos ao "tratamento" o nome de AUTOTRATAMENTO. Jamais deveremos dizer que "a pessoa está hipnotizada pela crença coletiva", ou que "ela está na ilusão". Se assim dissermos, estaremos endossando a ilusão. Deveremos, imediatamente, dar o "autotratamento", isolando mentalmente a pessoa por completo do problema, conforme dissemos anteriormente. No ensinamento de O Caminho Infinito, isto recebe o nome de "impersonalização da ilusão".

4MANTENDO A MENTE TOTALMENTE OCUPADA COM A VERDADE DO SER, FICAREMOS DIANTE DO QUADRO MENTAL (MUNDO VISÍVEL) COMPLETAMENTE DESCONTRAÍDOS, SEM TEMÊ-LO E SEM ODIÁ-LO. NESTE PONTO, SABEREMOS QUE O CENÁRIO VISÍVEL É "MIRAGEM", PURO "NADA".

Quando estivermos conscientes de que o "quadro" a nós trazido pela mente carnal é "miragem", sem qualquer poder sobre nós, sua nulidade será constatada. O Caminho Infinito dá a este princípio o nome de "nadificação da ilusão". Trata-se de uma postura neutra diante do quadro visível apresentado, em que nos colocamos convictamente apoiados na Verdade: Deus constitui o Ser individual. Deus constitui o nosso Ser individual. Deus constitui o Ser individual de todas as pessoas. 

"Isto não é o que aparenta ser: isto é Deus que Se manifesta como...". Firmes nesta conscientização, veremos a manifestação espontânea da Verdade dentro de nós.

5. O AUTOTRATAMENTO NÃO TERMINA COM A MUDANÇA OCORRIDA NA "OUTRA" PESSOA, MAS QUANDO SENTIMOS A “SOLTURA” DA CRENÇA FALSA DENTRO DE NÓS.

Não deveremos ficar voltados a verificar se houve alterações nos demais, o que seria simplesmente voltar a buscar impressões baseadas na mente carnal. O praticista da cura espiritual busca somente uma "impressão interna", um sinal revelado de que "a obra está feita". SOMENTE DEUS EXISTE! 

Este discernimento se traduz como a "cura espiritual".

Cont...

[caminhoinfinito.jpg]

Um comentário:

Gugu disse...

Acerca do conteúdo deste capítulo, Goldsmith diz:

Quando alguém nos solicita ajuda, não devemos reter a noção de um paciente ou de um praticista contatando Deus. Há somente Deus, e a cura decorre desta realização. Não há paciente e não há praticista: há apenas Deus; há o único “Eu”, uma Consciência, uma Alma, um Espírito.

Nossos problemas surgem quando declaramos a Verdade e tentamos, de alguma forma, interferir. E é quando perdemos a demonstração, pois aquilo não pode ser feito. O que é mortal constitui a “ilusão”, constitui aquilo que não tem existência. Como seria possível vincular uma Verdade espiritual com algo que não existe? Isto é impossível! Não tente fazê-lo! Como um ser humano, você não pode realizar uma cura espiritual. A substância do trabalho de cura é a realização de que não há existência humana, mas que há apenas Deus, o único ser infinito.

Se, após termos conhecido esta Verdade, imaginarmos: “Bem, por que o paciente não está reagindo?" - saiba que “nós não temos um paciente!” Se estivermos com o pensamento de que temos um paciente, não temos nem o direito de ser praticistas, pois não estaremos munidos da compreensão de que existe um único “Eu”.


Namastê!