"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

sexta-feira, agosto 29, 2008

A Maldição



"Se de repente as coisas começarem a fazer sentido,
as coisas não coisas
e as coisas coisas...
não um sentido explicável,
não um sentido demonstrável,
mas um sentido inevitável...

Se de repente as coisas começarem a fazer sentido
como se sempre fizessem,
como se o sentido estivesse sempre presente,
feito o presente,

que, por mais que esteja presente,
nunca está,
porque nunca estamos...

Se de repente o presente aparecer do nada,
onde sempre está,
se sussurrar sentido,
se assoprar sentido,
se beijar sentido,
será que você suportaria a maldição
de saber o sentido das coisas,
sem saber o sentido de saber?"


(Marcelo Ferrari)


Comentários:

O poema está falando sobre a percepção iluminada. A percepção de um homem ou mulher espiritualmente iluminados não provém do mesmo lugar do qual emana a percepção do homem que ainda não despertou. É imensamente essencial sabermos diferenciar o que é percepção espiritual e o que é a percepção mental, porque tudo o que é percebido pela percepção espiritual não faz nenhum sentido para a percepção mental da realidade.

É disto que o poema está falando: "Se de repente as coisas começarem a fazer sentido e, ainda assim permanecerem inexplicáveis..." A pessoa que atinge a iluminação espiritual, começa a perceber a vida com outros olhos, e muitas coisas começam a fazer sentido para ela. Os sentidos espirituais são acordados e passam a perceber a realidade de uma maneira totalmente nova. As coisas - não só as velhas coisas, como também coisas nunca vistas antes - começarão a fazer sentido (para a percepção espiritual) e mesmo assim parecerão inexplicáveis (para a mente). Esse novo sentido é espiritual, ele não pode ser explicado pela mente humana, ele não pode sequer ser tocado por ela de modo algum; se a mente pudesse perceber o espírito, então a substância espiritual não seria espírito, seria mente. Estes são dois níveis distintos, são substâncias distintas: espírito e mente.

O que para o sentido espiritual é simples, lógico, ordinário e comum é totalmente complexo, ilógico, extraordinário e incomum para a mente humana. A mente humana não vê o menor sentido e é incapaz de compreender a percepção iluminada. Por isso, "se de repente as coisas começarem a fazer sentido inexplicável e inevitável..." será inevitável porque trata-se de seu próprio ser. Você não sabe como você faz para "ser", você apenas é - contemple isto. Você não pode evitar ser aquilo que já é; a compreensão espiritual não lhe traz nenhuma nova revelação, ela apenas o lembra aquilo de que você já sabe. É algo que você sempre soube.

"Se de repente as coisas começarem a fazer sentido como se sempre fizessem..." O que faz sentido para percepção espiritual, sempre fez. Uma vez que você acorde, você dirá "mas disso eu sempre soube, eu sempre fui quem eu sou". Este é o problema: as pessoas que buscam iluminação espiritual procuram por algo que julgam ainda não conhecer, quando na verdade deveriam voltar sua atenção para aquilo que já sabem. E essa sabedoria ocorre da forma mais natural possível, se houver esforço de sua parte, você estará afastando-se (melhor seria dizer "fechando os teus olhos", pois o teu ser é algo do qual você nunca se afasta) do teu ser. Mais uma vez, contemple: "o que você faz para 'ser'?". Você não faz nada... essa é a sua natureza, sua sabedoria. Você poderia até mesmo responder "não sei". Mas como você SABE que você 'não sabe'? Você apenas sabe. O seu ser é essa sabedoria; você é aquele que simplesmente sabe. Para sua mente humana isso parece não fazer o menor sentido. Mas, para você, sempre fez.

"Como se o sentido estivesse sempre presente..." Toda a verdade trata-se do Ser. O seu ser está sempre presente. Ele não poderia estar em algum outro lugar que não aqui. Se o seu ser estivesse em outro lugar, seja lá qual for, você não estaria aqui. Você estaria em qualquer outro lugar, mas não aqui - mesmo assim aquele outro lugar seria "aqui" para você, é impossível você escapar do seu momento AQUI e AGORA. Mesmo que o seu ser deixasse de existir neste tempo, em 29 de agosto de 2008, e passasse a existir no futuro, no ano de 2050, esse futuro seria para você o seu momento presente. Portanto, essa é a lógica: o Ser é Presença. Mas a mente humana não é capaz de viver no momento presente - apenas o seu ser vive o momento presente. Através de pensamentos, a mente desvia sua atenção do momento presente para o futuro ou para o passado. Isso é o que coloca o homem em seu estado de sono: enquanto seu ser está AQUI no momento presente, sua atenção está passeando em lembranças passadas ou imaginando coisas futuras. Raramente sua atenção está aqui e agora. Por isso, "por mais que o presente esteja presente, ele nunca está... porque nunca estamos" Nosso ser é um fluxo de energia, essa energia é chamada "atenção". O nosso ser é um fluxo de atenção; e quando cedemos nossa atenção aos pensamentos da mente, que lhe atiram ou para o passado ou para o futuro (no momento presente não há pensamentos, só há o ser), ficamos com o nosso ser dividido. Quando a mente rouba nossa atenção, parte de nossa energia fica aqui e outra parte desloca-se para um mundo inexistente, e assim não estamos inteiramente presentes aqui e agora. Contemple o teu ser, não busque nada fora do ser que você já é... todo o segredo está nele.

"Se de repente o presente aparecer do nada" Acordar é isto, iluminar-se nada mais é do que lembrar-se de quem você já é. E isto você sempre soube. Você estava apenas esquecido, porque sua mente roubou-lhe a atenção do momento presente e atirou-a para um tempo inexistente - você adormeceu. Quando acordar, portanto, o momento presente aparecerá "do nada", você saberá que o momento presente é tudo o que existe.

"Se surrurar sentido, se assoprar sentido, se beijar sentido, você suportaria a maldição de saber o sentido das coisas, sem saber o sentido de saber?" As palavras do poema não estão sendo direcionadas para você, ele não está falando com você. Se estivesse, a pergunta seria outra. O seu ser é naturalmente capaz de suportar a percepção espiritual. O poema inteiro está falando com sua mente. Naturalmente a mente humana não conseguirá suportar, mas se você puder colocar toda sua atenção neste exato momento, se conseguir com sua atenção suportar a tremenda energia da existência que existe aqui e agora, aos poucos a sua mente irá perder a força sobre você. Você não mais estará alimentando a mente, ela necessita que você se identifique com ela, precisa de sua atenção para manter-se ativa. A percepção mental não irá desaparecer, você continuará sendo capaz de usar a mente para ver, ouvir, imaginar ou lembrar sempre que lhe for necessário fazer uso da mente. Só que agora a mente terá deixado de ser um "senhor" e passou a ser uma "serva". Como "senhora" a mente é muito inconveniente, mas como serva a mente é um instrumento magnífico. Ela jamais conseguirá saber aquilo que o seu ser já sabe. A mente é menor e, apesar de tentar, ela não consegue compreender e fazer caber dentro de si o espírito e as coisas do espírito.

A mente nada pode fazer com relação ao espírito, ela terá que suportá-lo, e deverá suportar também tudo de espiritual que não fizer sentido para ela. Mesmo sem entendê-los, ela deverá se conformar. Como entender? Será impossível, a coisa estará lá diante dela, e ela não saberá 'como' nem 'por que'. Ela terá de viver com isso; é como se ela tivesse sido amaldiçoada. E, para a mente, isto é uma maldição - daí o nome do poema. Mas alcançar a compreensão espiritual da existência é realmente uma bênção, a maior possível. Com a bênção do ser, ocorre a realização, a paz, e um profundo sentido de aceitação da vida. Para a mente será uma maldição, mas para você será um grande estado de êxtase. Somente o espírito pode compreender as coisas do espírito; não tente compreendê-las com a mente. A mente foi criada para compreender coisas mentais. Se você puder aceitar isso, começará a desistir de tentar compreender. E será, aos poucos, invadido por uma paz... que provém de um lugar que só pode ser compreendido pelo Ser, pelo Espírito.
_______________________________________
*Agradecimentos -
Marcelo Ferrari é escritor, filósofo e poeta.
Para saber mais sobre ele, e sobre seu trabalho, clique aqui.

3 comentários:

Mystico disse...

Que bela forma de expressar a mais sublime verdade: Somos o Ser Real. O Ser é sempre a fonte da poesia e também a fonte de quem a aprecia...

Quem contempla o silêncio percebe que em realidade só há um de nós...

Gugu disse...

=)

Obrigado pela presença, aqui, Mystico!

Tenha um iluminado final de semana.

Serena disse...

Que lindo heim Marcelo Ferreira, as vezes fico pensando, que os grandes fil�sofos, n�o aguentaram (alguns se suicidaram)na procura do sentido da vida, especificamente no mundo material, do ego, da mente... s� quem experiencia DEUS � que sabe, que o resto � maya...
Serena