"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

quinta-feira, outubro 15, 2015

Aquele que está verdadeiramente aqui

- Mooji -

Algumas pessoas sentem que eu as estou ignorando.
Mas é só que eu não vejo você quando você está na pessoalidade.
Eu só vejo você quando você está se fundindo com a presença.
Somente então é que você entra em foco para mim.
E não é calculado.
Algo responde assim espontaneamente.

Como presença, eu subitamente vejo você em todo o lado.
E não é a sua presença, como pessoa, que eu vejo.
É a sua sua ausência, como pessoa, que me atrai.
Quando "você" está ausente pessoalmente, então eu sei Quem está aqui.
Eu amo Aquele que está verdadeiramente aqui.
Então você está mais perto do que o seu corpo pode conseguir.
Na verdade, nós não estamos próximos ou perto - nós somos Um.

Você pergunta: "O que fazer com as vasanas, as tendências latentes na mente? Elas vêm tão rápido, que não há espaço para observá-las."

Mas no puro estado de Ser, tudo está sendo automaticamente convertido, de negativo para positivo, de feio para belo, sem a intenção da mente. 
Tal é a Graça do Ser.
Ele não tem que acompanhar a velocidade dos reflexos negativos e condicionamento.
De facto, tal negatividade apenas se relaciona com aquele que está condicionado, a "pessoa".
A Consciência não é e não pode ser condicionada.
Se você está percebendo a partir da posição ou identidade de uma "pessoa", você sempre estará atrasado.

Embora você seja essencialmente Consciência, experimentalmente você é uma 'pessoa', porque é onde a sua identidade é viril.
E como "pessoa" você não tem poder.
Mas se você é Consciência, você nunca pode estar atrasado.
Nada é tão rápido que escape da Consciência.
A Consciência não tem de responder ou reagir a seja o que for.
Não existe nada com o qual ela possa ser comparada.
É a Consciência Suprema!
Ela não tem concorrentes, porque tudo está funcionando dentro do seu domínio e pela sua Graça.
É seu Ser incontestável.

Reconheça e seja um com ele.


7 comentários:

Silvano disse...

Aquele que aparece como Mooji disse:

"Embora você seja essencialmente Consciência, experimentalmente você é uma 'pessoa'..."

Eis uma revelação divina cuja profundidade não deve deixar de ser notada por todos! O sentido deste comentário é enfatizar este ponto.

Observe com muita atenção a percepção que Mooji está compartilhando!
Ele diz: Voce é essencialmente Consciência. Isso é tudo a ser dito sobre a Verdade, sobre Aquilo que É; nada mais haveria pra ser dito. É a Verdade e ponto. Jesus disse: Eu Sou a Verdade; no Oriente se diz: Eu Sou Aquilo. Sobre a Realidade não há nada mais a ser dito. Mas Mooji foi além! Ele revelou algo mais...
Ele disse: "experimentalmente você é uma 'pessoa'..."
Eis o ponto a ser notado! Para os que acompanham os textos do Núcleo postados neste blog essa é uma das sutilezas, um detalhe importante a ser cuidadosamente notado que está explícito no item 13 do esquema de duas colunas do ensinamento do Núcleo, no qual "experiência" está na coluna que expressa aspectos relacionados à pessoa, ao personagem, à mente, que percebe de forma dual, e não ao Ser, à Consciência, que percebe de forma unitária. Por isso Mooji diz: "Se você está percebendo a partir da posição ou identidade de uma "pessoa", você sempre estará atrasado." Ou seja, identificando-se a si mesmo como pessoa você terá uma "experiência", uma experiência de separação do Ser, e estará "atrasado", ou seja, fora de foco, fora do Agora. Mas é impossível estar separado do Ser [o que só é evidente a partir da percepção do Ser]! a menos que voce esteja se percebendo a partir da posição ou identidade de uma "pessoa"... A "representação" torna possível a "experiência de separação do Ser". Estando consciente da "Representação" voce estará no mundo mas não será do mundo... Voce terá a experiência mas não será subjugado por ela, voce estará no sonho mas não estará subjugado pelo que estará experimentando no sonho, pois em todo tempo saberá que é o sonhador!

É o que percebo, desfruto e compartilho.
Namastê

Gustavo disse...

Muito obrigado por sEU comentário, meu Amigo!
De fato, nesse texto Mooji revelou-se bastante nuclear.
Grato pelos esclarecimentos quanto ao item 13 da apostila!

Grande abraço!
Namastê!

SERgio disse...

A Essência ( o Algo que não é Algo) no "teatro" sonha que é outra coisa, que não a Si mesmo "Essência".
Experiencia aparentemente (mas, muito real para a mente do personagem ) que é uma entidade/pessoa que pensa que é o que pensa que é. É uma espécie de "dislexia perceptiva".
Até "Aquilo" dar-se conta: "Ah,Sou o que sempre Sou"...

Silvano disse...

Sobre esse "dar-se conta" Masaharu Taniguchi disse:

"Naquele momento, compreendi claramente que a mente em ilusão é
inexistente e, consequentemente, não existe também a “mente que
alcança a iluminação por meio do despertar”. Compreendi que é um
equívoco pensar que a mente em ilusão evolui, alcança a iluminação e
se torna Buda. Compreendi que só existe a Mente (EU) da Imagem
Verdadeira, que é Buda, que é Deus desde o princípio. Só existe o
Universo do Jissô, que é a extensão da Mente-Jissô. O Buda fenomênico (Sakyamuni), que saiu do palácio do seu
pai, Suddhodana, e meditou sob uma figueira durante seis anos para
alcançar a iluminação, não era existência verdadeira. Unicamente o
Buda eterno a quem ele se referiu na declaração “Eu sou Buda desde o
princípio dos tempos” é existência verdadeira, e esse Buda eterno vive aqui e agora. Jesus Cristo na condição de homem fenomênico, que,
pregado na cruz, clamou “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”, não era existência verdadeira. Unicamente o Cristo
eterno, a quem ele próprio se referiu na declaração “Antes que Abraão
existisse, eu sou” é existência verdadeira, e esse Cristo eterno vive
aqui e agora. Conscientizei-me de que eu também não sou um homem
fenomênico nascido de minha mãe em 22 de novembro de 1893 e que só
agora alcançou o despertar. Compreendi que sou um ser divino, um ser
búdico, desde o princípio dos tempos."
A Verdade da Vida, volume 20, página 164

SERgio disse...

Grato,por esta lembrança , da percepção da Consciência através do Masaharu Taniguchi, Silvano!
Do Buda Eterno , Onipresente , que diz : " Eu Sou o único Buda
Em todo o Universo"

O tempo-espaço-corpo fenomênico está nAquilo que SOU, ou em Quem Sou.
Só Eu, Sou Realidade infinita em Mim mesmo!

Silvano disse...

Personificações do Ser real,

Aquele que na Representação aparece como o divino personagem SERgio disse:

"O tempo-espaço-corpo fenomênico está nAquilo que SOU, ou em Quem Sou.
Só Eu, Sou Realidade infinita em Mim mesmo!"

Essa é uma arguta percepção!

De fato, tudo o que se refere ao fenômeno é "Representação". Assim, o próprio "Buda fenomênico", Sakyamuni, é Representação. Apenas o "Buda Eterno", a real identidade de Sakyamuni é Realidade. Da mesma forma o divino personagem Jesus, que disse: "Pai por que me abandonaste?", é representação, mas Cristo,a real identidade de Jesus, é Realidade. E da mesma forma o divino personagem Masaharu Taniguchi nascido de pais humanos é Representação e Deus Sumiyoshi, a real identidade de Masaharu taniguchi, é Realidade.

No texto "Aquele que fala contigo", publicado em http://nucleu.com/2015/09/23/aquele-que-fala-contigo/ está escrito:

Sobre Céu e Terra há toda uma simbologia bíblica. Alguns personagens despertos compartilharam suas percepções a esse respeito. Vamos a elas!

Em Gênesis 1: 1 está escrito: “No Princípio, criou Deus os céus e a terra”.

Deus é próprio Princípio Divino no qual tudo expressa o que Ele É.

A palavra Princípio não deve ser entendida em termos temporais como “início dos tempos”, mas como Origem de tudo o que É, da mesma forma como está escrito em: “No Princípio era o Verbo”, significando que o Verbo, a Palavra, a substância divina, expressa a Si mesmo, manifesta a própria origem ou Princípio divino e existe atemporalmente no Ser, em sua própria Realidade e Consciência.

Assim, criou Deus “no Princípio”, ou seja, criou em Si mesmo, em Sua própria Consciência, céu e terra; Realidade e Representação.

As duas criações divinas são, portanto, o céu, a “Realidade divina” e a terra, a “representação divina”.

A natureza de tudo que é criado na “Realidade divina” é eternidade; e, daquilo que é criado na “Representação divina” é a efemeridade.

Assim, observa-se que o homem criado à “Imagem e Semelhança” de Deus é descrito no capítulo 1 do Gênesis. Este é o homem real, eterno, é o chamado “Eu Verdadeiro”, a real identidade humana.

Em contraposição a esta real identidade humana o homem criado na representação divina, terra, como descrito em Gênesis 2: 7, foi formado do “barro”, ou seja, foi formado da própria substância da “representação divina”. Assim, sendo o homem formado da própria “representação divina” ele é também uma “representação divina” e, portanto, efêmero como tudo na terra ou “representação divina”.

Como foi dito, "o tempo-espaço-corpo fenomênico" [a Representação ], está nAquilo que SOU [ Sou a Consciência, o Princípio, a Fonte e Origem de tudo; e “No Princípio, criou Deus os céus e a terra”], ou [tudo está] em Quem Sou.
Só Eu [o Ser onipresente], Sou Realidade infinita em Mim mesmo!

Agradeço Àquele que aparece como SERgio pela arguta percepção que compartilhou.

Namastê.

SERgio disse...

Gratidão!

_/\_