"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

terça-feira, julho 03, 2012

Entre duas percepções

(O que você vê? Uma jovem moça ou uma velha? As possibilidades de ver uma ou outra estão dentro da sua consciência)

Dárcio Dezolt


Aparentemente falando, há uma humanidade dotada de olhos carnais, que “percebe” a chamada existência terrena como existência verdadeira. Esta suposta existência se altera a cada segundo, mostrando-se ora como imagens boas, ora como imagens más. Assim o mundo também aparentava ser para Buda, antes dele ter tido a revelação da Verdade. Não se conformava em ver doenças, sofrimentos e mortes, ou cenas desamorosas como, por exemplo, a de uma cobra engolindo um sapo vivo para poder subsistir! Em vista disso, abandonou tudo para ir em busca de uma solução que, intuitivamente, acreditava ter que existir. E como lhe veio esta solução? Não como ele supunha, na forma de se melhorar este mundo: veio-lhe na forma de uma revelação gloriosa: “ESTE MUNDO É ILUSÓRIO! JÁ ESTOU NO REINO ILUMINADO E PERFEITO!

Há tempos, uma pessoa falou comigo, dizendo: “Olhe, eu não aguento mais tantos problemas! Já nem sei o que fazer!” Eu disse a ela: “Entre em meditação, e então visualize 'este mundo' sendo dinamitado, explodindo, sumindo! Acabou-se! Adeus, mundo com problemas!” Meses depois, ela voltou a ligar-me, e disse: “Lembra-se do que me falou? Para eu meditar e acreditar que o mundo sumiu?” Disse a ela: “Lembro-me sim, por quê? Fez como eu disse?” E ela me respondeu: “Não, eu não fiz, mas havia contado para uma amiga minha o que você me havia falado, ela fez e deu certo para ela!”.

A maioria não crê que NÃO EXISTE MUNDO MATERIAL! Basta verificarmos o tanto que se fala sobre “fim de mundo”, “profecias de final dos tempos”, etc. A Seicho-no-Ie também revela: O MUNDO FENOMÊNICO NÃO EXISTE! EXISTE UNICAMENTE DEUS! POR MAIS QUE O FENÔMENO PAREÇA EXISTIR, ELE NÃO EXISTE! Para quê tanta repetição? Porque aparentemente vemo-nos diante de “duas percepções”: a percepção da suposta “mente humana”, e a percepção espiritual, mediante a Mente de Cristo que temos. Como anular esta dualidade? Reconhecendo que DUALIDADE NÃO EXISTE! Unicamente a Consciência iluminada atua, aqui e agora, discernindo em SI MESMA toda a Realidade eterna! Por isso as “contemplações” são radicais e absolutas! Não há “duas percepções”, mas unicamente DEUS percebendo a SI MESMO como TUDO! E Deus, onde VOCÊ está, é VOCÊ!



(moça jovem)


(velha)

5 comentários:

Anônimo disse...

Olá, preciso de um esclarecimento sobre esse texto. Vc fala que para eliminar a dualidade, devemos reconhecer que a dualidade não existe e que somente a Consciência iluminada atua aqui e agora! Eu pergunto: não existe dualidade ( o q se percebe com a mente humana e a percepção espiritual ) porque tudo que percebo com a mente humana é irreal ( não existe ) ou porque não existe divisão entre as duas percepções, sendo elas Deus percebendo a si mesmo como Tudo ( no caso como as duas percepções ) ????????????

Gugu disse...

Olá anônimo,

É a segunda: não existe dualidade porque não existe divisão entre as duas percepções, sendo elas Deus percebendo a si mesmo como tudo.

Cuidado com a interpretação desses textos metafísicos, que nos colocam contra o mundo que é percebido pela mente humana. Ele realmente é irreal, mas nem por isso devemos criar antagonia por ele. É melhor estarmos harmonizados com todas as coisas (céu e terra, verdade e ilusão).

A eliminação da dualidade ocorre pela disciplina, vontade, paciência, prática espirituais (meditação, contemplação).

Namastê!

Anônimo disse...

Ok! Eu entendi. É verdade que alguns textos metafísicos nos colocam contra o mundo percebido pela mente humana. Mas vc está me dizendo que não há divisão. E eu pergunto : todas as virtudes e seus opostos( amor, ódio, alegria, tristeza, medo, perdão, também é Deus se percebendo a si mesmo, devo entender que quando se comete erros ( ações negativas praticadas contra mim mesma e o meu semelhante) isso também é Deus se percebendo a si mesmo já que é o que percebo com a mente humana??? Por favor me esclareça isso também. Obrigada! Namastê!

Gugu disse...

Anônima,

Para responder essa questão, temos que no situarmos do seguinte modo: se estivermos falando do universo da dualidade, o bem e o mal existem, e eles são Deus "aparecendo como". Porém, quando Deus é percebido na dualidade, surge a constatação de uma unidade, como se todas as partes separadas se reunissem e se tornassem um só corpo. Você alguma vez já viu um corpo fazendo mal ou sendo contra si mesmo? Um corpo nunca machuca a si mesmo, porque ele está todo em unidade. Quando este mundo de separatividade é percebido pela mente (percepção mental, que só vê dualidade, fragmentação, o mundo do ego), o bem e o mal serão percebidos como reais. Porém, o mesmo mundo, quando visto pela percepção consciencial, revela-se sendo um oceano esplendoroso de luz, cheio de inteligência, criatividade, e amor. É característica da divindade ser bom. Deus só pode ser bom. Se existir um ser super poderoso, capaz de criar mundos e universos, mas não for 100% bom (amor verdadeiro), ele não é Deus, mas apenas um ser muito poderoso. Um Deus mal não existe. Se tal ser for do mal, então ele receberá outro nome - menos o nome "Deus".

Por isso se diz que, quando o mundo é visto através da lente mental, nós estamos percebendo uma representação, onde bem e mal se fazem presentes. Mas quando saímos da representação, e observamos o mundo com a lente consciencial, somente há a divindade. Todos aqueles conceitos de "bem" e de "mal" ficam para trás, e a própria divindade cuida de revelar as Suas coisas a nós. O que provém da divindade é diferente daquilo que provém da mente humana, por isso não faz muito sentido tentar categorizar ou entender Deus a partir de referências/parâmetros que existem somente sob a ótica da percepção mental. Por exemplo: querer entender se Deus se manifesta como o bem e o mal ao mesmo tempo... em certo sentido a resposta poderia ser "sim"! Mas apenas em certo sentido - o de que aquilo é uma representação. Mas o bem e o mal é a divindade em si? Então a resposta é "não". A divindade em si só pode ser conhecida e compreendida (e experienciada) quando percebemos consciencialmente.

Ok?

Grato pelo comentário!
Grande Abraço!

Anônimo disse...

Muitíssimo grata! Só o fato de saber que posso contar com esses esclarecimentos, já me faz muito bem, poucas pessoas do meu convívio estão disponíveis para trocarmos idéias sobre esse assunto e no mais não têm o conhecimento que tenho encontrado aqui. Abraços!