"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

segunda-feira, janeiro 31, 2011

MEDITAÇÃO: PERCEBA!


Dárcio Dezolt

Logo de início, medite entendendo que não é "você" que está no Universo, mas sim, que o Universo inteiro está em VOCÊ, em "sua" Consciência. Esta visão absoluta o fará meditar eficazmente, por não se considerar "separado do Todo", mas sendo o Todo. Toda a Existência está em sua Consciência infinita e iluminada; de fato, a Existência é a Consciência! Não existe algo, chamado "Consciência", tomando conhecimento de "outro algo", chamado "Existência". Consciência e Existência são UMA!

Perceba, e passe a contemplar, toda a Existência sendo UNA com Sua Consciência! Por isso Cristo disse: "o REINO DE DEUS está dentro de vós". Contemple a Verdade a partir da própria Verdade, e, assim que discernir que TUDO É SUA CONSCIÊNCIA, admita, serenamente: "Eu Sou a Verdade".

Onde agora estamos, dizem as Escrituras, é o Reino do Absoluto e não a imagem tridimensional captada pela mente humana. Esta é a informação; pare, agora, e perceba o que foi dito! Está vendo mundo terreno? Tire dele a atenção, intua estar vivenciando o Absoluto aqui presente. A mente humana poderá continuar vendo a “ilusão”; separe-se dela! Você não é “mente humana”; você não está no quadro que ela acredita existir! Nem ela nem seus quadros são reais! Esta é a informação; pare, agora, e perceba o que foi dito! Como se sente? Sem “mente humana”, "sem estar “neste mundo"? Intua como você se sente, sabendo ter a “Mente de Cristo”, e que está no Absoluto!

Deus está sendo você! Por isso, jamais você nasce, muda ou morre! Esta é a informação; pare, agora, e perceba o que foi dito! Percebe estar consciente? Vivo? Livre? Esta Consciência - consciente, viva, livre - é “você”, o seu Eu! Esta é a informação; pare, agora, e perceba o que foi dito! Percebendo? Então agora diga, com Consciência:

EU SOU!


6 comentários:

- Mizi - disse...

Muito bonito. Mas também devemos perceber que a meditação é a base da nossa ação. A vida contemplativa deve andar lado a lado com a vida caritativa, o proceder caritativo, segundo a vontade de Deus. É um bipé importante em nossas vidas.

Abraços!

Gugu disse...

Este texto do Dárcio é um dos posts mais fortes, carregados e intensos já postados na história deste blog...

Anônimo disse...

Discussão interessante nesta página, tópicos como aqui está dão valor a quem ler neste sítio :)
Entrega muito mais do teu blog, a todos os teus seguidores.

Anônimo disse...

qual o sentido de não estarmos já diretamente em estado de iluminação, qual o por quê, do ego e sua manifestação dominarem o mundo do ego. Eu saber, pensar, que a iluminação do ser é a realidade última, parte do próprio ego, ou os cinco sentidos. A busca ou não busca da iluminação como queiram, tem que partir do próprio ego. Que está em iluminação, está livre do ego e suas nuances. Este é o paradoxo: Sei da notícia da necessidade de iluminação a partir do próprio ego, iluminado,
"some o ego" . Ou seja, é uma chegada sem partida. Por favor alguém comente...

Gugu disse...

É verdade...

O conhecimento de que "a iluminação do ser é a realidade última" parte do próprio ego, quem toma conhecimento disso é ele. E tudo o que parte do ego - mesmo o conhecimento sobre a iluminação, inclusive a busca e a tentativa de atingí-la - também é fruto da ilusão.

Por isso, os ensinamentos dizem que a idéia de "iluminar-se" também deve ser abandonada, juntamente com o ego. Eles chamam a iluminação de "o último jogo", porque o ego, na tentativa de alcançar a iluminação, despoja-se de todos os apegos. Entretanto, ele só se despoja de todas as coisas em função do seu desejo de alcançar a iluminação - mas isso também é apego do ego. Daí porque, após desapegar-se de todas as coisas, resta-lhe fazer uma coisa ainda: desapegar-se da idéia de iluminação. Quando consegue isso, ele se ilumina.

Então, fica assim: quando você está no ego, a sua impressão é a de que não está em contato direto com a iluminação, por isso (a partir dele) você empreeende uma busca para alcançá-la. Mas, quando você finalmente alcança a iluminação, você percebe que sempre esteve em contato direto com a iluminação: você vê a partir de um outro ponto de vista, outro referencial. Nesse referencial você percebe que o ego nunca existiu, apenas o Ser que eternamente é. Ou seja, foi uma "chegada sem partida", a jornada para alcançar a iluminação não passou de um sonho.

Escolha o referencial que você julgue/sinta que é melhor para você, e trabalhe com ele, e a partir dele.

Abraços.

Anônimo disse...

Muito obrigado pela atenção, Sr. Gugu. Valeu mesmo!