"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

sexta-feira, dezembro 18, 2015

A essência búdica de todos os seres

- Núcleo - 


O mestre zen budista Hakuin ensinou que:

“Na essência todas as pessoas são seres búdicos. 
Assim como não pode existir gelo sem água, também não pode existir Buda sem a humanidade. 
Quem compreende essa verdade alcança o tesouro infinito. 
Quando vivo a Forma que transcende a forma fenomênica, posso ir e voltar sem sair do lugar. 
Quando vivo com o Pensamento que transcende o pensamento fenomênico, canto e danço segundo a voz da Verdade. 
No amplo céu do meu mundo Mental livre de qualquer empecilho, brilha a luz da sabedoria búdica. 
Alcanço o estado de total serenidade, transcendendo as angústias e os sofrimentos mundanais. 
Por isso, aqui mesmo é o paraíso búdico; e assim mesmo, nesta forma física, sou um ser búdico."


Seguem-se os comentários ao texto. [Os comentários aparecem entre colchetes]

“Na essência todas as pessoas são seres búdicos [todas as pessoas são seres conscienciais, porque vivemos na Consciência do Ser, que é o Princípio Divino]. 

Assim como não pode existir gelo sem água, também não pode existir Buda sem a humanidade [todo personagem pressupõe um Ator. Assim, o personagem gelo, é a forma assumida pelo Ator água. Água é a essência do Gelo. A água pode se manifestar na forma de gelo. Assim como gelo evidencia a existência da água, todo personagem evidencia a existência do Ator]. Quem compreende essa verdade alcança o tesouro infinito. 

Quando vivo a Forma que transcende a forma fenomênica, posso ir e voltar sem sair do lugar [Forma fenomênica é a forma do personagem, ao passo que 'Forma que transcende a forma fenomênica' é a Forma do Ator, do Ser consciencial, que é a essência, portanto, sem forma definida como é a forma fenomênica. Por isso, estando consciente de que vivo na Consciência do Ser, no Princípio divino, posso ir e voltar sem sair do lugar].

Quando vivo com o Pensamento que transcende o pensamento fenomênico, canto e danço segundo a voz da Verdade [Pensamento que transcende o pensamento fenomênico são os pensamentos de Deus, como revelado na Bíblia em Isaias 55: 8-9, onde está escrito: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.” Por isso, estando consciente do Pensamento que transcende o pensamento fenomênico, canto e danço segundo a voz da Verdade, que é Deus]. 

No amplo céu do meu mundo Mental livre de qualquer empecilho, brilha a luz da sabedoria búdica. [O mundo Mental que é livre de qualquer empecilho é chamado no Núcleo de mundo da Consciência ou Mente com “m” maiúsculo, no qual brilha a luz da sabedoria búdica ou divina]. 

Alcanço o estado de total serenidade, transcendendo as angústias e os sofrimentos mundanais [As angústias e os sofrimentos mundanais estão no âmbito da mente do personagem. Na Consciência do Ser elas inexistem, por isso na Consciência alcanço o estado de total serenidade]. 

Por isso, aqui mesmo é o paraíso búdico; e assim mesmo, nesta forma física, sou um ser búdico [Pelo fato de Realidade e Representação coexistirem no Princípio Divino, assim mesmo, nesta forma física, ou seja, assim mesmo na forma de personagem, sou consciente de que sou o Ator divino, sou consciente de que sou um ser búdico, um ser consciencial” e sou consciente de que aqui mesmo é o Princípio Divino, aqui mesmo é o paraíso búdico].


3 comentários:

Silvano disse...

Há um Eu infinito, oceânico...
É a este Eu que o mestre zen budista Hakuin está se referindo ao dizer:
“Forma que transcende a forma fenomênica...”
“Pensamento que transcende o pensamento fenomênico...”
É a este mesmo Eu que Swami Vivekananda se referiu quando disse:
"O que chamamos Deus é, verdadeiramente, o Ser... Ele é nosso real Ser...”
“Não nos achamos confinados a nenhum lugar. Não somos o corpo; o universo é nosso corpo.
Masaharu Taniguchi disse:
“Merece especial atenção o fato de que opostos “presença/ausência”, “falsidade/realidade”, “treva/luz”, “morte/vida”, e “ilusão/sabedoria” não são opostos verdadeiros. O que faz crer que sejam opostos é o modo de pensar errôneo do homem. Embora se diga que a “presença” (o “ser”) se opõe à ausência (o “não ser”), não há como isto acontecer, pois uma delas é ausência; portanto, na verdade, a presença (o “ser”) é existência única, é existência absoluta. Da mesma maneira, “treva”, “morte“ e “ilusão” são respectivamente ausência de luz, ausência de Vida e ausência de sabedoria; nada mais são que sinônimos do nada. Portanto, tudo que tem existência neste mundo é luz, é vida, é sabedoria, e o oposto disso, por mais que aparente existir, na verdade é o nada. Por conseguinte, não é difícil afirmar a “presença” (o “ser”) diante da “ausência” (o “não ser”). À semelhança de uma “luta de um lutador só” – na qual o lutador único sempre é o vencedor -, a Deus bastou dizer “exista a luz”, e a luz venceu as trevas.”
O texto acima está no livro A Verdade da Vida, Volume 11 – Identidade de todas as religiões na sua essência (1), página 21, 9ª impressão

E Sri Bhagavan disse:
A nossa realidade é muito diferente daquilo que pensamos que ela é. Nós somos seres grandes e vastos [somos o Eu infinito, oceânico], e não o pequeno ser [o pequeno eu] que você pensa que é [pensamento errôneo, diria Masaharu Taniguchi].
Sri Bhagavan disse ainda: Também é possível nos percebermos existindo em vários reinos simultaneamente. Existem aproximadamente 21 reinos. Aquele que despertou em todos os reinos, na Índia é chamado um Paramahansa. Paramahansa significa "aquele que despertou em todos os reinos".

Silvano disse...

Jesus Cristo disse: Na casa do Pai há muitas moradas...
Concluo dizendo que: Todos aqueles reinos estão na Casa do Pai...
A Casa do Pai é o Reino de Deus e esse “reino” está “dentro de nós”, ou, está EM nós. Essa é a percepção! O pensamento de que o reino de Deus está distante de nós é um “pensamento errôneo”, como diria Masaharu Taniguchi. Ele também disse que Seicho No Ie é casa, e não porta... As religiões são a porta da casa celestial!Sendo portas elas não devem dividir as pessoas, mas reuni-las para um objetivo em comum que é tornar todos conscientes da essência búdica de todos os seres.
Enfim, Hakuin, Swami Vivekananda, Masaharu Taniguchi, Sri Bhagavan, Jesus Cristo e outros iluminados compartilham a percepção da essência búdica por serem expressões conscientes da própria essência búdica...

Os que compartilham essa percepção são expressões do Eu infinito, oceânico, conscientes daquilo que Hakuin disse, que na essência todas as pessoas são seres búdicos!

Namastê!

Gustavo disse...

Bela compilação das palavras de vários mestres, Silvano!
Isso mostra que todos expressam a mesma verdade em linguagens diferentes. Linguagens são "portas" que nos permitem entrar na "Casa", e uma Casa sempre tem várias portas.

Realmente, no centro de tudo está o Eu, que podemos perceber presentes na mensagem de todos os iluminados. Todas as religiões são manifestações de Mim. Eu sou o Caminho a Verdade e a Vida.

Grato por seu comentário iluminado!

Namastê!