"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

terça-feira, agosto 04, 2015

A colheita é agora!


- Núcleo -


Jesus disse:

“Vocês não dizem: ‘Daqui a quatro meses haverá a colheita’? Eu lhes digo: Abram os olhos e vejam os campos! Eles estão maduros para a colheita.” (João 4: 35)

No post anterior cujo título é “Estudo bíblico pela visão do Núcleo”, está escrito:

“… podemos apreender o universo que se apresenta a nós com nossa visão ou percepção mental ou com nossa visão ou percepção consciencial. Nosso propósito nesse estudo bíblico é enfocarmos a visão ou percepção consciencial.”

“… a leitura do ponto de vista mental nos dará um enfoque temporal da mensagem divina, ou seja, uma visão de que as coisas acontecem apenas como a mente concebe a realidade, numa percepção de passado/presente/futuro. Por outro lado, a leitura “consciencial” da mesma mensagem divina nos possibilita uma visão “atemporal”, na qual tudo existe num “eterno presente” 

“Se por um lado podemos perceber algo pela mente ou pela Consciência aquilo que vemos como sendo a realidade que surge diante de nós é completamente diferente! Isto porque o que percebemos com a mente é a realidade aparente… Mas o que vemos com a Consciência é real.”

Na passagem acima citada Jesus está ensinando e ressaltando a diferença entre o que vemos a partir da percepção ou visão mental e o que podemos ver a partir da percepção ou visão consciencial.

É como se Jesus, que a tudo percebe consciencialmente, dissesse: “Vocês, todos os que estão percebendo apenas mentalmente, não dizem: ‘Daqui a quatro meses [ou seja, somente no futuro] haverá a colheita’?

E desfrutando o que percebe consciencialmente, é como se Jesus nos dissesse: Abram os olhos [os olhos da visão consciencial] e vejam os campos! [olhem para a realidade que se desvela a sua frente a partir dessa visão consciencial] Eles estão maduros para a colheita [eles já estão maduros, agora!] .” João 4: 35

E Jesus prosseguiu ensinando que:

“Aquele que colhe já recebe o seu salário e colhe fruto para a vida eterna, de forma que se alegram juntos o que semeia e o que colhe.”

Em outras palavras Jesus está compartilhando a percepção de que para que seja possível colher agora é imprescindível “abrir os olhos” da Consciência e ver que os campos já estão maduros!

Notem que a “visão da Consciência” já está aberta para todos os que se voltam para ela, pois a visão de Jesus, que está sendo revelada por ele mesmo, é a verdadeira visão, é a visão que desvela o real, é a própria percepção do Cristo que Vive em nós, é a Verdade!

Assim, a colheita, ou seja, a percepção que nos faculta desfrutar a graça divina, que está diante de nós e que já foi semeada, só é possível para os que escolhem ver em unidade com o semeador, com  a visão que o semeador – o Cristo em nós – está revelando!

Por isso Jesus diz: “Aquele que colhe [ aquele que colhe agora; aquele que escolhe perceber consciencialmente ] já recebe o seu salário [já desfruta o que percebe; já desfruta a graça, aquilo que foi semeado pelo semeador, o ensinamento, a forma de ver consciencialmente as obras de Deus] e colhe fruto para a vida eterna [colhe, ou seja, desfruta essa visão atemporal da realidade divina, do eterno presente] de forma que se alegram juntos o que semeia e o que colhe [de forma que se alegram juntos, ou seja, de forma que percebem, desfrutam e compartilham em unidade a mesma percepção atemporal da gloria de Deus], portanto, conclui Jesus dizendo: Assim é verdadeiro o ditado: ‘Um semeia, e outro colhe’.

Deus é o semeador, aquele que semeia a percepção consciencial, e os que colhem são os que percebem e agem conforme a percepção divina, a percepção atemporal, consciencial, que já foi semeada pelo semeador divino.

Dando ênfase a importância da ação que resulta dessa percepção Jesus nos inclui em sua ação, em sua obra divina, e faz um convite ao desfrute dessa percepção que nos compartilha [desfrute que se dá através da nossa ação], revelando:

“Eu os enviei para colherem o que vocês não cultivaram. Outros realizaram o trabalho árduo, e vocês vieram a usufruir do trabalho deles”.

“Eu [ou seja, o Semeador] os enviei para colherem [para desfrutarem da percepção consciencial já semeada] que vocês não cultivaram [pois foi semeada por Deus]. Outros realizaram o trabalho árduo [Deus é o próprio Semeador, que aparece como outros], e vocês vieram a usufruir do trabalho deles” [vocês, ou seja, todos os que escolhem usufruir, ver conforme a percepção ou visão que já foi semeada]; não conforme a visão que diz: ‘Daqui a quatro meses haverá a colheita’, mas sim conforme a visão pela qual Jesus já nos disse: “Eu lhes digo: Abram os olhos e vejam os campos! Eles estão maduros para a colheita.” (João 4: 35)

Assim seja percebido e desfrutado por todos, pois, a Colheita é Agora!

A paz seja com todos.


9 comentários:

Anônimo disse...

ainda aprecio com a mente. Mas, é muito reconfortante.

Gustavo disse...

Se a mensagem (de alguma forma) te tocou profundamente, é porque ela surtiu efeito em algum lugar dentro de você que é além da mente. Você está reconhecendo/sentindo a veracidade dessas verdades. E a mentira não pode reconhecer a verdade. Somente a verdade reconhece a verdade. Como diz o texto do Núcleo: Somente Buda reconhece Buda, Somente Deus reconhece Deus.

Deus em você já está reconhecendo. Sinta-se realmente reconfortado!

Namastê!

Silvano disse...

Divinos personagens Gustavo e Anônimo,
Esses seus comentários são muito preciosos para enfatizar a revelação divina de Jesus de que “a colheita é agora”. Por isso, permitam-me compartilhar a seguinte percepção que poderá esclarecer a muitos outros divinos personagens como desfrutar percepções iluminadas.
Como exemplo seguem dois ensinamentos que são duas percepções iluminadas [percepções conscienciais compartilhadas por dois divinos personagens despertos]
Disse Jesus:
“Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele”. Marcos 10: 15
Disse Masaharu Taniguchi:

“A prática da Meditação Shinsokan consiste em acreditar incondicionalmente na revelação divina de que “o homem é originariamente filho de Deus”; é aceitar essa Verdade com a mente dócil: “Sim, sou filho de Deus, muito obrigado!”.

Atentem bem ao que disseram Jesus e Masaharu Taniguchi: “receber o reino de Deus como uma criança” e “aceitar essa Verdade com a mente dócil”

Receber a revelação divina como uma criança e aceitar de forma dócil é receber e aceitar sem questionar, sem duvidar; é receber incondicionalmente a revelação divina.
Isto deve ser feito porque a mente [humana] não percebe o real. O grande problema é que ela não percebe que não percebe...
Assim enquanto os olhos [da mente, que não percebem o real] veem que “daqui a quatro meses haverá a colheita” Jesus [o iluminado que percebe o real] revela o que deve ser feito pelos que quiserem ver [com a Consciência]: “Abrir os olhos! Simples assim! Dar foco na visão destes olhos e verem que “os campos estão maduros para a colheita”:

O que diria Jesus ao que diz: ‘ainda aprecio com a mente’?
Para enfatizar o mesmo ensinamento Jesus diria algo com o mesmo sentido do que disse aos que dizem: ‘Daqui a quatro meses haverá a colheita’.
Ele diria: “Voce diz: ‘ainda aprecio com a mente’.
Eu lhe digo: Abra os olhos e veja! Pois [a percepção do] reino de Deus está em vós.”

Silvano disse...

Abra os olhos e veja! [Abra os da Consciência, os olhos que vêem a Realidade subjacente à aparência]. É simples assim!

Por que não parece ser simples assim?
E por que os personagens iluminados percebem de forma tão clara?
Simplesmente porque eles não sobrepõem questionamentos, julgamentos e análises mentais às percepções conscienciais!

Os pensamentos que estão na mente se embasam em dados obtidos dos cinco sentidos, pelo uso da lógica, raciocinando sobre esses dados. Porém, os dados captados pelos cinco sentidos não expressam a realidade, mas apenas o que parece ser real.

Elucidou Aquele que na Representação aparece como o divino personagem Dárcio Dezolt:

“Muitas vezes a ilustração do “lápis dentro do copo com água” é encontrada na literatura espiritual. Ela é uma das melhores, por nos deixar conscientes de que “fato é fato” e “aparência é aparência”. Coloque um lápis perfeito em um copo com água e observe-o pelo lado de fora, ao nível do líquido: o lápis terá a aparência de estar torto e também quebrado em duas partes! Que nos permite tirar, desta ilustração? Que o lápis continua inteiro e perfeito, mesmo enquanto a sua “aparência” estiver sendo a de um lápis imperfeito. “
[ Fonte; http://fachodeluz.blog.br/wp/?p=5350 ]

Portanto, a mente se embasa em pensamentos, em aparências, mas não em percepções!

Por isso o “slogan” do Núcleo é: Perceba, desfrute e compartilhe.
Atenção! O “slogan” não é: Pense, desfrute e compartilhe.
Assim enquanto a mente humana pensa que “daqui a quatro meses haverá a colheita”a consciência divina compartilhada por Jesus revela o que deve ser feito pelos que quiserem perceber [com a visão da Consciência]:
Abrir os olhos [da Consciência] e verem que “os campos estão maduros para a colheita”.
Por isso Masaharu Taniguchi revelou que “o Segredo da meditação Shinsokan consiste apenas em afirmar para si mesmo, com a mente dócil: “Sim, sou filho de Deus, muito obrigado”. A pessoa diz mentalmente para si própria “Você é filho de Deus” e responde “Sim, sou filho de Deus, muito obrigado” — nisto se resume a Meditação Shinsokan.

Silvano disse...

Neste ponto deve ser notado o que Aquele que aparece como o divino personagem Gustavo disse: “Se a mensagem (de alguma forma) te tocou profundamente, é porque ela surtiu efeito em algum lugar dentro de você que é além da mente.”

Esse “lugar além da mente” é a percepção iluminada!

Notem que o Gustavo está compartilhado uma percepção consciencial; da mesma forma que Jesus compartilhou uma percepção consciencial; da mesma forma que Masaharu Taniguchi compartilhou uma percepção consciencial; da mesma forma que Dárcio Dezolt compartilhou uma percepção consciencial.

Atentem bem que nenhum deles partiu de um julgamento, ou seja, de uma atividade da mente, de um pensamento, mas sim de “lugar além da mente”, uma percepção que não está distorcida pelas aparências; uma percepção que mesmo diante da imagem nítida de um “lápis quebrado” sabe/percebe que o lápis está perfeito! Esta percepção os faz conscientes de que o lápis está perfeito AGORA, não apenas [no futuro] quando for retirado do líquido, ou seja, do contexto que faz com que aparente estar quebrado! Jesus não orou para os discípulos fossem retirados do mundo, ou seja, do contexto em que se encontravam; Jesus orou ao Pai que eles fossem libertos da visão equivocada. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal.” Jo 17, 15


O Gustavo disse: “Você está reconhecendo/sentindo a veracidade dessas verdades. E a mentira não pode reconhecer a verdade. Somente a verdade reconhece a verdade. Como diz o texto do Núcleo: Somente Buda reconhece Buda, Somente Deus reconhece Deus.

Esta é outra percepção iluminada que está sendo compartilhada! Pois somente o real percebe o real! É a percepção da Consciência – a percepção verdadeira - em nós quem percebe a Verdade! Em outras palavras, é a percepção da Imagem Verdadeira em nós quem percebe o Jissô (o aspecto verdadeiro). É a percepção do Buda – percepção búdica - em nós quem percebe a realidade de Buda. Enfim, é somente o “Cristo em nós” quem vai ao Pai; ou seja, é a percepção do Cristo – percepção crística - em nós quem percebe que o reino de Deus está presente em nós AGORA!.

Silvano disse...

Para finalizar esse comentário, segue-se mais uma percepção iluminada:

Disse o divino personagem Joel Goldsmith:
“Quando Cristo se manifestar na consciência individual, aquele Cristo se espalhará como uma tocha ardente de um para outro, até que todo mundo seja tocado por sua luz, iluminado pelo Espírito Santo, através do estudo da sabedoria espiritual ou pelo contato com um indivíduo iluminado. Como a consciência individual se acende, a chama se espalha por toda parte, de um para outro, por todo o mundo.” [As Palavras do Mestre. Página 39]

Fazendo o contraponto que proporcionou este comentário, concluiu Aquele que aparece como o divino personagem Anônimo: “ainda aprecio com a mente. Mas, é muito reconfortante.”

Por sua vez, percebendo que esta não é senão uma autêntica percepção conclui Aquele que aparece como o divino personagem Gustavo dizendo: “Deus em você já está reconhecendo. Sinta-se realmente reconfortado!”


Enfim, a tudo devemos dar glória a Deus!

O que percebo e compartilho é que é Ele Quem faz! É Ele Quem nos faz perceber!

É Ele Quem move o divino personagem que aparece como Anônimo e comenta algo;
É Ele Quem move o divino personagem que aparece como Gustavo e compartilha Sua percepção iluminada;
É Ele Quem move o divino personagem que aparece como Jesus e compartilha Seus ensinamentos iluminados;
É Ele Quem move o divino personagem que aparece como Masaharu Taniguchi e compartilha Suas revelações divinas;
É Ele Quem move o divino personagem que aparece como Darcio Dezolt e compartilha Suas lições reveladoras;
É Ele Quem move o divino personagem que aparece como Joel Goldsmith e compartilha a “pequena voz silenciosa”;
É Ele Quem move todos os divinos personagens que aparecem como você, e como eu, e que nos possibilita desfrutar e compartilhar de Sua percepção iluminada.

Enfim, é Deus Quem age!
É Deus Quem aparece como Seu Filho amado Jesus.

Silvano disse...

Assim concluo parafraseando Jesus Sua percepção iluminada, a percepção do reino de Deus:
Não vem [a percepção do] reino de Deus com visível aparência..
Nem dirão: Ei-la aqui! Ou: Lá está!
Porque [a percepção do] reino de Deus está dentro de vós.”.
(Lucas 17:20-21).

E compartilho esta oração iluminada de Masaharu Taniguchi:
“Deus é o todo de tudo, Deus é perfeita Vida, Deus é perfeita sabedoria, Deus é perfeito amor. No interior de todas as coisas vive a Vida de Deus, vive a Sabedoria de Deus, vive o Amor de Deus”.
Através desta oração, contemplo concentradamente o mundo da Imagem Verdadeira, no qual as infinitas virtudes de Deus já existem no interior de todas as coisas; e, em seguida, oro: “Venha o Teu reino, seja feita a Tua vontade no mundo físico, assim como no mundo da Imagem Verdadeira”.
E na Meditação digo: “Ó Deus-Pai, que dais vida a todos os seres viventes, abençoai-me com [a percepção do] Vosso Espírito”.
E percebendo que esta oração já foi outrora semeada, a desfruto. E compartilho aquilo que também já foi outrora compartilhado por Jesus, algo de validade atemporal, que é a percepção iluminada de que tudo o que Deus semeou a colheita é agora!

A paz seja com todos!

Gustavo disse...

Nossa, que presente!
Muito obrigado pelo belíssimo comentário!

Namastê, meu Amigo! =)

Gustavo disse...

Também gostaria de compartilhar algo que tem a ver com a revelação de que "A Colheita é Agora".

Há dois posts atrás publiquei um vídeo dos ensinamentos de "Um Curso em Milagres", e no vídeo é dito que:

- A iluminação é apenas um reconhecimento, não uma mudança em absoluto".

Esse reconhecimento é realizado pela Consciência Divina em nós, e não por nós (e nossas mentes) enquanto personagens. Aqueles que esperam que a iluminação virá somente após uma radical "mudança de consciência" ou "mudança de percepção" são como aqueles que esperam 4 meses para ver a colheita. Mas os que entendem que a "iluminação é apenas um reconhecimento" [de que ela esteve, está e estará sempre aqui] são aqueles que podem abrir os olhos e perceberem que o momento da colheita é agora!

O fato consciencial de que "A colheita é agora" está sendo encoberto pela visão aparente [da mente dos personagens] que diz: "somente daqui a 4 meses haverá a colheita". Assim como no exemplo citado, o fato de que "O lápis está inteiro e perfeito" está encoberto pela visão aparente de que "O lápis está quebrado e imperfeito". A iluminação também está presente agora, desde sempre! Mas a percepção disso está sobreposta por uma visão mental aparente que concebe que ela ainda não está.

Por isso o Curso diz: "A Paz de Deus está brilhando dentro de ti agora. E, de ti, ela se estende [é compartilhada com] ao mundo todo". E diz: "Senta-te quieto e fecha os olhos. A Luz dentro de ti é o suficiente"

Se quisermos trazer à tona as percepções iluminadas, devemos nos habituar a reconhecer que "A iluminação já está aqui, agora", que "Deus em mim me faz Consciente de que sou um com Ele". Esses fatos devem ser contemplados e reconhecidos como verdadeiros neste exato instante, apesar de todo o contrário que a mente humana possa querer sugerir. Quando meditamos assim, diminuímos a nossa identificação com a mente humana e sua forma de reconhecer o universo, e passamos a nos identificar com a Consciência Divina e a forma que ela tem de reconhecer o Universo.

É por isso que a Meditação ensinada na Seicho-No-Ie nos diz para, de imediato, nos identificarmos como já estando vivendo e desfrutando do Mundo de Deus, onde todas as bênçãos já estão presentes. A mente jamais consegue ver ou sentir a presença do Divino e as bênçãos do Divino. Mas a Consciência Divina [que é Onipresente e, portanto, está presente em nós] é capaz de perceber o Mundo Infinito de Deus.

O Curso em Milagres também diz: "Senta-te quieto e fecha os olhos. A Luz [que já está presente] dentro de ti é o suficiente."

Se alguém, a exemplo do nosso amigo Anônimo, diz que "ainda aprecia com a mente", sugiro que, ao invés de dar atenção a essa voz mental, passe a contemplar que "a Consciência Divina está presente/viva em mim, e me faz perceber tudo o que ela percebe". À medida que for fazendo esse exercício meditativo, sua identificação com a voz mental diminuirá e aumentará a identificação com a voz consciencial que percebe que: "A colheita é agora".

Namastê!