"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

segunda-feira, agosto 04, 2014

Adquirindo a Consciência do Bem

DEUS, A SUBSTÂNCIA DE TODA A FORMA
(Joel S. Goldsmith)

- Capítulo 10 -

ADQUIRINDO A CONSCIÊNCIA DO BEM

A Consciência é o segredo real do mundo. Quando você pensa estar em busca de Deus, na verdade o que você está buscando é uma compreensão da Consciência, porque a Consciência é Deus; Deus é Consciência. Quando tiver encontrado o significado interior da Consciência, você terá encontrado Deus, terá descoberto a sua própria consciência.

Agora você poderá entender mais de perto aquilo que venho repetindo diversas vezes, que o objetivo deste trabalho não é o de lhe dar mais verdades além das que você já conhece. Estou certo de que você já conhece tudo o que há para ser sabido das palavras da verdade. Isso está amplamente disponível, não apenas em meus textos, mas em muitos outros. Assim eu volto a dizer: o objetivo deste trabalho não é adicionar uma só palavra ao seu conhecimento intelectual da verdade, mas acelerar a expansão da consciência – o desenvolvimento da consciência divina como sua consciência individual.

A chave daquilo que denominamos "demonstração", ou seja, uma vida feliz e bem sucedida, uma existência alegre e plena, é a consciência, é a obtenção da consciência do bem numa forma ou outra.

Se me perguntassem qual é o objetivo de nosso trabalho, suponho que responderia: "Nós buscamos por Deus." Para a maioria das pessoas Deus é um termo bastante vago. Você saberia o que fazer com Deus após encontrá-Lo? Realmente, se fôssemos honestos conosco mesmos, nós diríamos: "Estamos buscando um senso de paz, uma consciência de harmonia, de saúde e de plenitude do ser." Poderíamos resumir tudo numa frase: "Estamos buscando uma consciência de felicidade." Se nós estamos felizes, temos todas aquelas coisas, e nossa felicidade incluiria tudo aquilo.

Alguém disse que a felicidade é uma borboleta que, quando perseguida, está sempre além do nosso alcance, mas se nos sentarmos tranquilamente ela virá e pousará em nós. Se é verdade que o reino de Deus está dentro de nós, a felicidade não poderá ser encontrada no exterior. A felicidade é algo que flui do interior de seu próprio ser. Assim, o estado de consciência que está perseguindo sempre a felicidade precisa ser eliminado, e a consciência de ficar sentado quietamente, deixando a alegria vir, precisa ser adquirida.

Nathaniel Hawthorne escreveu: "A felicidade nesta vida, quando vem, vem casualmente. Faça dela objeto de perseguição, e ela nunca será obtida. Tendo por meta algum outro objetivo, muito provavelmente encontraremos o que chamamos de felicidade, sem que tivéssemos sonhado com ela." 

Alcançar a felicidade ou a paz, alcançar a paz da mente ou um senso de plenitude e harmonia, significa, antes de tudo, parar de ficar correndo em volta, parar de ficar tentando obter algo, e, principalmente, aprender a sentar-se calmamente, meditar e ponderar internamente as realidades do Ser, e então deixar que esta felicidade apareça. Dizem que a felicidade é um perfume que você não pode passar nos outros sem que algumas gotas se derramem em si mesmo. Assim, antes deste perfume de felicidade poder vir a nós, precisamos começar a passá-los nos outros.


NADA PODE SER ACRESCENTADO A VOCÊ E NADA PODE SER TOMADO DE VOCÊ

Tudo isso nos faz retornar ao ensinamento do Mestre: "O reino de Deus está dentro de vós"; ele deve fluir do seu interior. Nada pode ser-lhe acrescentado, nada pode ser-lhe tirado: você é eternamente pleno e completo. Sempre que formos meditar precisamos nos lembrar desta verdade: não existe nada "fora" ou separado de nós que possa ser obtido. Precisamos apenas obter a consciência daquilo que estamos buscando, para descobrir que já o temos. Nunca nos esqueçamos de que para trazermos melhoramentos nas nossas atividades precisamos começar de onde nos encontramos neste momento. Não ficamos sonhando com o que virá a acontecer após atingirmos uma compreensão maior, ou após permanecermos mais um ano neste trabalho.

Por exemplo, se o problema for de saúde, nós devemos nos sentar, e exatamente no ponto em que estamos agora, começamos a nos conscientizar de toda a verdade que conhecemos sobre Deus e Sua creação infinita. Não esperamos até amanhã, não esperamos até conhecer melhor a verdade, até sermos mais espirituais ou mais merecedores. Sentamo-nos exatamente agora e usamos o pouco da verdade que conhecemos. Se não conhecemos mais do que aquilo, colocamos aquele pouco para funcionar. Tomamos tudo que dispomos da verdade e passamos a utilizá-lo. Sentamo-nos e ponderamos a verdade sobre Deus, a totalidade do Ser espiritual, a verdade que a ilusão não é poder, doença não é poder, pecado não é poder, e portanto, não podem causar nada. Este é o modo com que nós começamos a construir esta nova consciência da totalidade de Deus, a qual inclui a totalidade da saúde, a totalidade da harmonia, a totalidade da abundância, e o consequente "nada" de todo poder que ameace obstruir a operação desta Totalidade.

Se o problema for de suprimento, devemos imediatamente utilizar toda a verdade que conhecemos, pondo-a em ação executando tudo o que possa ser feito no momento. Pode acontecer de termos de começar com o trabalho mais humilde do mundo, mas isso não teria nenhuma importância – mesmo que ele não fosse remunerado. O que deve ser feito é nos mantermos ocupados com ele, conhecendo aquele grão de verdade, e continuando nele. Portanto, construímos uma nova consciência de atividade, de emprego, de renda e de tudo o que existe.

Do mesmo modo, se desejarmos um corpo cheio de vida, útil e ativo com o passar dos anos, não o conseguiremos simplesmente com a obtenção de um melhor corpo: podemos praticar exercícios, fazer dietas e construir um bom corpo físico, e até conseguir obter certa medida de longevidade, mais cinco, dez ou quinze anos. Mas no trabalho espiritual o nosso objetivo é outro. Nossa meta é atingir um sentido espiritual de corpo, uma consciência espiritual de corpo, de modo que esta consciência possa mantê-lo infinitamente, eternamente e harmoniosamente. Para isso temos de obter uma consciência de eternidade, de imortalidade e de perfeição corporal. O segredo da obtenção de saúde ou suprimento não está na obtenção da saúde ou suprimento em si, mas sim na obtenção da consciência de saúde e da consciência de suprimento.


A SUA CONSCIÊNCIA DA VERDADE SE TORNA A SUBSTÂNCIA DE SUA DEMONSTRAÇÃO

Percebeu agora como é importante a consciência? Aprender a mudar nossa consciência é realmente e verdadeiramente o objetivo do nosso trabalho, pois todas as forma discordantes de nossa experiência não passam de nossa consciência errônea de tudo aquilo que está aparecendo para nós. Tentar obter uma aparência melhor não resolverá o problema. Por exemplo, se você estiver morando numa casa que não é do seu agrado, mudar-se para outra melhor não será uma satisfação permanente. Não é essa a solução. A solução é adquirir, primeiramente, uma consciência melhor de casa; então uma casa melhor aparecerá.

Esse mesmo princípio é aplicável no caso de você estar insatisfeito com seu negócio, atividade ou profissão. Você deve obter uma consciência melhor, livre daquela insatisfação, e assim o bem desejado em si poderá ser experimentado.

Ficou claro? Você pode começar exatamente aqui e agora pela conscientização de que o segredo para a obtenção de algo está em se atingir, em primeiro lugar, a consciência daquele algo. Por que isto? Porque a consciência é Deus, e no momento em que você tem consciência de uma coisa, a consciência a cria, seja "ela" qual for – lar, companhia, suprimento, emprego, saúde, eternidade, imortalidade. Sua consciência a construirá. "Com toda sua posse tenha compreensão" (Provérbios 4: 10). Com todo seu poder, consiga uma consciência do bem, e então o bem se seguirá.

Assim que você adquirir a consciência daquele algo, ele passará a ser produzido por aquela consciência: a consciência se torna a substância de sua demonstração. Se pudéssemos contar-lhe que o que você foi ao nascer e o que determinou o seu aspecto foi o seu próprio estado de consciência, você poderia achar que tal fato é inacreditável que você nada tinha a ver com o assunto. Isto se deve ao fato de você acreditar que seu início foi no momento de seu nascimento, ou em alguns meses antes, mas a verdade não é esta. Você tem existido com Deus desde "antes que Abraão existisse", e portanto, o estado de consciência em que você se encontrava antes do nascimento foi a causa daquilo que você agora está demonstrando, e o estado de consciência que você conseguir no próximo ano ou nos próximos dez anos determinará a aparência do seu corpo, negócio, lar, relacionamentos familiares ou nacionais.

Você acredita realmente e verdadeiramente que é a sua própria consciência que governa a sua vida? Pode alguém duvidar? O ensinamento integral de 'O Caminho Infinito' está baseado na premissa de que a Consciência é Deus, e aquela Consciência, sendo universal, é a sua consciência individual. Daquele ponto de vista, você deveria possuir um corpo perfeito, um negócio perfeito, um lar perfeito, uma vida perfeita.

À medida em que você for se tornando mais e mais consciente da natureza infinita de sua própria consciência, o efeito irá aparecendo em sua experiência sob infinitas formas. Quanto mais a sugestão mesmérica ou crença universal numa egoidade apartada de Deus atuar em você, mais a sua demonstração será governada pela crença do mundo, em vez de sê-lo pela sua própria consciência infinita. Em uma época de depressão, se você encontrar-se sem trabalho, significa que você tornou-se vítima da crença mundial, em vez de demonstrar que as crenças mundiais não possuem poder algum sobre você, por ser a sua consciência a lei sobre o seu ser.

Isto de maneira alguma nega o que ensinam as escrituras. No Gênesis, foi dado a nós o domínio sobre tudo neste universo, desde o fundo do mar até as estrelas do firmamento. Também é certo que o ensinamento do Mestre não nos deixa ser vítimas de tiranos ou ditadores. Ele nos ensinou que não pode haver poder algum sobre nós, a menos que seja o do Pai, mas para demonstrarmos esta verdade nós precisamos ter a consciência dela. O simples fato dela ser verdade não realizará a obra: é a sua consciência da verdade que realiza a obra.

Cont...

6 comentários:

Silvano disse...

Escreve Goldsmith:
“o objetivo deste trabalho não é adicionar uma só palavra ao seu conhecimento intelectual da verdade, mas acelerar a expansão da consciência – o desenvolvimento da consciência divina como sua consciência individual.”
Há aqui um detalhe muito sutil que deve ser notado! Aquilo que É já É!...
Em outras palavras, Quem você É, você já É!
Quando Jesus disse: “Antes que Abraão existisse Eu Sou” ele não fez outra coisa senão revelar e compartilhar a percepção de sua real identidade divina e atemporal. Em outras palavras, ele manifestou a sua Consciência divina. Deve ser notado que ele não acrescentou nada a si mesmo, nem mesmo ele se tornou Quem revelou ser! Isto porque o “Eu Sou” que ele declarou ser é “Aquilo que É” e Aquilo que É já É!
Sendo a Consciência a Realidade do Ser, ou seja, “Aquilo que É”, não há outra realidade senão o próprio Ser Real, que é Aquilo ou Quem o Ser já É!
Por isso está escrito que Deus se revelou a Moisés como: Eu Sou o que Sou.
Não há referencial externo ao Ser, a Aquilo que É.
Por isso a afirmação é, ou parecer ser em certo sentido, tautológica.

Silvano disse...

Há outro detalhe ainda mais sutil e que deve ser notado: Aquilo que É já É! ...
Não, não há erro ou repetição! Há sim um outro sentido nesta revelação que deve ser apreendido! Consiste no seguinte: Aquilo que É não se torna o que É, pois, já É! Em outras palavras, nada há a ser acrescentado ou modificado ao que É, pois, o que É já É! A Consciência que você É... já É! E ela é infinita! É a própria Consciência infinita quem Se percebe; E que percebe ser infinita!
Por ser a Consciência o que “já É”, por ser divina, ela “já É” plenamente desperta e “já É” plenamente desenvolvida. Portanto, o propósito a que Goldsmith se refere com a expressão “acelerar a expansão da consciência – o desenvolvimento da consciência divina como sua consciência individual” fica ainda mais fácil de ser apreendido se a palavra “percepção”, que está implícita, for explicitada. Assim, a expressão fica sendo “acelerar a expansão (da percepção) da consciência – o desenvolvimento (da percepção) da consciência divina como sua consciência individual”
Por isso ao revelar que “Antes que Abraão existisse Eu Sou” Jesus estava compartilhando a percepção de sua real identidade divina, de sua unidade com Deus, com o Ser Real, com Aquele que É! Ele não estava acrescentando nada a si mesmo e nem estava pensando que fosse o “Eu Sou”. Jesus estava consciente, estava percebendo e compartilhando a percepção extremamente “expandida”; a percepção infinitamente “desenvolvida”! E este é o nível de percepção que Jesus ora a Deus para que todos os seus seguidores tenham!
“Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.” João 17:21

Silvano disse...

Não só o cristianismo, todos os ensinamentos espirituais não dizem respeito a tornar um indivíduo – cujo significado é indiviso - em quem não é. Eles são revelações divinas; são um convite e uma oportunidade a que um “indiviso” perceba a “consciência divina como sua consciência individual”, não no sentido de uma consciência separada, mas como uma “consciência indivisa”. Ou seja, que expanda ou desenvolva sua percepção de unidade com Aquilo que já É!
Por isso adverte Goldsmith que não basta que algo seja “verdade”, seja o que “já É”, ou seja, verdade! É preciso ter “a percepção” da verdade, pois, “O simples fato dela ser verdade não realizará a obra: é a sua consciência (é a sua percepção) da verdade que realiza a obra.”
Não basta que a verdade seja o que já É; é preciso “conhecer a verdade”, ou seja, é preciso “estar consciente” da verdade; “ter a percepção” da verdade!
Nas próprias palavras de Goldsmith, “Agora você poderá entender mais de perto aquilo que venho repetindo diversas vezes, que o objetivo deste trabalho não é o de lhe dar mais verdades além das que você já conhece. Estou certo de que você já conhece tudo o que há para ser sabido das palavras da verdade. Isso está amplamente disponível, não apenas em meus textos, mas em muitos outros.”
Como exemplos do que Goldsmith está dizendo:
Disse Jesus: “O reino de Deus está dentro de vós”;
Disse Masaharu Taniguchi: “O homem é Filho de Deus”
Há necessidade de alguma outra verdade além destas, para citar só duas?
Por isso sobre o ensinamento do Caminho Infinito Goldsmith enfatiza e diz: “Assim eu volto a dizer: o objetivo deste trabalho não é adicionar uma só palavra ao seu conhecimento intelectual da verdade”
Em conclusão, é a sua consciência (sua percepção) da verdade que realiza a obra.”
Desta forma, como sugere o título desse capítulo: “Adquira a percepção do Bem”!

Namastê.

Gugu disse...

Meu amigo, Silvano!

Que belo comentário! Muito específico, certeiro e acurado. Suas palavras fizeram referência a um ponto muito importante dentre todo o conteúdo do capítulo 10.

Ao comentar o capítulo 10, eu também fui levado a explanar sobre este ponto do "aceleramento ou desenvolvimento da consciência" (ou seja, percepção). E confesso que fui surpreendido por seu comentário, que antecipou o que ia ser explanado! Acredito que EU (Ser) quis antecipar o que eu (personagem) já havia escrito no comentário que está pra vir.

Portanto, já que o Universo assim quis, a fim de acrescentar ao que você escreveu, permita-me compartilhar o trecho do comentário ao capítulo 10:

"Goldsmith diz que um dos objetivos do Caminho Infinito é nos proporcionar o "aceleramento e expansão da consciência para desenvolver a consciência divina como a nossa consciência individual." Que significado tem essa "expansão ou desenvolvimento da consciência"? Será que essa "expansão" ou "desenvolvimento" implicam um processo linear, no qual o indivíduo tenta fazer com que uma "consciência não iluminada" passe a ser uma "consciência iluminada"? Seria buscar o aprimoramento de uma consciência iludida (que percebe o irreal) a fim de que ela possa finalmente perceber o real? Não. "Desenvolver" ou "expandir" a consciência não envolve um processo contínuo/linear, e sim uma total desconexão/descontinuidade entre os estados de consciência. Nenhuma espécie de ponte é possível entre uma "consciência ilusória" e a "consciência da realidade". A consciência ilusória é algo completo em si mesmo e, da mesma forma, a consciência iluminada também é uma consciência pronta, perfeita, completa e consumada, em si mesma. Em razão disso, "nada pode ser acrescentado" a uma consciência iludida para fazer dela uma consciência iluminada. Se houvesse algum caminho, alguma ponte, a realidade estaria ligada/conectada/unida à irrealidade, e ambas fariam parte de uma mesma existência. Por isso, quando Goldsmith afirma que "o objetivo do Caminho Infinito é proporcionar o desenvolvimento ou expansão da consciência", o significado disso é o de que o estudante deve ter a capacidade de dar um salto de uma "consciência iludida" diretamente para a "consciência iluminada". É um salto imediato, súbito. Este "saltar" significa: em determinado instante (antes de meditar) o indivíduo se vê num estado de consciência que não percebe a presença do Reino de Deus; e, no instante imediato (ao meditar), ele passa a se ver em um estado de consciência em que o Reino de Deus é realidade-sempre-presente (e nesse estado iluminado de consciência, o Reino de Deus sempre esteve presente!). Esse é o salto requerido – um salto quântico – onde "tudo é, sem jamais ter sido", onde "tudo muda, sem nada ter mudado".

Namastê!

SERgio disse...

Beleza...

"Aceleramento, expansão, desenvolvimento" (sem esse esclarecimento de "percepção") a princípio poderia dar a entender mesmo que houvesse uma espécie de evolução,como se fosse possível "alguém se iluminar". Quem seria esse "alguém" se só há a Presença Única-Infinita?

O termo "des-envolver (eliminar o invólucro ilusório) até poderia ser empregado neste modo de usar a "letra da verdade".

Até o "salto quântico" (os conceitos são deficientes) daria a entender que haveria alguém para da-lo... O que É,já É!(como foi citado)

Não há nada que possamos fazer para Ser(mos) o Que já 'somos'. Não podemos praticar o que já É,O Eu Sou. No máximo colocar a atenção na Atenção (na Observação Impessoal)...

E o "dar-se conta" ,quando acontece, é uma "escolha",por assim dizer, da própria Consciência, que na essência original é o EU que Eu Sou.
O Eu indiviso.

Namastê!


Gugu disse...

Perfeito, SERgio!

A capacidade que a pessoa tem de perceber DE IMEDIATO a Presença de Deus em tudo e em todos, AQUI e AGORA, é o que pode ser chamado de "expandir", "acelerar" ou "desenvolver" a consciência.

A medida que a pessoa vai aprendendo a "relaxar" (que nada mais é do que deixar de lado a mente que vê "ilusão" para perceber presença sempre constante da Mente que vê aqui e agora a realidade divina) é o que pode ser chamado de "desenvolvimento da Consciência".

Parece coisa paradoxal... mas só o é para a mente humana que tenta conceber/compreender Aquilo que não pode entender (e que jamais irá compreender!)

Grato por seu comentário!
Grande Abraço! _/\_