"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

sábado, outubro 01, 2011

Comentários sobre o Capítulo "Deus", de Joel Goldsmith




O capítulo "Deus" do livro "As Palavras do Mestre", de Joel Goldsmith, é um dos mais profundos do livro. Em julho do ano passado, eu o transcrevi e publiquei no blog e agora o republico de novo. Você pode lê-lo clicando aqui e aqui. Hoje quero tecer comentários sobre este capítulo importante.

"Nunca se esqueça que é um absurdo tentar espiritualizar um homem mortal ou criar Deus num ser humano". O Espírito do Cristo não está manifestado materialmente ou tridimensionalmente. Deus "aparece como", ou seja, Deus se manifesta, mas não neste plano fenomênico. Quando Goldsmith diz que "Deus aparece como", isto quer dizer que Deus está "aparecendo como" no âmbito do "Meu Reino", que é invisível aos olhos tridimensionais. O "Meu Reino" existe no Infinito Invisível, e este é o âmbito onde "Deus aparece como". Isso deve ser percebido interiormente, e essa visão só pode ser discernida espiritualmente. A comunicação ocorre de Espírito para Espírito, pois somente o Espírito (a Consciência do Ser que somos) percebe o Espírito e as idéias espirituais. Portanto, não é no mundo fenomênico que "Deus aparece como". No âmbito do fenômeno Deus não "aparece como". O fenômeno não é um plano real, por isso Deus não pode estar "aparecendo como", aqui. Mas Ele pode estar refletido e, quando assim ocorre, surge no plano fenomênico uma imagem boa e harmônica.

"Aparecer como" e "estar refletido" são coisas completamente diferentes. "Deus aparece como" não significa dizer que Deus estava ausente e de repente apareceu. A palavra "aparecer" é usada não para indicar um surgimento ou acontecimento, mas para indicar um estado eterno e permanente. "Deus aparece como" significa que Deus está manifestado como uma idéia divina. Ele está eternamente manifestado "como", sem jamais mudar. Se é dito que "Deus aparece com o ser individual", significa que, no âmbito da Consciência do Ser, Deus está eternamente manifestado como o ser individual. A pessoa que corretamente discernir "Deus aparecendo como" poderá constatar que o efeito disso, no mundo visível, será o aparecimento do reflexo harmônico, reflexo esse que estará simbolizando aquele estado de consciência. Portanto, Deus não aparece diretamente no mundo; mas ele aparece indiretamente, como reflexo. É no âmbito da Consciência do Ser que Deus aparece DIRETAMENTE. Esse é o sentido correto que deve ser discernido (interiormente) ao lermos por Goldsmith ao dizer que "Deus aparece como".

Isso é confirmado pelo autor, na pág. 79-80, quando ele diz:

"Esse ensinamento não é fatalista, não é uma aceitação resignada de que: 'O que quer que aconteça, foi Deus quem quis' ou 'Eu aceitarei o que Deus me mandar'. Tal atitude é a dualidade ou duplicidade. Este caminho é a afirmação e a reafirmação das grandes verdades:


"Eu e o Pai somos um." (João 10:30);
"Todos os meus bens são teus." (Lucas 15:31);
"O lugar onde estás é solo sagrado." (Êxodo 3:5).


Deus está sempre Se plenificando como a nossa experiência individual. Então, nessa consciência, podemos dizer: 'Deixe a Verdade se manifestar, como Ela faz, já que a Sua vontade está só na natureza da sabedoria infinita e do amor divino'. Você vê a diferença? Existe um Deus. Deus é. A harmonia é. Não podemos criar essa harmonia com o nosso pensamento; mas, através do pensamento, podemos nos tornar cientes do fato de que Deus é a lei infinita, de que Deus é o princípio infinito e divino, sempre Se expressando como a harmonia, a sabedoria, a inteligência e o amor de nossa experiência."

É no âmbito dessa Consciência que a Verdade se manifesta diretamente como "a harmonia, a sabedoria, a inteligência e o amor em nossa experiência". No mundo, quando muito, ela aparece pela via indireta, como imagem refletida; e, nesse estudo, o mundo não merece tanto a nossa atenção. Portanto, o reconhecimento interno é o essencial. Goldsmith está dizendo para tirarmos a atenção das coisas (imagens) do mundo, quer sejam boas ou más.

Ainda, na pg. 78, ele diz: "Nada que aparece no mundo dos efeitos é de nosso interesse", "Há só a percepção de que Deus, como minha consciência, está aparecendo para mim todo o tempo, em toda forma necessária para a minha experiência". Quer lugar é este onde "Deus está aparecendo para mim o tempo todo em toda forma necessária para a minha experiência"? É no mundo externo? Não. No mundo externo só aparecem imagens refletidas, por isso lá Deus não está "aparecendo como". Deus está "aparecendo como" na própria Consciência Divina que Eu Sou e, se isso for percebido, a imagem hamônica será automaticamente refletida/formada no mundo dos efeitos.

Na pág. 79, ele continua: "Já que Deus guia o meu ser de uma forma divina, então minha experiência está sempre expressando o amor, a perfeição, a harmonia ou o bem divinos. Já que Deus é o bem infinito e tudo o que o Pai tem é meu, esta infinitude do bem está se expressando como a minha experiência." Reflitam: em que âmbito Deus está guiando o nosso ser de forma divina? Quando ele diz "esta infinitude está se expressando como a minha experiência", em que plano está ocorrendo isso? Não está falando da nossa experiência no mundo. Tudo o que é real ocorre somente na Consciência do Ser, em Deus; portanto "nossas experiências" só podem estar ocorrendo em Deus. "Em Deus vivemos, nos movemos e temos o nosso ser" (Atos 17:28). Goldsmith não leva em consideração o mundo fenomênico, a não ser como um efeito, ou seja, um (pálido e fugaz) reflexo da Consciência.

No âmbito da Consciência do Ser, Deus está aparecendo como amor infinito, bem absoluto, sabedoria absoluta, provisão ilimitada, e nos enche de bênçãos. O mal não existe. Aqui, no âmbito de Deus, o Jisso, não existe a crença no bem e no mal, mas existe tão somente o Bem absoluto. Esse discernimento interno (Meu Reino) deve levar em consideração toda essa Infinitude de Deus.

Na pág. 81-82, Goldsmith segue explanando: "Quanto maior a percepção de Deus você atingir, maior o grau de coisas e pessoas agradáveis aparecerão no seu mundo exterior. Essas coisas e pessoas serão a sua própria consciência aparecendo (refletidas) a você.", "Busque essa consciência de Deus e faça dela uma percepção sempre crescente", "A consciência de que Deus é a realidade do nosso ser dissipa toda condição que leva ao pecado, à doença e à morte."

Feitas essas considerações, passemos ao tópico "Deus se manifesta Ensinando, Curando e Salvando" (pág. 82).

Goldsmith diz: "A Consciência é infinita. A consciência se manifesta como um ser individual (o seu ser, o meu ser)". Goldsmith não está falando isso com base em avaliação no mundo fenomênico. Ele não está falando que a Consciência infinita está aparecendo como "personagens fenomênicos", ou seja, o "personagem" não é o ser individual a que Joel Goldsmith se refere. O ser individual é um ser espiritual que está vivo não no mundo físico, mas na própria Consciência do Ser. Os personagens existem no mundo, por isso não são reais, a não ser para a mente. Deus não está aparecendo como "personagens" (mas se os personagens existem, ou parecem existir, é porque antes de tudo isso existe Deus). Se tivermos de levar em consideração o personagem, diremos apenas que "Deus está sendo refletido" ao invés de "Deus está aparecendo como". A Consciência se manifesta como um ser individual no Reino Infinito da própria Consciência, e somente lá.

"Deus está Se revelando a você, dentro de você, de uma forma individual [...]". Isso está ocorrendo no próprio âmbito de nossa Consciência. A Consciência (universal) do Ser é (se manifesta como) a nossa Consciência individual. O Infinito inteiro está se manifestando como a Consciência individual que somos. Significa que o Infinito, o Universal, se manifesta como cada Consciência individual e ao mesmo tempo se aloja/se coloca por inteiro dentro de cada uma dessas Consciências individuais. Cada Consciência individual (a sua e a minha) tem o Infinito inteiro contido em si. É com base nisso que Goldsmith é capaz de afirmar que a Consciência individual é a mesma Consciência Infinita Universal que se manifesta como ela (consciência individual). A nossa Consciência individual e a Consciência do Ser são a mesma e a única Consciência. Quando ele diz que Deus está se revelando "dentro de você", a palavra "dentro" quer dizer a própria Consciência do Ser.

Seguindo (pág. 83): "Você está levando em sua consciência a manifestação de Deus, de Seu próprio ser como quem ensina, cura, supre, protege e salva. Quer Ele apareça dentro de você como a idéia de alguma personalidade do passado, do presente ou do futuro; quer Ele apareça a você como um professor ou um ensinamento exteriorizado; quer Ele apareça a você como uma posição ou um investimento, por favor, lembre-se disso: Deus é onipresente em sua consciência como forma individual, como individualidade individual. Em todas as horas e em todos os lugares, Deus está presente dentro de você como o seu professor, como o seu ensinamento, como o seu companheiro, como todas as suas coisas desta existência."

O "professor" ou o "ensinamento" que aparecem (exteriormente) para você não são aparições em si mesmos, pois nada são em si mesmos (ou seja, são meros reflexos). O "professor" e o "ensinamento" são Deus se manifestando em sua própria consciência como uma idéia divina. Ele sempre está presente em sua consciência esperando o reconhecimento, e Ele sempre estará lá MANIFESTANDO qualquer forma que seja necessária, até o ponto em que você queira reconhecer a manifestação de Deus como uma idéia divina dentro de você e não tenha medo de que a Idéia divina apareça para você de alguma forma que você não tenha vivenciado até agora.

É no âmbito da Consciência do Ser que Deus está manifestado. Deus não está "aparecendo como" no mundo visível. É na Consciência o lugar onde todas as idéias existem e todas coisas estão acontecendo. Ênfase nisso: todas as coisas! O professor, o mestre, o ensinamento, a cura, a proteção, o suprimento... até mesmo as experiências da nossa vida estão se dando no âmbito da Consciência do Ser. Não vivemos no mundo como "personagens", mas vivemos em Deus. Quando nos movemos ou caminhamos, não o fazemos no mundo, mas em Deus. "Em Deus nos vivemos, nos movemos, e temos o nosso ser". Jamais ser algum caminhou no mundo, mesmo que pareça caminhar. Igualmente, todas as nossas experiências estão sendo vividas em Deus. É preciso mudar o foco, trocar o referencial dos acontecimentos . Sempre associei a palavra "manifestação" ou "materialização" ao mundo exterior. Só que, através dos estudos e das meditações, sou levado a perceber que é errado assimilar essas palavras com o mundo visível. Dizer que algo se manifestou ou materializou no mundo visível é o mesmo que dizer que alguém "caminhou, viveu e teve seu ser no mundo visível". No mundo visível não se manifesta nada, nem se materializa nada. Essa visão é errônea. Todos os acontecimentos e atividades ocorrem na Consciência do ser, inclusive as manifestações e materializações. Por tanto, tudo ocorre dentro. "O Reino de Deus está dentro de vós".

"[...] essa consciência, que é conhecida como Jesus Cristo, Krishna ou Buda (essa consciência que é conhecida como alguma grande luz ou personalidade religiosa e espiritual), está onipresente dentro de você e pode aparecer a qualquer momento em que você abra a sua consciência. Pode tomar a forma de palavras ou pensamentos."

Tudo o que ocorre, ocorre na Consciência do ser. Tudo o que existe, somente existe na Consciência do ser. Realizar isso significa ter discernimento espiritual. Mas se associarmos os acontecimentos e as coisas como existentes no mundo visível, então não haveremos de falar em percepção espiritual, porque a percepção será a do personagem, que é mental.

Propositadamente, ao escrever este texto, eu praticamente desprezei a existência fenomênica, e me neguei a estabelecer qualquer forma de "vínculo" entre "pessoas", "acontecimentos", "aparições", "manifestações", "materializações" com o mundo visível. Disse que jamais algo aparece no mundo visível, porque toda aparição se dá somente no reino da Consciência. Essa radicalidade é o que permite o acesso à essa percepção espiritual que foi obtida pelos místicos através de Revelação. A percepção deve ater-se estritamente ao Espírito. A Bíblia diz "Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ela. Que estreita é a porta, e que apertado o caminho que leva para a vida, e que poucos são os que acertam com ela"( Mateus, VII: 13 e 14)". Qualquer afastamento do Espírito, o mínimo que seja, atira-nos diretamente para o reino da mente, fazendo-nos cair na percepção da mente do personagem.

A percepção espiritual requer interiorização. Goldsmith diz (pág. 84): "Deus pode aparecer a você individualmente: Deus pode parecer a você dentro de sua própria consciência como aquele que ensina, cura, salva, direção, sabedoria e orientação.", "Quanto maior o grau de desenvolvimento você atingir neste trabalho, maior será a revelação interior de uma natureza individual vinda a você. Você receberá a sua manifestação individual de Deus e Deus aparecerá a você de uma forma individualizada."

Jamais esperemos que isso se dê no reino visível! Mas se reconhecermos que tudo isso está ocorrendo na Consciência do Ser EXATAMENTE AGORA, então surgirá no mundo visível uma imagem condizente com essa percepção. Tal imagem será tão somente um reflexo, uma projeção (como ensina a Seicho-no-Ie).

Página 84: "O propósito desse ensinamento é tornar Deus visível e real para você, individualmente, como uma experiência viva.". Deus não poderá se tornar visível e real para nós enquanto não nos libertarmos da crença (mental) que diz que a vida está acontecendo neste mundo dos personagens. No mundo dos personagens não há vida alguma, porque toda Vida está em Deus. Agora se atente perceber a sutileza disto: Este mundo dos personagens não é o mundo visível. Visível é somente o mundo de Deus. Atribuir visibilidade ao mundo fenomênico é o mesmo que atribuir a ele "manifestações" e "materializações". Compreendendo-se isso, Deus se torna visível e real.

Página 85: "Podemos viver, mover-nos e ter o nosso ser na consciência de Deus vinte e quatro horas por dia", "O propósito e a mensagem do 'Caminho Infinito' é fazer de Deus uma realidade viva, a fim de que você, ao fechar os olhos ou abrí-los, tenha sempre a sensação e o sentimento dessa Presença divina orientando, conduzindo, dirigindo e instruindo você."

Essa meta é do mesmo significado das palavras de Cristo: "buscai primeiramente o reino de Deus e as coisas de Deus, e tudo o mais vos será acrescentado."



3 comentários:

guiomar fagotti motolo disse...

eu me alegro muito por ver que há pessoas que se importam c/ os outros e tem a grata satisfação de mostrar a todos os que querem e procuram o conhecimento da verdade que nos liberta isso p/ mim é o perfeito remédio que todas as pessoas deveriam receber. pois o nosso mundo muda totalmente quando cremos e praticamos estas verdades que são dádivas do nosso PAI amoroso

Gugu disse...

Amém, Guiomar!

E eu sempre me alegro em ver aumentando o número de pessoas sintonizando e buscando conhecer essas verdades. De fato, muitas coisas no mundo são importantes, mas não há nada mais importante do que buscar o autoconhecimento e a espiritualidade do despertar, da unicidade.

Grato por suas palavras.
Grande abraço!

Anderson Thunder disse...

Onde encontro grupos que reunem com esta visâo?
pranesio@gmail.com