"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

sexta-feira, janeiro 26, 2018

Agradecer a Deus porque já somos saudáveis!

- Masaharu Taniguchi -


AGRADEÇAMOS A DEUS ADMITINDO QUE JÁ SOMOS SAUDAVEIS.

Se um doente não consegue recuperar a saúde, é porque está agarrado à idéia de que está doente. Se os diversos métodos de terapia, as orações e a leitura de livros sagrados não surtem efeito, é porque ele pensa: “Preciso me curar porque estou doente.” Dessa forma, ele está agarrado á idéia “porque estou doente” e está lutando contra ela. “A doença não existe” – isto é a Verdade, é o Jissô. Se queremos despertar em nós esse Jissô saudável, não devemos ficar mantendo a ideia “porque estou doente”. Assim, não conseguiremos firmar a ideia de que a “doença não existe”. Se abandonarmos a ideia “eu estou doente” e a substituirmos pela ideia “eu sou saudável”, a doença será curada.

Então, como faremos para consegui-lo? Para isso, devemos agradecer a Deus, admitindo que já somos saudáveis e que fomos criados perfeitos. Tomemos a postura de Shinsokan e agradeçamos a Deus da seguinte forma: "Deus é o todo de tudo, é Vida de Deus, sabedoria de Deus e amor de Deus. E eu, não fugindo à regra, também sou preenchido pela Vida perfeita, sabedoria perfeita e amor perfeito de Deus. Por isso, tenho saúde perfeita. Realmente, tenho saúde perfeita. Obrigado, Obrigado. Realmente, agora tenho saúde perfeita. Obrigado, Obrigado...".

Estas palavras de agradecimento, ditas com a real sensação de que somos saudáveis, têm força para afastar o pensamento "quero me curar porque estou doente". É bom repetirmos mentalmente várias vezes o último trecho, com emoção, até que se crie essa sensação dentro de nós: "Realmente, agora tenho saúde perfeita".



4 comentários:

Anônimo disse...

O problema é conseguir a sensação de ser saudável; na verdade, se conseguir a sensação, nem precisa dizer palavra alguma, nem mesmo de agradecimento.

Talvez a palavra devesse ser valorizada para estimular o surgimento de uma sensação, um sentimento, não para manifestar tais coisas, pois uma vez conseguidos os sentimentos, as sensações, as palavras são desnecessárias.

Gustavo disse...

É verdade!

O sentimento é mais importante do que entoar palavras.
Mas acredito que as palavras também cumprem um papel importante, apesar de ser secundário neste caso. Palavra (pensada ou falada) possui poder de atração e concretização da ideia que está sendo transmitida através da palavra.

Grato por seu comentário.
Reverências!

Anônimo disse...

Gostei muito da mensagem.
Eu gostaria de saber em qual livro se encontra esse texto para que eu possa ler a obra toda. Obrigado.

Gustavo disse...

Olá!

Eu não me lembro de qual livro este texto foi retirado.
Há tempos esse texto estava guardado em um acervo de textos que eu tenho no computador. Eu não consigo me lembrar.

Mas eu arriscaria dizer que ele deve estar contido em algum dos volumes da coleção "A Verdade da Vida", pois quase todos os textos de Masaharu Taniguchi que publico no blog são dessa coleção, que considero a mais importante dentre todos os livros que podem ser encontrados na Seicho-No-Ie.

Se você quer se aprofundar no conteúdo deste texto, então eu sugiro a leitura do volume 8 da coleção "A Verdade da Vida".

Reverências!