"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

quarta-feira, outubro 15, 2014

A Experiência de Deus

 Capítulo 19 

A EXPERIÊNCIA DE DEUS

Todo o universo é infinitamente perfeito agora. Todos os seres já são infinitamente perfeitos agora. Todos os acontecimentos estão se manifestando em harmonia perfeita agora. Só existe o universo espiritual perfeito. Só existe o agora. Nada há para ser corrigido ou melhorado.


Toda a humanidade já é iluminada

Deus é a totalidade de tudo que existe. Quando falamos de "princípios de cura espiritual", nosso objetivo, com eles, é unicamente este: aquietar a "mente humana", que atua hipnoticamente sobre nós, para podermos "ter" A EXPERIÊNCIA DE DEUS.

Experiência de Deus pode ser considerada como sendo a própria cura espiritual, pois, na Presença Divina, a Harmonia sempre já É! A pessoa interessada no aprendizado da "cura espiritual" deve compreender com clareza este ponto: não será "ela", humanamente, a realizadora da chamada cura pelo emprego dos princípios que temos apontado: A CURA É A ESPONTÂNEA EXPERIÊNCIA DE DEUS, jamais obtida com artifícios humanos, mesmo sendo eles artifícios com objetivos espirituais.

Na verdade, como já comentamos anteriormente, não existe realmente a personalidade humana desejosa de realizar uma cura espiritual. O que há, portanto, é uma ILUSÃO, uma ilusória CRENÇA em dois poderes, ou em duas presenças, quando, na verdade, o que de fato existe é a ONIPRESENÇA! 

Deus é a totalidade de tudo que existe! A chamada "pessoa desejosa de curar" não passa de um componente deste filme ilusório projetado pela "mente humana". Também a "pessoa-paciente, que deseja a cura, é outra integrante do mesmo filme falso. Devemos, portanto, levar em conta o filme ilusório como um TODO. Fazendo uma analogia, é como se víssemos, pela TV, uma cena de novela, e fôssemos, não melhorar ou curar algum personagem do enredo, mas sim DESLIGAR a tomada do aparelho para fazer sumir a cena toda.

Enquanto estivermos na fase de aplicação dos princípios, não estaremos no campo da cura espiritual propriamente dita. Os princípios atuam na parte mental --mente humana--, como ponto inicial de apoio e como argumentos que contrariam os condicionamentos dessa mente, que aceitavam erroneamente a existência de dois poderes. Com a aplicação destes princípios, de uma maneira tranqüila e serena, sem esforços mentais, perceberemos a "mente humana" ir se aquietando até ser experienciado o SILÊNCIO INTERIOR, sempre presente. Sim, experienciado, e não obtido. Este Silêncio, esta condição interna de Paz profunda, sempre esteve, está e estará existindo em nós! Este Silêncio é a "Minha Paz", o estado de Ser, o estado de percepção de que "EU SOU", de que TODA A HUMANIDADE JÁ É ILUMINADA.

A Experiência de Deus é nossa própria Autodescoberta; a percepção de nossa identidade única e verdadeira como sendo o Cristo: Deus aparecendo individualizado COMO cada um de nós!

Diante desta "percepção", o "mundo ilusório" se revela como "nada", e Deus é percebido como a TOTALIDADE de tudo que existe. Em outras palavras, é o cumprimento, em nós, das seguintes palavras bíblicas: “Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória” (Colossenses 3; 4).

Com a "Experiência de Deus", Deus é infinitamente contemplado como todo o Universo e como cada manifestação nele contida. Fica discernido o fato de que TUDO E TODOS JÁ SOMOS ILUMINADOS! Todos os textos, autores e cursos sobre a Verdade são relegados a segundo plano. Por quê? Por causa desta nossa EXPERIÊNCIA! A EXPERIÊNCIA DE DEUS! Com ela, descartamos a necessidade de teorias ou argumentações. Estas páginas são escritas unicamente para motivar cada leitor a se dedicar, de corpo e alma, a "perceber" esta Experiência de Deus em si mesmo! EXPERIENCIAR DEUS! EM SI MESMO! ESTE É O OBJETIVO ÚNICO!

Experiência de Deus comprova os princípios

Os princípios de cura, aqui apresentados, não existem apenas para serem lidos e arquivados na mente humana como um conhecimento a mais. Se isso ocorrer, a falsa aparência do nosso "Eu" correrá o risco de se julgar "iluminada", ou seja, poderá ocorrer o "endeusamento do ego", e tal presunção absurda somente dificultará o RENASCIMENTO, que constitui a Experiência de Deus em si. Os princípios devem ser conhecidos e APLICADOS corretamente, ou seja, conscientemente.

a) Impersonalização do erro: Devemos "isolar" o erro, o suposto mal ou problema da pessoa. O chamado "mal" jamais está na pessoa. Ela, em todos os casos, estará sendo sempre o Cristo! O "mal", portanto, está na "mente carnal coletiva", um "quadro hipnótico coletivo", que em nada se relaciona com a pessoa.

b) nadificação do erro: O "hipnotismo coletivo" (mente carnal) não constitui real adversário de Deus. Deus é a única Presença e o único Poder. Assim, as "formações mentais" a nós sugeridas pela "mente carnal" são AUSÊNCIAS, puríssimo NADA, sem qualquer poder para criá-las ou mantê-las. São ILUSÃO! Jamais devemos "combater o mal". Mas devemos "nadificá-lo", isto é, devemos perceber internamente que "aquilo" é NADA, não-existente, "vazio". O "nada" não possui pessoa alguma sobre a qual pudesse atuar!

Desse modo, "isolando" todo o cenário humano -- visto de forma global -- com todos os seus integrantes (incluindo também o conceito humano referente ao nosso "eu"), iremos "impersonalizar" e "nadificar" o quadro todo. Isso feito, "perceberemos" a EXPERIÊNCIA DE DEUS! A Experiência de estarmos vivendo nossa REAL IDENTIDADE! Veremos a comprovação de todos os princípios estudados.

Experiência de Deus elimina os complexos de inferioridade e de superioridade

Com a "Experiência de Deus", mesmo que a pessoa volte a se envolver com as crenças hipnóticas da "mente carnal", jamais ela voltará à condição de antes, aparentemente falando. Os complexos de inferioridade (ser alguém diferente de Deus) deixarão de operar sobre ela da forma intensa com que o vinha fazendo antes. A EXPERIÊNCIA DA REAL IDENTIDADE PERMANECE REGISTRADA NA MENTE! Terá, então, enorme facilidade em eliminar os complexos de inferioridade e os sentimentos de culpa e autocondenação. A partir daí, adquirirá o hábito de rapidamente descartar as "sugestões ilusórias" apresentadas pela "mente carnal" a respeito da existência de alguma pessoa apartada de Deus. Com isso, a pessoa se livrará também dos ilusórios "complexos de superioridade" que a fariam crer ser "mestre de alguém", ou ser "pessoa iluminada vivendo entre a massa em ilusão". A EXPERIÊNCIA DE DEUS REVELA TODA A HUMANIDADE JÁ ILUMINADA, facilitando-nos "contemplar o Cristo" em cada pessoa que encontrarmos. A EXPERIÊNCIA DE DEUS REVELA QUE ESTE MUNDO VISÍVEL, TAL COMO APARENTA SER, É NADA!

A Experiência de Deus não pode ser explicada ou traduzida por palavras. Aprendamos, pois, a "praticar o Silêncio"; dediquemo-nos a humanamente "falar menos”, para podermos discernir a "suave Voz silenciosa" vinda de nós mesmos! De nossa Consciência Iluminada! De Deus sendo o nosso ser!

Cont...

[caminhoinfinito.jpg]

2 comentários:

Anônimo disse...

Considerando as sugestões ilusórias da "mente carnal", é "fato" que a Experiencia de Deus só ocorre quando "descemos ao fundo do poço"?

Gugu disse...

Olá!

"Descer ao fundo do poço" não faz, necessariamente, com que o indivíduo tenha uma experiência transcendental. Muitas vezes a "descida ao fundo do poço" faz com que a pessoa volte-se para a busca de Deus. Isso porque a pessoa sente que a vida somente será "colocada de volta no lugar" se ela encontrar um ser ou força superior.

Pode ser que a pessoa chegue em um poço tão fundo, a ponto de ter suas crenças, condicionamentos e realidade completamente despedaçados. O mundo da pessoa desaba completamente e ela se sente totalmente sem chão, como se nada restasse. Uma experiência assim causa um impacto tão grande que a mente simplesmente pára. De repente tudo o que há é quietude, silêncio e espaço. Quando isso ocorre, ela pode, sim, ter uma experiência transcendental ou mística.

É assim que inúmeras pessoas encontram um caminho espiritual e compreendem, por fim, a importância de buscar algo de natureza Superior. A vida ensina o ser humano pelo amor ou pela dor. E na maioria das vezes o homem segue o caminho que leva a dor.

Mas a Experiência de Deus ocorre mesmo quando quer que haja silêncio, quietude e espaço. Pode ser pela via do sofrimento. Mas também pode ser pela via do treinamento espiritual: compreensão, devoção, oração, meditação, etc.

Namastê!