"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

quinta-feira, março 25, 2021

Nova Luz sobre a Lei Cármica (Goldsmith)

- Joel S. Goldsmith - 


Embora o Caminho Infinito lance toda uma nova luz sobre o ensinamento do carma e da lei cármica, poucos estudantes percebem a diferença entre a abordagem tradicional e essa nova luz, a qual ensina que, quando você se eleva além da consciência humana até a consciência espiritual, não há lei cármica, não há lei de causa e efeito, não há lei segundo a qual você colherá o que semeou. Essas são superstições da mente humana, são crenças criadas pelo homem.

A lei de colher aquilo que semeamos, a lei cármica, atua somente no nível humano da consciência. Não existe lei cármica na dimensão espiritual da consciência.

Ora, já vimos a lei cármica ser anulada várias vezes. Toda vez que uma doença infecciosa ou hereditária foi vencida por tratamento metafísico (espiritual), a lei de causa e efeito foi anulada, e assim ficou provado que, na verdade, não existe tal lei. Na consciência espiritual não existe lei de doença, nem lei de causa e efeito, nem lei de colher o que plantamos.

Mas, embora em certa medida todos nós estejamos sob a lei cármica, ela não é o fundamental na minha vida ou na sua, porque, na medida em que a Graça de Deus nos toca, nós nos libertamos dela. Sofremos menos infecções e contágios, menos depressões, menos mudanças negativas no sistema político e econômico. Em certa medida, aqueles que avançaram no desenvolvimento espiritual a ponto de ler este livro (!!!) estão sob a Graça, mas, mesmo que não tenham atingido a plenitude de uma vida pela Graça, cada um deve, a esta altura, saber como vencer os efeitos da lei cármica.

Se alguém nos procura doente por causa da ação de uma lei material de um ou outro tipo - através de pecado, falsos apetites ou falso desejo - a maioria de nós sabe que, quando nos retiramos para o nosso interior e tocamos o Espírito, libertamos aquela pessoa, que é então curado de resfriado, tuberculose ou câncer, de alcoolismo, jogo ou toxicomania, ou mesmo de deformidades físicas.

Sofrer é resultado da violação da lei cármica, e se, através de seu estado iluminado de consciência, você é capaz de libertar uma pessoa, então você anulou a lei cármica. Pela Graça, por ser tocado pelo Espírito de Deus, você afastou aquela pessoa da penalidade da lei. Toda vez que você é um instrumento através do qual ocorre uma cura, toda vez que uma pessoa toca sua consciência e consegue liberdade em alguma medida, toda vez que alguém é curado de doença pela qual sofria por violação da lei, sua percepção da Graça Divina liberta-o dos efeitos da lei cármica. Toda vez que você faz com que o Poder de Deus influencie a experiência de alguém que pecou e, no sentido humano, está sofrendo a punição, ele é libertado dos efeitos de seus próprios pecados pela Graça.

Ao lidar com um paciente, eleve-se muito acima da tentativa de saber se ele está colhendo da carne ou do Espírito.  Na realidade, você precisa deixar seu paciente em paz. Você não pode levá-lo para dentro de seu pensamento. Para você, não deve fazer diferença se está tratando um santo ou um pecador, se está tratando uma pessoa com resfriado ligeiro ou nos últimos estágios do câncer. Você precisa esquecer tudo isso e, em seu interior, elevar-se acima de causa e efeito até alcançar, em seu interior, aquele Reino de Deus. Então o Cristo toma conta e aquele Espírito de deus, o mesmo Espírito que ressuscitou Lázaro dentre os mortos vivificará seu corpo mortal, assim como o de seu paciente ou estudante.

Alguns de nós testemunharam esse Poder da Graça em seu trabalho nas prisões. Vimos prisioneiros sendo punidos por coisas pelas quais humanamente deviam ser punidos, mas, quando algum impulso os levou a procurar Deus, foram beneficiados por livramento condicional, perdoados ou de alguma outra maneira livrados da sentença que lhes pesava sobre os ombros. A lei cármica tê-los-ia mantido sujeitos a seus crimes e, de acordo com a justiça humana, eles teriam cumprido todo o tempo de sua sentença na prisão. Mas não de acordo com a Lei Divina de perdoar setenta vezes sete, de não-condenação. A Graça transcende a lei.

Quando os necessitados o procuram, é fácil ver que a lei de causa e efeito está atuando. Vem então a sua parte de libertá-los e ser libertado. 

Embora, como ser humano, você esteja submetido à lei, após reconhecer que só sofre por causa da aceitação universal da lei cármica, você deixa de lado a lei. Mas como fazer isso? Reconhecendo que a lei de causa e efeito não é poder, somente a Graça é Poder! A lei atua em nível de crença, então a violação da lei também é apenas uma crença.

No momento em que você percebe que vive pela Graça, a tentação de fazer alguma coisa de natureza imprópria - mentir, roubar ou cometer outros crimes - desaparece. Quando você compreende não viver só de pão, por que furtar pão? Quando entende que não vive só por dinheiro, por que ser avaro?  No momento em que percebe que não obtém satisfação  do mundo exterior sob a forma de suprimento, prazer ou companhia, você está sob a Graça e você está livre.

Se mantém alguém sujeito à lei do carma, você também se sujeita. Se o libertar, você também se liberta, porque só existe um 'Eu". O que você faz a outrem volta a você; o pão que lança às águas volta a você. Você sofre apenas porque está se mantendo sob a lei de causa e efeito, mas pode caminhar sobre as águas da vida, na compreensão de que, como Filho de Deus, não está mais sujeito à lei, porque vive sob a Graça. Toda vez que uma discórdia entrar em sua experiência, simplesmente sorria: "sim, isso ainda é uma parte da lei, mas eu estou sob a Graça, e a lei não é poder. Essa lei não prende o Filho de Deus".

"Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida" - "Eu" sou a Lei! Até estar livre em sua verdadeira identidade, haverá leis atuando em você; mas elas não são leis de Deus, são leis criadas pelo homem.


4 comentários:

Anônimo disse...

Este é um texto muito bom, muito esclarecedor. As vezes, por um tempo, é difícil aceitar a Graça em vez da Lei. Não faz sentido, nossa mentalidade humana quer a lei até a gente compreender, pelo menos um pouco, o que diz esse texto.

Eu precisei muito desse esclarecimento por um tempo. Era muito aferrado ao "carma", à reencarnação, à justiça, enfim, à Lei. Depois entendi.

A Lei é "olho por olho, dente por dente", e até nisso há amor, aos amorosos. É muita justiça, então em vez de arrancar um olho de alguém ou um dente, faça o contrário, pois a Lei funciona ainda melhor quando é para o Bem. Mas além de tudo isso, há a Graça, a dimensão onde a Lei não atua por não ser mais necessária, e nesse patamar não importa o que você fez ou sofreu, acabou, se apagou, nunca houve. Busquemos.

Um eu qq

Templo disse...

Obrigado pelo belíssimo comentário!
Realmente... não há muito mais a ser dito.
Sabendo que a Graça existe acima da Lei, vale muito a pena buscá-la.
E para encontrá-la, é necessário ter a convicção de ser merecedor dessa grandiosidade!

Namastê!

Anônimo disse...

Precisei de ler várias vezes.
Muito obrigada pela postagem. Eu precisava bastante (a anos).

Tássio Simões Cardoso disse...


Quando estamos em estado meditativo profundo vivenciamos o poder da Graça, mas quando estamos na égide da mente humana opera-se a lei de causa e efeito. Neste sentido, o ideal é buscar o estado de graça e, ao nível humano, colocar usar À lei do carma em nosso favor e do próximo.