"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

segunda-feira, dezembro 20, 2021

Você pode Mudar sua Vida



"Estou te chamando ao novo. Estou te chamando a transformar. Estou te
chamando à consciência Crística. Estou te chamando à consciência eterna,
mesmo enquanto ainda habitas na forma. Ser ciente ou consciente da
consciência eterna enquanto ainda habitas na forma é ser totalmente
consciente de que tens vida eterna." 

(Um Curso de Amor)

sexta-feira, junho 18, 2021

Um Curso de Amor




Com imensa alegria, quero apresentar a vocês esta Obra-prima brilhante intitulada Um Curso de Amor, que acabou chegar ao Brasil em idioma Português. Bem aqui, diante de você, está uma valiosa oportunidade de ter contato com um dos maiores Ensinamentos Espirituais de todos os tempos sobre iluminação espiritual. Uma Revelação advinda diretamente da Fonte Divina de onde provém toda a Vida e à qual toda a Vida está unida. É um ensinamento de Luz, Alegria, Descanso, Gentileza, Conforto e Amor, que fala diretamente ao nosso coração e nos faz reconhecer a radiante e sagrada Verdade de Quem Nós Somos em unidade.

O estudo desta Escritura Sagrada tem o poder de impactar as profundezas de nosso ser e ocasionar uma majestosa transformação, primeiramente em nosso santuário interior e posteriormente no mundo em que temos a experiência de estar vivendo, até que toda a Vida se torne divina, sagrada, feliz, abençoada, bem-aventurada... uma completa realização do Amor Crístico.

As verdades contidas nesta Obra proporcionam o objetivo da oração que diz:

"Senhor,
Do irreal, conduz-me ao Real,
Das trevas, conduz-me para a Luz,
Da morte, conduz-me à Imortalidade."

Não há muito mais a dizer. Ao estudar este Curso, você estará colhendo de uma fonte de Sabedoria sem igual. Você encontrará respostas para todas as perguntas. E, além das respostas, encontrará a Verdade que o fará ser "Um" com a própria Verdade, um com Cristo, o Filho Amado de Deus que vive aqui e agora debaixo da Graça divina que O permite desfrutar das infinitas bênçãos celestiais.

Este único livro vale por todos os que já foram escritos até hoje.


* Links para acesso a Um Curso de Amor:



- Os primeiros 24 capítulos do livro foram disponibilizados gratuitamente. Você pode acessar o arquivo PDF clicando aqui

* Site oficial do Brasil: https://www.umcursodeamor.org
Grupo Telegram: t.me/umcursodeamor

terça-feira, abril 27, 2021

A Compreensão Absoluta (Wu Hsin)




Acredita-se que Wu Hson viveu entre 403 - 221 a.C, na China, sem anos depois de Confúcio. Seu nome significa literalmente 'não-mente', e quase não há vestígios sobre ele.

“Não se apegue a nenhum método, caminho ou professor.
A corda que te resgata do rio também pode ser usada para te enforcar”.
(Wu Hsin)

“Muitos dias de silêncio são necessários para se recuperar da futilidade das palavras”.
(Wu Hsin)

“Ninguém pode ter o suficiente daquilo que não satisfaz”.
(Wu Hsin)

“A quietude não é a ausência de pensamento. A quietudo é anterior a ambos. A ausência e a presença. Ela não pode ser criada, mas pode ser encontrada”.
(Wu Hsin)
.
.
.

quinta-feira, março 25, 2021

Nova Luz sobre a Lei Cármica (Goldsmith)

- Joel S. Goldsmith - 


Embora o Caminho Infinito lance toda uma nova luz sobre o ensinamento do carma e da lei cármica, poucos estudantes percebem a diferença entre a abordagem tradicional e essa nova luz, a qual ensina que, quando você se eleva além da consciência humana até a consciência espiritual, não há lei cármica, não há lei de causa e efeito, não há lei segundo a qual você colherá o que semeou. Essas são superstições da mente humana, são crenças criadas pelo homem.

A lei de colher aquilo que semeamos, a lei cármica, atua somente no nível humano da consciência. Não existe lei cármica na dimensão espiritual da consciência.

Ora, já vimos a lei cármica ser anulada várias vezes. Toda vez que uma doença infecciosa ou hereditária foi vencida por tratamento metafísico (espiritual), a lei de causa e efeito foi anulada, e assim ficou provado que, na verdade, não existe tal lei. Na consciência espiritual não existe lei de doença, nem lei de causa e efeito, nem lei de colher o que plantamos.

Mas, embora em certa medida todos nós estejamos sob a lei cármica, ela não é o fundamental na minha vida ou na sua, porque, na medida em que a Graça de Deus nos toca, nós nos libertamos dela. Sofremos menos infecções e contágios, menos depressões, menos mudanças negativas no sistema político e econômico. Em certa medida, aqueles que avançaram no desenvolvimento espiritual a ponto de ler este livro (!!!) estão sob a Graça, mas, mesmo que não tenham atingido a plenitude de uma vida pela Graça, cada um deve, a esta altura, saber como vencer os efeitos da lei cármica.

Se alguém nos procura doente por causa da ação de uma lei material de um ou outro tipo - através de pecado, falsos apetites ou falso desejo - a maioria de nós sabe que, quando nos retiramos para o nosso interior e tocamos o Espírito, libertamos aquela pessoa, que é então curado de resfriado, tuberculose ou câncer, de alcoolismo, jogo ou toxicomania, ou mesmo de deformidades físicas.

Sofrer é resultado da violação da lei cármica, e se, através de seu estado iluminado de consciência, você é capaz de libertar uma pessoa, então você anulou a lei cármica. Pela Graça, por ser tocado pelo Espírito de Deus, você afastou aquela pessoa da penalidade da lei. Toda vez que você é um instrumento através do qual ocorre uma cura, toda vez que uma pessoa toca sua consciência e consegue liberdade em alguma medida, toda vez que alguém é curado de doença pela qual sofria por violação da lei, sua percepção da Graça Divina liberta-o dos efeitos da lei cármica. Toda vez que você faz com que o Poder de Deus influencie a experiência de alguém que pecou e, no sentido humano, está sofrendo a punição, ele é libertado dos efeitos de seus próprios pecados pela Graça.

Ao lidar com um paciente, eleve-se muito acima da tentativa de saber se ele está colhendo da carne ou do Espírito.  Na realidade, você precisa deixar seu paciente em paz. Você não pode levá-lo para dentro de seu pensamento. Para você, não deve fazer diferença se está tratando um santo ou um pecador, se está tratando uma pessoa com resfriado ligeiro ou nos últimos estágios do câncer. Você precisa esquecer tudo isso e, em seu interior, elevar-se acima de causa e efeito até alcançar, em seu interior, aquele Reino de Deus. Então o Cristo toma conta e aquele Espírito de deus, o mesmo Espírito que ressuscitou Lázaro dentre os mortos vivificará seu corpo mortal, assim como o de seu paciente ou estudante.

Alguns de nós testemunharam esse Poder da Graça em seu trabalho nas prisões. Vimos prisioneiros sendo punidos por coisas pelas quais humanamente deviam ser punidos, mas, quando algum impulso os levou a procurar Deus, foram beneficiados por livramento condicional, perdoados ou de alguma outra maneira livrados da sentença que lhes pesava sobre os ombros. A lei cármica tê-los-ia mantido sujeitos a seus crimes e, de acordo com a justiça humana, eles teriam cumprido todo o tempo de sua sentença na prisão. Mas não de acordo com a Lei Divina de perdoar setenta vezes sete, de não-condenação. A Graça transcende a lei.

Quando os necessitados o procuram, é fácil ver que a lei de causa e efeito está atuando. Vem então a sua parte de libertá-los e ser libertado. 

Embora, como ser humano, você esteja submetido à lei, após reconhecer que só sofre por causa da aceitação universal da lei cármica, você deixa de lado a lei. Mas como fazer isso? Reconhecendo que a lei de causa e efeito não é poder, somente a Graça é Poder! A lei atua em nível de crença, então a violação da lei também é apenas uma crença.

No momento em que você percebe que vive pela Graça, a tentação de fazer alguma coisa de natureza imprópria - mentir, roubar ou cometer outros crimes - desaparece. Quando você compreende não viver só de pão, por que furtar pão? Quando entende que não vive só por dinheiro, por que ser avaro?  No momento em que percebe que não obtém satisfação  do mundo exterior sob a forma de suprimento, prazer ou companhia, você está sob a Graça e você está livre.

Se mantém alguém sujeito à lei do carma, você também se sujeita. Se o libertar, você também se liberta, porque só existe um 'Eu". O que você faz a outrem volta a você; o pão que lança às águas volta a você. Você sofre apenas porque está se mantendo sob a lei de causa e efeito, mas pode caminhar sobre as águas da vida, na compreensão de que, como Filho de Deus, não está mais sujeito à lei, porque vive sob a Graça. Toda vez que uma discórdia entrar em sua experiência, simplesmente sorria: "sim, isso ainda é uma parte da lei, mas eu estou sob a Graça, e a lei não é poder. Essa lei não prende o Filho de Deus".

"Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida" - "Eu" sou a Lei! Até estar livre em sua verdadeira identidade, haverá leis atuando em você; mas elas não são leis de Deus, são leis criadas pelo homem.


sexta-feira, fevereiro 26, 2021

Deus e o Universo

- Swami Sivananda -


O universo é um mistério. No princípio apenas Brahman, o Absoluto, existia. Antes que esse mundo se projetasse, produziu-se em Brahman uma vibração, um pensamento: “Sou Um, que Eu Me converta em muitos”.

Brahman projetou este universo sem ser afetado de nenhum modo. O Absoluto não é afetado pelo processo do mundo que se produz em seu interior, do mesmo modo que a chuva não molha o céu. Brahman, por meio de seu poder, Shakti, pode adotar todas essas inumeráveis formas. Por Seu mero desejo, pode produzir inumeráveis mundos.

Todo este universo é o corpo de Deus. Este mundo não é um mundo de matéria inerte; há nele uma Presença viva. O Absoluto se manifesta como o universo através das formas distintas.

.

.

quinta-feira, fevereiro 18, 2021

Quando sei Quem Sou


Certa vez, Rama, com um olhar arteiro, perguntou à Hanuman: "Você é um homem ou um macaco?"

Com as mãos unidas e cheio de reverência, Hanuman respondeu: "Senhor, quando eu não sei quem sou, eu sirvo a Ti. Quando eu sei quem sou, eu e você somos Um."




domingo, fevereiro 07, 2021

A Mente e Maya (Ilusão)

- Paramahansa Nithyananda -


Pergunta: Swamiji, nós lemos em muitos livros que nossa mente não é nada além de Maya ou ilusão e que todas nossas perguntas são apenas uma ilusão. Você pode dizer algo a respeito? 

Resposta: (Swamiji ri...) 

A pergunta famosa sobre Maya, mais uma vez!

Veja a primeira coisa: não se confunda com leitura complicada. Segunda coisa: entenda muito claramente que não há nada para ser entendido com a mente.  O mistério da vida não pode ser resolvido com sua mente. Você não pode saber o propósito de sua vida com sua mente. É por isso que eles dizem que sua mente é uma ilusão. O primeiro passo para resolver o mistério da vida é 'livrar-se de sua mente'. 

Se você permitir que sua mente jogue, você continuará jogando, simples assim. vida após vida, você continuará jogando. Sua profunda sede interna permanecerá. Provavelmente seu Ego do buscador ficará satisfeito, mas isso é inútil. No fundo, você só se torna mais confuso. Tente mover seu centro de operação de sua mente para seu coração ou Ser. Se sua mente funcionar como centro, perguntas e mais perguntas surgirão. Com perguntas, você não pode conhecer. É só com consciência que pode se conhecer. Se você operar com seu coração, consciência e entendimento acontecerão em você e então automaticamente suas perguntas começarão a se dissolver.

Como quando o sol nasce, a escuridão simplesmente desaparece, quando a consciência acontece em você, o entendimento acontecerá e suas perguntas se dissolverão. Você começará a entender as coisas antes mesmo de surgirem perguntas! E assim as perguntas se dissolverão. É difícil de entender isto, mas uma vez que você tenha experimentado, saberá exatamente o que eu quero dizer por consciência. As perguntas irão desaparecer e o entendimento continuamente o envolverá. Entendendo apenas isso, você não precisa se preocupar com Maya ou ilusão. Além do entendimento intelectual de minhas palavras, a Meditação pode ajudar a mudar facilmente para esse modo de consciência. 

Podemos falar por horas seguidas sobre Maya e ilusão, mas você só ficará mais confuso. Ao invés disso, vale a pena aprender quais as soluções que nos ajudarão a viver inteligentemente, isso é o bastante. Uma coisa eu quero dizer: Maya ou ilusão é tudo o que sua mente projeta e é por isso que eu digo - simplesmente livre-se de sua mente.

Veja: Como eu disse antes, o êxtase está continuamente acontecendo em nós. Esta é a Verdade básica. Mas nós seguidamente interrompemos o fluxo do êxtase e isto é o que nós vivenciamos na forma de miséria em nossas Vidas. Êxtase não é algo que você precisa adquirir de fora e manter dentro de você. Não! É sua natureza inerente. 

Quando você chega neste mundo, você está em estado de êxtase. Na medida em que a sociedade condiciona você, você se torna um perito em ir tão longe quanto possível desse êxtase e então começa a procurar atingi-lo por meios externos a você.

Quando eu digo êxtase, eu não me refiro à felicidade comum que sentimos em nossas Vidas cotidianas. A felicidade que acontece em nossas Vidas é resultante de algo que ocorre do lado de fora - alguma ocasião feliz, algum benefício material, alguma notícia feliz, algum relacionamento que deu certo ou algo a ver com uma pessoa ou coisa do mundo externo. Este tipo de felicidade é puramente dependente das pessoas e circunstâncias fora de nós. E este tipo de felicidade nos leva à tristeza também, porque as pessoas e circunstâncias continuam mudando. Elas não são as mesmas. O comportamento delas é diferente em momentos diferentes. E quando o comportamento delas muda nossa felicidade também é afetada. A felicidade sobre a qual estamos falando é diferente. É puramente um estado dentro de você que não é de forma alguma afetada por incidentes do mundo externo. É a sua essência, seu estado permanente. 

E quando você tiver encontrado isso, você será uma mera testemunha do que acontece do lado de fora. Você se tornará um observador em êxtase. Você participará completamente de tudo, mas sem perder seu êxtase.


quinta-feira, dezembro 24, 2020

Natal

 - Joel S. Goldsmith -



Uma mensagem de Natal deve ser uma mensagem de paz, em que nossos pensamentos se voltam do conceito de paz que o mundo busca, para a realização da verdadeira paz, “a Minha paz”, que vem assim que os homens se encontram prontos a recebê-la.

O mundo busca uma paz que jamais pode ser encontrada enquanto o senso de paz estiver baseado na cessação de guerra. Esta paz, ainda quando esteja realizada, é temporária, pois está baseada somente em conferências e relacionamentos entre homens e nações. A verdadeira paz é consumada, exclusivamente, quando nos despimos da armadura da carne, no momento em que deixamos de erguer a espada em defesa dos temores e ódios do mundo e cessamos de guerrear com as condições terrenas.

A paz duradoura reina somente quando os relacionamentos entre os homens estão alicerçados na conexão de cada um com Deus. A paz é realizada quando nos encontramos unidos com nossos companheiros através da experiência da vivência de Deus. A paz é alcançada quando contemplamos antes o Filho de Deus governando nossa vida e, em seguida, também a de nosso irmão.

O mundo está procurando a paz “lá fora”, mas ela deve ser encontrada dentro do nosso próprio ser individual, na medida em que hospedamos o Príncipe da Paz. Portanto, deixemos de procurar a paz que “o mundo está buscando” e empenhemo-nos em encontrar “A paz de Deus que ultrapassa todo entendimento humano”. “A Minha Paz vos deixo, a Minha Paz vos dou: não como o mundo vos dá. Que não se turvem vossos corações e nem se receiem”. (Ler Isaías 42: 1-9, em seguida, Isaías 61-62: 1-4 e 62: 12).

As advertências e as promessas do Velho Testamento são muitas vezes mal interpretadas como se fossem dirigidas a algum homem em particular ou a uma determinada raça. Os amigos Hebreus consideravam-se filhos de Deus distintos e favorecidos por Ele; tal má interpretação levou à adoração de certas pessoas chamadas de salvadores, como se fossem, por si mesmas, o Cristo. Isto gerou o sectarismo em determinadas religiões, com limitadas diferenças e inimizades.

Deus não ungiu especificamente um homem ou um povo: Deus tem ungido o Seu Bem-amado, o Cristo. O Cristo é uma entidade espiritual, um impulso espiritual – Um espírito que está no homem. É Ele que, em nós, é abençoado, ungido e sustentado pelo Pai.

Ocasionalmente, este divino Impulso Espiritual - o Cristo -, se manifesta de uma forma mais pronunciada num indivíduo aqui, noutro acolá; porém, Ele existe na consciência de cada um na face do globo terrestre. Chega um período específico na vida de cada indivíduo no qual ele recebe a anunciação espiritual, e então o Cristo é concebido, nutrido e desenvolvido. Num dia de Natal, o Cristo nasce; em outras palavras, a presença do Cristo é realizada dentro do nosso ser.

O nascimento de Cristo não ocorre cronologicamente no dia 25 de dezembro nem em lugares de terras santas, mas ocorre, sim, na consciência elevada do indivíduo. Este estado de consciência elevado é a Cidade Santa – a cidade cuja busca foi esquecida, o lugar de nascimento e o lugar onde habita o Cristo. Onde quer que o Espírito de Deus apareça na consciência humana, todas as bênçãos e profecias em relação aos ricos frutos do Cristo se evidenciam.

Na luz do Cristo o cenário humano se revela como algo fantástico. É somente depois da realização do Cristo em consciência que o sentido profundo da verdadeira humildade é compreendido. Antes desse acontecimento, sempre haverá um sentido pessoal do ego; mas, com o nascimento do Cristo, todo sentido de exibição pessoal, todo desejo de algo ou de alguém e toda a espécie de ambição humana são perdidos. A partir desse ponto de transição em consciência, onde havia necessidades, desejos pessoais ou uma vida incompleta, passa-se a não mais ter uma vida própria para ser plenificada com seus apegos e suas necessidades de êxitos e sucessos. Neste estado de consciência não existe nem mais um senso de necessidade de Deus, porque há a realização de se contemplar Deus agindo através de si. Esta atividade nunca é para benefício pessoal, mas se torna uma bênção para aqueles que ainda não experienciaram a concepção e o nascimento de Cristo dentro do seu próprio ser e, portanto, não realizaram a natureza universal de Cristo.

Elias revelou a natureza do Cristo como sendo a “pequenina e silenciosa voz” que está dentro e ao alcance de cada indivíduo que se torna receptivo a ouvir; Daniel revelou o Cristo como uma “pedra cortada da montanha sem mãos”. Nas palavras de Isaías (42; 2-4): “Não chamará, não se exaltará, nem fará ouvir sua voz na praça. A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega; em verdade, produzirá o juízo”. Quando Cristo Jesus falava daqueles que “tinham olhos, mas não viam”, referia-se a uma capacidade interna que contempla aquilo que jamais os olhos humanos seriam capazes de captar.

A natureza do Cristo é uma atividade espiritual, totalmente sem cumprimento físico, e mesmo assim suficiente para destruir os quatro reinos temporais. As palavras e os pensamentos de Elias, de Daniel, Isaías e outros grandes personagens bíblicos transitam no meu ser e se unem na revelação de uma Essência espiritual única, de uma Presença e de um Poder. Mesclados com estes pensamentos estão também os das crianças que vêm ao mundo com deficiências. Estas crianças, com seus clamores, indagam: “por que isto?, por que eu?, por que comigo?”, e suas vozes penetram a consciência da Terra, e esta não tem resposta aos seus problemas e às suas necessidades de cura. Um clamor semelhante se faz dos povos do mundo inteiro, ansiosos por uma cessação de guerras e esperançosos de uma paz mundial, e a Terra também não tem resposta para eles.

Mas há uma resposta! A resposta é o Cristo! Cristo é a influência espiritual dentro de você, de mim e de todas as almas e corações abertos para a anunciação, para a experiência da concepção e nascimento do Cristo. O Espírito do Senhor Deus Todo-poderoso está sobre o Cristo do seu ser individual e esta suave Presença é manifestada, não pela força e nem pelo poder, mas sim pela unção do próprio Espírito.

É este Cristo a resposta à paz mundial, assim como também é a resposta a todos aqueles pequeninos que clamam por suas heranças divinas de saúde, harmonia e plenitude.

A maior missão do Cristo é curar o mundo, portanto, se torna necessário, para aqueles que sentiram o toque do Cristo para servir, abrir caminho para a atividade do Cristo, que é permear a consciência humana com o conhecimento e o amor do Cristo. A prece é o canal ativo em nossa consciência, que traz a Presença e o Poder de Deus aos afazeres humanos.

Eventualmente você poderá receber pedidos para uma ajuda específica; e, para estar preparado, é preciso aprender a manter a comunhão com o Príncipe da Paz, com nenhum outro propósito a não ser o da própria comunhão com Ele. Você deve reservar períodos todos os dias para a meditação e nesses momentos se isentar de qualquer preocupação com os problemas relacionados com sua própria vida. Sua única razão para meditar deve ser experienciar em consciência a comunhão com Deus.

Nesta comunhão, a atividade de Cristo em você se torna o agente curador por todos aqueles que lhe solicitem ajuda.

Pensem acerca da consciência curadora que pode ser implementada no mundo, quando cada estudante da verdade se conscientizar, em primeiro lugar, que “o único filho bem-amado, que está no âmago do Pai”, é o Cristo do seu ser individual.

Tudo que o Pai tem, está derramado sobre esta Centelha divina, vital, eterna e imortal, e o lugar onde Ele habita é dentro de você, em sua consciência!

Lembre-se sempre de que “onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, aí estarei no meio deles”.

A atividade amorosa do Cristo, em você, é suficiente para derrubar os reinos temporais. Mas, uma coisa é exigida: cada Cristo deve ter o seu Jesus. A criança espiritual deve ter o Seu representante na Terra, e Ela deve ser liberada ao mundo através da conscientização daquelas pessoas que chegaram a realizar o Cristo em si mesmas.

É nossa função recolhermo-nos, diariamente, sem nunca falhar, com o propósito de receber o Príncipe da Paz e, dessa forma, criar-Lhe a possibilidade de atuar em nossos negócios e relacionamentos humanos.

Não é necessário dirigi-Lo ou esclarecê-Lo; a nossa parte consiste em esperar, silenciosamente, sem esforço e sem poder, e deixá-Lo ocupar nossa consciência! Você pode vislumbrar o que acontece quando o Cristo realmente realizado começa a tocar a consciência de todas as pessoas na Terra, removendo delas as causas e os efeitos do erro humano? O Cristo, ao nos tocar a consciência, liberta-nos dos ódios e dos medos do mundo, abençoando assim inúmeras pessoas.

A prece feita dessa forma nos abre à visitação e à comunhão com o Príncipe da Paz, fazendo de nossa consciência a Cidade Santa, onde o Cristo habita, e através da qual Ele acha o caminho de entrada em todas as consciências humanas.

Enquanto a videira recebe a sua substância pelo Pai, cada galho está sendo alimentado. O Santo de Israel, o Espírito de Deus no homem, o Cristo, está sempre presente, porém, disponível somente na medida em que nos abrimos para recebê-Lo, deixando-O em nós habitar. Nosso único propósito, ao entrarmos em comunhão com o Cristo, é o de Lhe propiciar uma entrada ao mundo, para que possam ser demolidas as crenças humanas cristalizadas e ser estabelecido o Reino de Deus sobre a Terra.

Saibamos que não nos cabe um trabalho pessoal, temos somente que nos aquietar e “deixar fluir”. No verdadeiro sentido da humildade, não há um “eu” dirigindo esta atividade; ao contrario, há um sentimento profundo de paz e quietude, onde nos tornamos exclusivamente desejosos de deixar o Cristo se encarregar dos negócios do Pai.

Nunca você ou eu poderemos nos ocupar dos negócios do Pai – somente o Cristo pode executar as funções de Deus sobre a Terra, estabelecendo Seu reino nos corações de todos aqueles que são receptivos e responsivos à Sua presença curadora.

E assim, no dia de Natal, façamos votos de boa sorte ao Príncipe da Paz em Sua jornada de amor nas consciências humanas, de modo que cada indivíduo que tenha seu pensamento e mente, Espírito e Alma, abertos à concepção e nascimento de Cristo, possa conhecer essa Presença amorosa capaz de lançar a paz na Terra e a boa vontade entre os homens.


domingo, novembro 22, 2020

Os Quatro Compromissos: a Sabedoria Tolteca - 11/11

- Don Miguel Ruiz -


O NOVO SONHO: O CÉU NA TERRA


Quero que você esqueça tudo o que aprendeu durante sua vida inteira. Este é o começo de um novo entendimento, de um novo sonho.

O sonho que está vivendo é sua criação. É a sua percepção de realidade que você pode mudar a qualquer momento. Você tem o poder de criar o inferno e o poder de criar o céu. Por quê, então, não sonhar um sonho diferente? Por que não usar sua mente, sua imaginação e suas emoções para sonhar o céu? Use apenas sua imaginação e uma coisa tremenda acontece. Imagine que você tem a habilidade de enxergar o mundo com olhos diferentes, sempre que escolher. A cada vez que você abre os olhos, enxerga o mundo de forma diferente.

Feche os olhos agora, depois abra-os e olhe para fora. O que você vai enxergar é amor saindo das árvores, amor chegando do céu, amor saindo da luz. Você percebe o amor de tudo ao seu redor. Esse é o estado de graça. Você percebe o amor diretamente de tudo, inclusive de você mesmo e dos outros seres humanos. Quando os seres humanos estão tristes ou felizes, por trás desses sentimentos você pode ver que também estão emitindo amor.

Usando sua imaginação e seus novos olhos de percepção, quero que você se enxergue vivendo uma nova vida, um novo sonho, uma vida onde não precisa justificar sua existência e você fica livre para ser quem realmente é.

Imagine que tem permissão para ser feliz e aproveitar sua vida. Sua vida está livre de conflito com você mesmo e com os outros.

Imagine sua vida sem medo de expressar seus sonhos. Você sabe o que quer, o que não quer e quando quer. Está livre para alterar sua vida da forma que sempre desejou. Você não tem medo de pedir o que precisa, de dizer sim ou não para alguma coisa ou alguém.

Imagine-se vivendo sua vida sem o medo de ser julgado pelos outros. não regula mais seu comportamento de acordo com o que os outros possam pensar sobre você. Não tem. necessidade de controlar ninguém, e, em contrapartida, ninguém o controla.

Imagine viver sua vida sem julgar os outros. Você pode perdoar os outros com facilidade e esquecer os julgamentos que possa ter. Não tem a necessidade de estar certo, e não precisa mais tornar todos os outros errados. Você respeita a si mesmo e a todo mundo, que, em troca, também o respeitam.

Imagine a si mesmo sem o medo de amar e não ser amado. Não fica mais com medo de ser rejeitado e não tem a necessidade de ser aceito. Pode dizer: "Eu amo você", sem justificativa ou vergonha. Pode andar pelo mundo com seu coração completamente aberto, sem ter medo de ser ferido.

Imagine viver sem medo de assumir um risco e explorar a vida. Você não ter medo de perder nada. Não tem medo de estar vivo no mundo e não tem medo de morrer.

Imagine que ama a si mesmo da forma que você é. Ama seu corpo da forma que é e ama suas emoções da forma como são. Sabe que é perfeito assim como você é.

O motivo que peço para imaginar essas coisas é porque elas são inteiramente possíveis! Você pode viver em estado de graça, em êxtase, o sonho do céu. Mas, para experimentar esse sonho, você primeiro precisa entender o que é.

Apenas o amor possui a capacidade de coloca-lo nesse estado de êxtase. Estar em êxtase é como amar. Amar é como estar em êxtase. Você flutua nas nuvens. Percebe o amor aonde quer que vá. É inteiramente possível porque outros já o fizeram e eles não são diferentes de você. Vivem em êxtase porque mudaram seus compromissos e sonham um sonho diferente.

Uma vez que você sinta o que significa viver em êxtase, Vai adorar. Saberá que o céu na Terra é verdadeiro ... que o céu existe de liberdade. Uma vez que saiba que o céu existe, uma vez que saiba que é possível ficar, compete a você realizar o esforço necessário para isso. Dois mil anos atrás, Jesus nos falou sobre o reino dos céus, o reino do amor, mas as pessoas não estavam prontas para escutar isso. Disseram: "Sobre o que você está falando? Meu coração está vazio, não sinto esse amor do qual está falando, não tenho a paz que você tem". Você não precisa fazer isso. imagine apenas que essa mensagem de amor seja possível e vai descobrir que ela é sua.

O mundo é muito bonito e maravilhoso. Viver pode ser muito fácil quando o amor é sua forma de vida. Você pode estar cheio de amor o tempo todo. É uma escolha sua. Pode não ter um motivo para amar, mas pode amar, porque amar o toma feliz. O amor em ação só produz felicidade. O amor vai lhe dar paz interior. Irá mudar sua percepção de tudo.

Você pode enxergar tudo com os olhos do amor. Pode ficar consciente do amor que existe ao seu redor. Quando você vive dessa forma, não existe mais nevoeiro em sua mente. O mitote se foi para sempre. Isso é o que os seres humanos procuram há séculos. Por milhares de anos temos procurado a felicidade. A felicidade é o paraíso perdido. Os seres humanos têm trabalhado tanto para alcançar esse ponto, e isso faz parte da  evolução da mente. Este é o futuro da humanidade.

Essa forma de viver é possível e está ao seu alcance. Moisés a chamou de Terra Prometida, Buda a chamou de nirvana, Jesus a chamou de Céu e os toltecas a chamam de Novo Sonho. Infelizmente, sua identidade está misturada ao sonho do planeta. Todas as suas crenças e compromissos estão no nevoeiro. Você sente a presença dos parasitas e acredita ser  você. Isso toma difícil continuar libertar os parasitas e criar espaço interno para experimentar o amor. Você está viciado no Juiz, na Vítima. O sofrimento o faz sentir-se seguro porque você o conhece tão bem.

Mas, na realidade, não existe motivo para sofrer. O único motivo para sofrer é porque você escolhe sofrer. Se olhar para a sua vida, vai encontrar um bocado de desculpas para sofrer. Se examinar sua vida, descobrirá muitas desculpas para sofrer, mas não vai encontrar nenhum bom motivo para sofrer. O mesmo é verdade para a felicidade. O único motivo para  você ser feliz é porque escolheu ser feliz. A felicidade é uma escolha assim como o sofrimento.

Talvez não possamos escapar do destino dos seres humanos, mas temos a opção: sofrer nosso destino ou aproveitar nosso destino. Sofrer ou amar e ser feliz. Viver no inferno ou viver no céu. Minha escolha é viver no céu. Qual é a sua?


terça-feira, novembro 17, 2020

Os Quatro Compromissos: a Sabedoria Tolteca - 10/11


- Don Miguel Ruiz - 


A INICIAÇÃO DOS MORTOS: ABRAÇANDO O ANJO DA MORTE


A forma final de obter liberdade pessoal é preparar a nós mesmos para a iniciação dos mortos, para aceitar a própria morte como professora. O que o anjo da morte pode nos ensinar é como viver de verdade. Tornamo-nos conscientes de que podemos morrer a qualquer instante; só temos o presente para viver. A verdade é que não sabemos se vamos morrer amanhã. Quem sabe? Temos a ideia de que possuímos ainda muitos anos no futuro. Teremos?

Se formos ao hospital e o médico nos disser que temos uma semana de vida, o que faremos nessa semana? Como já dissemos antes, temos duas escolhas. Uma é sofrer porque morreremos e dizer a todos: "Pobre de mim, vou morrer" e realmente criar um grande drama. A outra escolha é usar cada instante para ser feliz, fazer o que realmente gostamos de fazer. Se tivermos apenas uma semana para viver, vamos aproveitar a vida. Vamos ficar vivos. Podemos dizer: "Serei eu mesmo. Não pretendo mais dirigir minha vida tentando agradar aos outros. Não vou mais ficar com medo do que eles possam pensar de mim. O que me importa o que os outros pensam do fato que morrerei em uma semana? Serei eu mesmo".

O anjo da morte pode nos ensinar a viver todos os dias como se fossem o último dia de nossas vidas, como se não existisse o amanhã. Podemos começar cada dia dizendo: "Estou acordado, vejo o sol. Entregarei minha gratidão ao sol, a tudo e a todos, porque ainda estou vivo. Mais um dia para mim".

Essa é a forma como vejo a vida, e foi isso o que o anjo da morte me ensinou - ser completamente aberto para saber que não existe nada a temer. Claro, trato as pessoas que amo com amor, porque esse pode ser o último dia em que terei a chance de dizer a elas quanto as amo. Não sei se vou vê-las outra vez, por isso não quero brigar com elas.

E se eu tivesse uma grande briga com você e lhe despejasse todo o  veneno emocional que tenho, e você morresse amanhã? Opa! Oh, meu Deus, o Juiz iria me pegar de jeito, e eu iria sentir-me culpado por tudo o que disse a você. Iria até mesmo me sentir culpado por não dizer quanto amo você. O amor que me faz feliz é o amor que posso compartilhar com você. Por que eu precisaria negar que amo você? Não é importante que você retribua esse amor. Posso morrer amanhã ou você pode morrer amanhã. O que me torna feliz agora é deixá-lo saber quanto amo você.

Você pode viver assim sua vida. Fazendo isso, prepara-se para a iniciação da morte. O que acontecerá na iniciação da morte é que o velho sonho que você abriga em sua mente vai sumir para sempre. Sim, terá lembranças dos parasitas - do Juiz, da Vítima e das coisas que costumava acreditar, mas eles estarão mortos.

É isso que vai morrer na iniciação da morte: os parasitas.

Não é fácil ir para a iniciação da morte, porque o Juiz e a Vítima lutarão com todas as suas forças. Eles não querem morrer. Sentimos que seremos aqueles que vão morrer e ficamos com medo dessa morte.

Quando vivemos o sonho do planeta, é como se estivéssemos mortos. Quem quer que sobreviva a iniciação dos mortos recebe um presente maravilhoso: a ressurreição. Receber a ressurreição é levantar-se dos mortos, estar vivo, ser nós mesmos outra vez. A ressurreição é ser como uma criança, selvagem e livre mas com uma diferença. A diferença é que temos liberdade com sabedoria em lugar de inocência. Somos capazes de quebrar nossa domesticação, de nos tornar livres outra vez e de curar nossa mente. Rendemo-nos ao anjo da morte, sabendo que os parasitas irão morrer e nós sobreviveremos com uma mente sadia e raciocínio perfeito. Então somos livres para usar nossa própria mente e dirigir nossa vida.

Por isso, na forma tolteca de viver, o anjo da morte nos ensina. O anjo da morte vem até nós e diz: "Você viu que tudo o que existe aqui é meu, não é seu. Sua casa, suas esposa, seus filhos, seu carro, sua carreira, seu dinheiro - tudo é meu e posso tirar quando eu quiser, mas por enquanto pode ir usando".

Se nos rendermos ao anjo da morte, seremos felizes para sempre. Por quê? Porque o anjo da morte leva embora o passado, para que sua vida possa continuar. Para cada momento passado, o anjo da morte continua tirando a parte que está morta e nós continuamos vivendo o presente. Os parasitas querem que continuemos a carregar o passado conosco, e isso torna muito difícil o ato de estar vivo .Quando tentamos viver no passado, como podemos aproveitar o presente? Quando sonhamos com o futuro, por que precisamos carregar o fardo do passado? Quando iremos aprender a viver no presente? Isso é o que o anjo da morte nos ensina.