"MAIOR É O QUE ESTÁ EM VÓS DO QUE O QUE ESTÁ NO MUNDO." (I JOÃO 4:4)

sábado, agosto 31, 2013

Pausa para comentário...

 
- Núcleo -
 
Divinos personagens,

Neste ponto da mensagem de "A Vida Impessoal" está sendo apresentada a chave (que é a chave de percepção). O que se segue é um texto relacionado a este tema (publicado no Nucleu em http://nucleu.com/2012/08/21/nao-julgue/). Após o texto segue-se um comentário elucidativo do divino personagem Paulo. Acompanhem!

Eis a íntegra do texto:

Julgar é perceber mentalmente!
 
O que pensa estar vendo quando julga? Está vendo o resultado do seu julgamento, da sua visão mental. Ou seja, você não saiu dos limites de sua própria mente. Nada “lá fora” foi de fato percebido, porque não há nada “lá fora”! Você está vendo o “universo mental”, uma concepção da própria mente. Não é o universo Real. Não é o “Jissô”; não é o “Reino de Deus”; não é a “Realidade Consciencial”.

“Eu” [sua real identidade] tem mostrado isso a você de diferentes formas, através de muitos mestres, que são divinos personagens que parecem estar “fora” de você. Um deles disse: “O Reino de Deus está dentro de vós.” O que está sendo dito agora é: Não tente ver isso de forma dual, ou seja, não tente ver isso com a percepção que concebe algo como estando “dentro ou fora”. A mente, que vê de forma dual, concebe o tempo assim: O passado está “fora” do presente; e da mesma forma o futuro está “fora” do presente. Então, com essa concepção “o presente” vai ficando sempre “fora”, de instante a instante, porque vai se tornando passado. Mas, a vida está sempre presente, está sempre diante do foco de nossa visão. Vivemos o presente. Memória e Imaginação nos auxiliam nessa percepção do que é nossa vida. Instantaneamente concebemos o momento recente na memória é isso passa a ser o passado; e instantaneamente concebemos o momento próximo na imaginação e isso vem a ser o futuro. Memória e imaginação são concepções mentais. A vida é o presente. Passado e futuro são conceitos que estão em nossa mente, na mente do personagem. Mas não estamos passando por um caminho composto de passado, presente e futuro; nós Somos o próprio Caminho; Somos a própria Vida!

Nós Somos a Verdade. A revelação de Jesus ao dizer: “Eu Sou o caminho, a verdade e a vida”, não foi uma declaração sobre Quem Ele era, mas sim, é uma revelação sobre Quem você É!
 
Cristo não está vivo no passado, não está fora, Ele está Vivo! Está vivo em você! Mas você não pode chegar a Ele, ou seja, não pode percebê-Lo, a não ser por ele mesmo. Não podemos perceber o Cristo em nós a não ser através do próprio Cristo que Vive em nós. E aqui voltamos ao ponto em que foi dito: “Julgar é perceber mentalmente.” O que pensa estar vendo quando julga que o Cristo está no passado, que está “fora”? Está vendo apenas o resultado do seu julgamento, da sua visão mental. Com a percepção mental não chegará “ao Pai”, ou seja, não chegará a perceber Deus. Por isso no Núcleo é dito: “Perceba Quem faz”. Isto quer dizer: “Acesse o Cristo” que vive em você. Acesse esta percepção divina. Não julgue!

Se quiser você pode apenas receber as palavras de Cristo como revelações de sua própria Consciência, sem julgar. Cristo revelou: Eu e o Pai somos Um. Cristo revelou: Eu neles e tu em Mim, para que sejam todos “aperfeiçoados na Unidade”. Não tente julgar uma revelação destas. Apenas aceite “como criança”, com aquele espírito que não julga, apenas desfrute o presente, a revelação que lhe é dada. Num instante qualquer perceberá que isto é verdade; e perceberá que Quem percebe isso em você não é sua mente, é o próprio Cristo em você! E então, por perceber Quem faz, assim como um apóstolo de Cristo você poderá dizer: Vivo, mas já não sou eu Quem vive, é Cristo Quem vive em  Mim.

Namastê.
 
Comentário do Paulo:
 
Caros co-criadores,
 
Verdadeira e precisa e percepção da manifestação do SER que atende por Silvano: a causa primordial de nossa desconexão com a divindade é justamente o julgamento.
 
Apesar de ser algo prejudicial , porquanto embota nossa percepção(nossa ligação com a divindade interna) tem sido por muitos séculos, o aspecto mais evidente em nós personagens; em qualquer situação que estejamos inseridos, o julgamento é sempre a primeira experiência que se apresenta.
 
Isso acontece porque o julgamento é o mecanismo mais eficiente que a mente possui; ela não funciona sem a análise das informações captadas pelos cinco sentidos e uma posterior conclusão. Tal mecanismo é quase que instantâneo.
 
Para nosso alívio contudo, o SER nunca nos deixou desamparados e, através dos tempos, sempre se manifestou de forma mais expressiva, “aparecendo como” personagens despertos, todos eles divulgando a mesma mensagem: o mestre não sou eu mas sim O EU. Foi assim com Pitágoras, Apolônio de Tiana, Simão Magus, Jesus e TODOS seus apóstolos, Buda, Mohamed, Krishna, Rama, Gandhi, Sai Baba e um sem número de outros personagens, talvez não tão famosos, porém igualmente cientes da unidade onipresente. Hoje em dia, vivenciamos um tempo auspicioso: o NÚCLEO, primeiramente através das experiências conscienciais do personagem desperto Silvano, está propagando essa mesma mensagem e tem despertado outros personagens, inclusive este mesmo que vos fala.
 
Auspicioso porque não depende mais de um mestre distante, inacessível e detentor de todos os poderes do universo, mas sim, através de personagens comuns, que vivem o dia-a-dia igual todos os outros personagens, que não descartam a percepção mental e não propõem nenhum dogma ou fórmula mágica para a ascensão espiritual, exceto a insistência em que alguns princípios devem ser não só praticados, mas também preservados, se é que queremos mesmo viver A realidade e não mais o que nosso julgamento nos apresenta.
 
Assim, os princípios de não julgar, de perceber que “EU aparece como”, e de que “O mestre é DEUS”, precisam nortear nossas vidas; não podem ser questionados; não podem ser mudados, não porque seja uma religião com dogmas, mas dado nossa afirmação de que queremos interagir com o SER e não reagir aos personagens (outro ensinamento nuclear), é preciso desligar o automático do julgamento, das percepções puramente mentais, pois caso continuemos nesse automático, não conseguiremos a transcendência que estamos dizendo que queremos.
 
Os ensinamentos do NÚCLEO, como o de todos os “mestres” que caminharam por este mundo, não são teorias idealizadas por um personagem inteligente, mas sim, revelações provenientes de percepções conscienciais profundas; são resultado de interiorização e consequente acesso ao que na Índia é chamado de “registro akáshico”, que nada mais é do que o desvelar do Deus interno, que motiva todas as ações (mais uma revelação  nuclear).
 
Caso nossa real determinação seja esse encontro com a divindade interna, as ferramentas para isso encontram-se nesses princípios, que não são novos, mas que trazem nova roupagem ao “religare”, na medida em que permite a todos, sem exceção de raça, credo, ou dogmas, desvelar esse Deus. Nossa parte, é fazermos a nós mesmos a pergunta: o que realmente você quer?

OM SAI RAM
 
 

sexta-feira, agosto 30, 2013

"A Vida Impessoal" - 5/18



5 - A CHAVE 

158. É possível que tu, todavia, não conheças EU SOU, nem creias, que EU SOU realmente tu, ou que, similarmente, EU SOU teu irmão e irmã, e que todos sois parte de Mim, e Unos Comigo. 

159. É possível que não compreendas que tua Alma, assim como a de teu irmão e de tua irmã única parte real e indestrutível de vosso "eu" mortal, nada mais são do que diferentes fases de Mim, manifestando-se no que é chamado de Natureza. 

160. Da mesma forma, é possível que não compreendas que tu e teus irmãos e irmãs são fases ou atributos de Minha Divina Natureza, exatamente como tua personalidade humana com seu corpo, mente e intelecto mortais é uma fase de tua natureza humana. 

161. Não, ainda não te dás conta de tudo isto, mas Eu te menciono agora, para que, quando começarem a surgir em tua consciência os sinais inequívocos deste Meu Ensinamento, como indubitavelmente acontecerá, possas reconhecê-los.

162. Mas, para que possas reconhecer estes sinais, é necessário que tudo o que segue seja cuidadosamente considerado e estudado e não seja abandonado antes que o que eu quero transmitir seja pelo menos vislumbrado em parte. 
 
163. Uma vez que hajas compreendido plenamente o principio que Eu aqui deixo estabelecido, então toda a Minha Mensagem se tornará clara e compreensível. 
 
164. Primeiramente, dou-te a Chave que desvendará todo o mistério que, agora, te oculta o segredo de Meu Ser. 
 
165. Quando aprenderes a usar esta Chave, ela te abrirá as portas de toda Sabedoria e de todo Poder, no céu e na terra. Sim, abrir-te-á as portas do Reino dos Céus, e, então, nada mais te resta senão entrar, para que te tornes, conscientemente, Uno Comigo. 
 
166. A Chave É: 
 
167. "PENSAR É CRIAR", ou 
 
168. "Como PENSAS em teu CORAÇAO, assim será contigo". 
 
169. Interrompe a leitura um momento, e medita profundamente no que foi dito, para que se te grave firmemente em tua mente. 
 
170. Um Pensador é um Criador. 
 
171. Um Pensador vive no mundo de sua própria criação consciente. 
 
172. Quando souberes COMO "pensar", poderás criar, à vontade, qualquer coisa que desejes, seja ela uma nova personalidade, um novo ambiente, ou um novo mundo. 

173. Vejamos se és capaz de captar algumas das Verdades ocultas e controladas por esta Chave.

174. Já te foi mostrado como toda consciência é Una, como toda ela é Minha Consciência, e, não obstante, é também tua, e, similarmente, é a do animal, da planta, da pedra e da célula invisível. 
 
175. Já percebeste como esta consciência está sob o controle da Minha Vontade, o que faz com que as células invisíveis se unam e formem os diversos organismos para manifestação e uso dos diferentes Centros de Inteligência, através dos quais Eu desejo manifestar-Me. 
 
176. Porém, não podes ainda compreender como poderias tu dirigir, e ter sob teu controle, a consciência das células de teu próprio corpo - para não mencionar as de outros corpos -, não obstante o fato que Eu e eles, sejamos todos UM, em consciência e em inteligência. 
 
177. Se, porém, puseres especial atenção no que segue, poderás agora tornar-te capaz de percebê-lo. 
 
178. Te empenhaste, alguma vez, com afinco no estudo do que é consciência? De como parece ser um estado impessoal de percepção, de expectativa para servir ou de ser dirigido ou utilizado por algum poder latente e intimamente relacionado com ela mesma? 
 
179. De como o homem parece ser simplesmente o tipo mais elevado de um organismo que contém em si esta consciência, que é dirigida e usada por esse poder dentro dela mesma? 
 
180. Que este poder latente na consciência do homem, bem como em toda consciência, nada mais é do que Vontade, Minha Vontade? Posto que já sabes que todo poder nada mais é do que a manifestação de Minha Vontade. 
 
181. Agora bem, já te foi dito que, no princípio, Eu criei o homem à Minha Imagem e Semelhança, e que depois Eu soprei dentro dele o Alento da Vida, e ele tornou-se uma Alma Vivente. 
 
182. Ao criar o homem à Minha Imagem e Semelhança, Eu criei um organismo capaz de expressar toda Minha Consciência e toda Minha Vontade; o que quer dizer, também todo Meu Poder, Minha Inteligência e Meu Amor. Portanto o criei perfeito no princípio, modelando-o segundo a Minha Própria Perfeição.

183. Assim, pois quando soprei Meu Hálito dentro do organismo do homem, ele se tornou um ser vivo COMIGO; foi então que soprei dentro dele Minha Vontade, não do exterior, mas do interior, do Reino dos Céus interno, donde sempre EU SOU (ESTOU). Desde então Eu tenho seguido alentando, vivendo e tendo Meu Ser no interior do homem, pois que o criei à Minha Imagem e Semelhança unicamente para este fim. 
 
184. A prova disto é que o homem não respira e nem pode respirar por si mesmo. Algo muito maior que seu ego consciente, natural, vive em seu corpo e respira através de seus pulmões. Uma potente força dentro de seu corpo é a que usa seus pulmões, da mesma forma como usa o coração para forçar o sangue que contém a vida, que ela instilou através dos pulmões a cada célula do corpo; como usa o o estômago e outros órgãos para digerir e assimilar o alimento que formam o sangue, os tecidos, o cabelo e os ossos; como usa o cérebro para pensar, a língua para falar e as mãos e pés para fazer tudo o que o homem faz. 
 
185. Este poder é Minha Vontade de SER e VIVER no homem. Por conseguinte, tudo o que o homem é, EU SOU; tudo o que o homem faz ou tu fazes, EU SOU Quem o faz, e tudo o que tu dizes ou pensas, SOU EU Quem o diz ou pensa por meio de teu organismo. 
 
186. Também te foi dito que, quando o homem esteve, assim, possuído de Meu Hálito, lhe foi dado domínio sobre todos os reinos da terra. O que quer dizer que o homem foi feito o senhor da terra, dos mares, do ar e dos éteres, que todos os seres que vivem nesses reinos lhe renderam homenagem e ficaram sujeitos à sua vontade. 
 
187. E isto, naturalmente, era assim porque EU, dentro da consciência do homem, como dentro de toda consciência, ESTOU sempre manifestando Minha Vontade; e EU, o senhor e soberano do organismo do homem, SOU também o senhor e soberano de todos os organismos em que a consciência reside. Como toda consciência é Minha Consciência, e habita onde quer que haja vida, e como não há substância na qual não existe vida, se conclui que Minha Consciência necessariamente deve estar em tudo, na terra, na água, no ar e no fogo e deve, portanto, encher todo espaço. De fato, ela é espaço ou o que o homem chama espaço. 
 
188. Segue-se que sendo Minha Vontade, o poder latente em toda consciência, está ela em toda parte. Portanto, a vontade do homem, que nada mais é do que uma focalização da Minha Vontade, deve, da mesma forma abarcar todo o espaço; consequentemente também a consciência de todos os organismos, inclusive o seu próprio, está sujeita à direção e controle do homem.

189. A única coisa necessária é que o homem o perceba conscientemente; que compreenda que Eu o SER impessoal em seu interior, EU SOU (ESTOU) constantemente dirigindo, controlando e usando a consciência de todos os organismos, em cada momento de cada dia de sua vida. 
 
190. EU SOU (ESTOU) fazendo isso com e através de seu pensamento. 
 
191. EU SOU (ESTOU) fazendo isso com e através do organismo humano. O homem crê que ele é quem pensa. Porém SOU EU, o Eu Real dele, que penso através de seu organismo. Através do seu pensamento e de sua palavra falada eu realizo tudo o que o homem faz e faço do homem e seu mundo, tudo o que são. 
 
192. Não importa se o homem e seu mundo não são o que ele supõe que sejam. Eles são exatamente tal como os concebi quando os criei, para cumprir Meu propósito. 
 
193. Ouço-te, porém, dizer que, se sou EU quem realiza o pensar, o homem não pensa e nem pode pensar. 
 
194. Sim, aqui parece existir um enigma, porém, o mistério te será revelado, se observares cuidadosamente o que segue: 

195. Por que EU SOU vai ensinar-te - homem - como pensar.
Cont...
 

quarta-feira, agosto 28, 2013

"A Vida Impessoal" - 4/18



4 - CONSCIÊNCIA, INTELIGÈNCIA, VONTADE 
 
117. Sim, Eu conheço a multidão de pensamentos confusos que vem se aninhando em tua mente, à medida que prossegues lendo - as dúvidas e ansiosas perguntas, o vago temor que, imperceptivelmente, se converteu numa crescente esperança de que este cintilar do Meu Significado, que começou a penetrar na obscuridade de teu intelecto humano, luza com mais brilho, para que assim possas ver claramente a Verdade, que, instintivamente, sentes estar oculta em Minhas Palavras. 
 
118. Novamente, Eu te digo que este EU SOU que aqui fala é teu Verdadeiro Ser, pelo que se faz necessário que, ao leres estas palavras, realizes que és Tu, teu próprio Ser Verdadeiro, quem as está dizendo à tua consciência humana, com o propósito de que ela compreenda plenamente o seu significado. 
 
119. E também repito que este é o mesmo EU SOU que é a Vida e o Espírito que anima todas as coisas vivas no Universo, do mais minúsculo átomo até o maior Sol; que este EU SOU é Inteligência em ti e em teu irmão e tua irmã, e que é similarmente a Inteligência que faz com que tudo viva, cresça e se torne aquilo a que está destinado a ser. 
 
120. Talvez não possas, todavia, compreender como este EU SOU pode a um e mesmo tempo ser o teu EU SOU e o EU SOU de teu irmão, e, igualmente, a Inteligência da pedra, da planta e do animal. 
 
121. Percebe-lo-ás, no entanto, se seguires estas Minhas Palavras e obedeceres às instruções que aqui te dou; pois que cedo farei vir à tua consciência uma Luz que haverá de iluminar os mais recônditos rincões de tua mente, expulsando dela todas as nuvens de errôneos conceitos, ideias e opiniões humanas, que, agora, escurecem teu intelecto, suposto que prossigas lendo e te esforces sinceramente por compreender o Meu Significado. 

122. Assim, pois, escuta atentamente.

123. EU SOU Tu, o Teu Verdadeiro Ser. Tudo o que tu realmente és. Não és aquilo, ou aquele, que pensas ser. Aquilo é só uma ilusão, uma sombra do Real Tu, o qual é EU, teu Ser Imortal e Divino. 
 
124. EU SOU este ponto de consciência focalizado em tua mente humana, que se chama a si mesmo "Eu". EU SOU esse "Eu", mas o que tu chamas tua consciência é, em realidade, Minha consciência, ainda que reduzida em proporção, a fim de adaptar-se à capacidade de tua mente humana: Porém, ainda assim, segue sendo Minha Consciência e, quando puderes expulsar de tua mente todos os falsos conceitos, ideias e opiniões humanos e puderes limpá-la e esvaziá-la totalmente deles, para que Minha consciência possa achar condições propicias para expressar-se livremente, então Me reconhecerás e haverás de compreender que tu nada és, que não passas de um centro focal de Minha consciência, um canal ou veículo pelo qual Eu possa manifestar Meu significado, na matéria. 
 
125. Talvez não possas percebê-lo ainda, e, obviamente só possas crê-lo quando Eu preparar completamente a tua mente, convencendo teu intelecto dessa verdade. 
 
126. Já te foi dito que cada célula de teu corpo tem uma consciência e uma inteligência próprias; e que não fora essa consciência, não poderia levar a cabo o trabalho que tão inteligentemente executa. 
 
127. Cada célula está rodeada de milhões de outras células, cada uma desempenhando inteligentemente seu próprio labor, estando todas controladas, evidentemente, pela consciência coletiva de todas estas células, formando uma inteligência grupal que dirige e controla este trabalho; sendo esta inteligência grupal, em consequência, a inteligência do órgão, que as células que o integram formam. Similarmente, há outras inteligências grupais em outros órgãos, cada uma das quais compreende outros milhões mais de células, e esses órgãos, em conjunto, constituem o teu corpo físico. 
 
128. Agora bem. Tu sabes que Tu és a Inteligência que dirige o trabalho dos órgãos de teu corpo, tanto faz que dita direção seja feita consciente ou inconscientemente; e, também, que cada célula de cada órgão é realmente um centro focal desta Inteligência diretriz; e que quando esta Inteligência é retirada, as células se separam, teu corpo físico morre, não existindo mais como organismo vivo. 

129. Quem é este Tu que dirige e controla as atividades de teus órgãos, e, consequentemente, as de cada uma das células que os compõem?

130. Tu não poderias dizer que é teu "eu" pessoal ou humano, quem leva a cabo tal labor, porque tu, de ti conscientemente não podes controlar a ação de um só órgão de teu corpo. 
 
131. Deve ser, então, este teu EU SOU Impessoal, que és Tu, e que, não obstante, tu não és. 
 
132. Escuta! 
 
133. Tu, o EU SOU de ti és para Mim o que a consciência das células de teu corpo é para a consciência de teu EU SOU. 
 
134. Tu és, como se fosse uma Célula de Meu Corpo, e tua consciência (como uma de Minhas células) é para Mim o que a consciência de uma das células de teu corpo é para Ti. 
 
135. Consequentemente dai se deduz que a consciência da célula de teu corpo é Minha Consciência, tal como Tua consciência é Minha Consciência; por isto, Nós - a célula, Tu e Eu - teremos que ser Uno em consciência. 
 
136. Tu não podes, por ora, dirigir ou controlar, conscientemente, nem uma só das células de teu corpo; mas quando puderes, à vontade, entrar na consciência do teu EU SOU, e conhecer sua identidade Comigo, então poderás controlar, não só cada uma das células de teu corpo, como as de qualquer outro corpo que desejes controlar. 
 
137. Que sucede quando tua Consciência deixa de ter controle sobre as células de teu corpo? O corpo se desintegra, as células se separam, e seu trabalho, por sua vez, se acha terminado. Porém, morrem as células ou perdem sua consciência? Não; simplesmente, dormem ou descansam por certo tempo, e depois desse período, se unem a outras células, formando novas combinações e, cedo ou tarde, tornam a aparecer em outras manifestações de vida - talvez mineral, talvez vegetal, talvez animal; mostrando com isso que ainda conservam sua consciência original, e que só esperam a ação de Minha Vontade para unirem-se em um novo organismo, com o objetivo de executar o labor de nova consciência através da qual Eu desejo manifestar-Me.

138. Aparentemente, a consciência da célula é uma consciência comum a todos os corpos, - mineral, vegetal, animal e humano -, cada célula, adaptada talvez peIa experiência para executar uma certa classe geral de trabalho? 
 
139. Sim, tal consciência da célula é comum às células de todo o corpo, não importa de que classe este seja, porque ela (a consciência da célula) é uma consciência Impessoal, e não tem outra finalidade senão executar o trabalho que lhe for designado. Vive só para trabalhar, onde quer que se a necessite. Quando tiver terminado a criação de uma forma, empreende o labor de construir outra, sob a direção de qualquer consciência à qual EU desejo que sirva. 
 
140. Assim é, igualmente, contigo. 
 
141. Tu, uma das células de Meu Corpo, tens uma consciência que é Minha Consciência, uma inteligência que é Minha Inteligência, e até mesmo uma vontade que é Minha Vontade. Tu não possuis nenhuma delas para ti mesmo ou de ti mesmo. São todas Minhas, e para Meu uso somente. 
 
142. Agora bem. Minha Consciência, Minha Inteligência, e Minha Vontade são completamente Impessoais e por conseguinte são comuns a ti e a todas as células de Meu corpo, assim como também o são todas as células de teu corpo. 
 
143. EU SOU, e, sendo totalmente Impessoal, Minha consciência, Minha inteligência e Minha vontade atuando em ti e nas outras células de Meu Corpo, que constituem o EU SOU de ti e delas, têm que atuar Impessoalmente, assim como operam Impessoalmente nas células de teu corpo. Portanto, EU, e o EU SOU de ti e de teu irmão, assim como a consciência e a inteligência de todas as células de todos os corpos, somos Um. 
 
144. EU SOU a Inteligência diretriz de tudo, o Espírito que anima, a Vida, a Consciência de toda a matéria, de toda Substância. 
 
145. Se puderes compreendê-lo, Tu o Real tu, o Impessoal tu, estás em tudo e és uno com tudo; estás em Mim, és uno Comigo, exatamente como EU SOU (estou) em ti e em todos, por esse meio estou expressando Minha Realidade através de ti e através de todos. 

146. Esta vontade, que chamas a tua vontade, similarmente, não é mais tua pessoalmente, como tampouco são essa consciência e essa inteligência de tua mente, e das células de teu corpo.

147. Essa vontade nada mais é do que uma pequena parcela de Minha Vontade, que Eu permito que uses pessoalmente. Na proporção e na rapidez em que fores despertando para o reconhecimento de um certo poder ou faculdade no teu interior, e comeces a usá-lo conscientemente. Eu te concederei mais o Meu Infinito Poder. 
 
148. Todo o poder e seu uso é proporcional ao reconhecimento e à compreensão do uso de Minha Vontade. 
 
149. Tua vontade e todos os teus poderes são unicamente fases de minha Vontade, que eu proporciono de acordo com a tua capacidade de usá-la. 
 
150. Se eu te delegasse todo o poder de Minha Vontade, antes que soubesses usá-la conscientemente, ela aniquilaria por completo o teu corpo. 
 
151. Por isto é que, para provar tua força, e, na maioria das vezes, para mostrar-te os resultados que o mau uso de Meu Poder, te acarretam, Eu, algumas vezes, permito que cometas um assim, chamado pecado, ou que pratiques um erro. Até mesmo permito que te envaideças com a sensação de Minha Presença em teu interior quando se manifesta como uma consciência de Meu Poder, de Minha Inteligência e de Meu Amor; sim, Eu permito que os tomes e os uses para teus propósitos privados. Porém, não por muito tempo, pois, não sendo tu suficientemente forte para controlá-los, prontamente tomam posse de ti, arrastam-te e te jogam na lama, desaparecendo de tua consciência temporariamente. 
 
152. Porém, sabe que EU SOU (ou estou) sempre presente para erguer-te depois da queda, embora, no momento, tu não o percebas; primeiro, refazendo-te e pondo em ordem teus assuntos, e logo depois fazendo-te prosseguir teu caminho, dando-te a conhecer a causa de tua caída; e, finalmente, quando tenhas te tornado suficientemente humilde, fazendo-te ver que esses poderes que te são outorgados pelo uso consciente de Minha Vontade, de Minha Inteligência e de Meu Amor, te são concedidos exclusivamente para uso em Meu Serviço, de nenhuma maneira para teus próprios fins pessoais. 
 
153. Pensam, acaso, as células de teu corpo, e os músculos de teu braço possuírem uma vontade separada de tua vontade ou uma inteligência separada da tua? 

154. Não, não conhecem outra inteligência que não seja a tua, nem outra vontade senão a tua.

155. Ocorrerá que, decorrido certo tempo, que compreenderás que tu nada mais és do que uma das células de Meu Corpo; e que tua vontade não é tua precisamente, senão Minha; que a consciência e inteligência que possuis são totalmente Minhas; e que tu não és a pessoa que pensas ser, senão que tu, pessoalmente, és simplesmente uma força física com um cérebro humano, que Eu criei com o propósito de manifestar, na matéria, uma Ideia, da qual uma certa fase Eu pude expressar melhor somente nessa forma particular, a tua. 
 
156. Tudo isto pode ser, para ti, difícil de aceitar agora, e pode ser que protestes com toda a veemência, dizendo que isso não pode ser assim, que toda a tua natureza instintiva se rebela contra tal rendição e subordinação de ti mesmo a um poder invisível e desconhecido, mesmo que seja Impessoal e Divino. 

157. Não temas, pois é apenas tua personalidade que assim se rebela. Se continuares a seguir e estudar Minhas Palavras, cedo tudo se fará claro para ti, e por certo Eu farei descortinar à tua compreensão interna muitas Verdades maravilhosas, que por ora te são impossíveis de compreender. Tua Alma se regozijará e entoará alegres louvores e tu abençoarás estas palavras pela mensagem que elas trazem.
Cont...


terça-feira, agosto 27, 2013

"A Vida Impessoal" - 3/18



3 - EU, VIDA, DEUS 
 
92. Se o que acabas de ler despertou em ti uma ressonância íntima, e tua Alma anela saber mais, então estás pronto para o que segue.

93. Porém, se ainda duvidas ou te rebelas contra a Divina Autoridade, à qual se atribui o que aqui está escrito, e teu intelecto te diz que tudo não passa de outra tentativa para seduzir a tua mente com manhosas sugestões e sutis sofisticações, então não haverás de receber benefício algum destas palavras, pois seu significado permanecerá ainda oculto para tua consciência mortal, e Minha Palavra terá de vir a ti através de outros canais de expressão. 
 
94. Está certo se tua personalidade, com seu intelecto, te impede assim a duvidar e a rebelar-te contra uma autoridade que tu, todavia; não sabes ser Minha. Sou EU, realmente, quem obriga a tua personalidade a rebelar-se de tal maneira; pois tua personalidade, com sua orgulhosa sensação de individualidade, ainda é necessária para Mim, a fim de poder desenvolver uma mente e um corpo suficientemente fortes para poderem expressar-Me, com perfeição. E, enquanto não estás preparado para conhecer-Me, é muito natural que tua personalidade assim duvide e se rebele. Porém, uma vez que tenhas reconhecido Minha autoridade, nesse mesmo momento começará o desmoronamento da autoridade de tua personalidade, e, então, os dias de seu domino estarão contados, e cada vez mais recorrerás a Mim em busca de orientação e ajuda. 
 
95. Portanto, não desanimes, e segue lendo; quiçá mais rápido do que esperas, venha a ti o reconhecimento da Verdade. Porém, sabe que podes seguir lendo ou não, como queiras; porém, seja o que for que elejas, sou Eu, realmente, Quem elege, e não tu. 
 
96. Para ti, que crês ser quem decide não seguir lendo, Eu tenho outros planos, e a seu devido tempo saberás que qualquer coisa que faças, gostes ou desejes, isso é, precisamente ao que Eu te guio, fazendo-te passar por todas as mistificações e ilusões da personalidade, para que possas, finalmente, despertar para a irrealidade de tudo isso, e, então, voltar a Mim, como a una-única Realidade. Será então que as seguintes palavras acharão sintonia em teu interior: 
 
97. "Aquieta-te! - e SABE - EU SOU - DEUS". 

98. Sim, EU SOU esta parte mais íntima de ti, que tem sua morada em teu interior, e calmamente espera e vigia, não reconhecendo tempo nem espaço, visto que EU SOU o Eterno e encho todo o espaço.

99. Eu observo e espero que tu termines de vez com tuas mesquinheiras loucuras e debilidades humanas, com teus vãos desejos, ambições e pesares, pois sei que tudo virá a seu tempo: e, então, recorrerás a Mim, cansado, abatido, Vazio e humilde, pedindo-Me que te guie, sem compreender que Eu tenho estado te guiando durante todo esse tempo. 
 
100. Sim, Eu tenho meu assento aqui, em teu interior, e estou tranquilamente esperando que aconteça tudo quanto acabo de dizer; não obstante, enquanto assim espero, Sou Eu, realmente, Quem tem estado dirigindo os teus passos. Quem tem estado inspirando todos os teus pensamentos e ações, utilizando e manejando impessoalmente a cada um deles, sempre com o objetivo de levar-te, a seu devido tempo, assim como Minhas outras expressões humanas, a um reconhecimento final, consciente de Mim . 
 
101. Sim, eu tenho estado sempre no interior, no mais íntimo do teu coração. Eu tenho estado contigo em tudo: Em tuas alegrias, em teus dissabores, em teus êxitos e teus fracassos, em tuas más obras, em tuas vergonhas e em teus crimes contra teu irmão e contra Deus segundo acreditavas. 
 
102. Sim, tanto faz se tu seguiste o caminho reto ou te desviaste ou se retrocedeste, sabe que fui Eu Quem te fez agir assim. 
 
103. Fui Eu Quem te impeliu para a frente graças ao vislumbre que te permiti perceber de Mim, vagamente, à distância. 
 
104. Fui Eu Quem te tentou, por intermédio da visão que de Mim tiveste em algum rosto fascinante, em algum corpo formoso, ou em um intoxicante prazer ou ambição incontrolável. 
 
105. Fui Eu Quem apareceu ante ti com a roupagem do Pecado, da Debilidade, da Voracidade, da Sofistificação, e te arrojou nos braços da Razão, deixando que lutasses dentro de suas garras sombrias até que, despertasses de sua impotência, te erguesses desgostoso, e então, inspirado por uma nova visão, rasgasses a Minha máscara. 
 
106. Sim, Eu Sou a causa original de tudo o que fazes, e, se puderes compreendê-lo, Sou Eu Quem faz tudo o que fazes, assim como tudo o que teu irmão faz, pois aquilo que em ti e nele está, ou é, SOU EU, Meu Ser. 
 
107. Porque EU SOU VIDA.

108. EU SOU o que anima teu corpo, o que faz que tua mente pense e que teu coração palpite. 
 
109. EU SOU o que está no mais íntimo de ti; Sou o Espírito, a Causa animadora do teu ser, de toda a vida, de todas as coisas viventes, tanto visíveis como invisíveis. Não há nada morto, pois EU, o UNO impessoal, SOU tudo o que é, que existe. EU SOU infinito e totalmente ilimitado; o Universo é Meu Corpo; toda Inteligência que existe emana de Minha Mente; todo Amor que existe emana de Meu Coração, e todo Poder que existe nada mais é do que Minha Vontade em ação. 
 
110. A tríplice Força, manifestando-se com toda Sabedoria, todo Amor e todo Poder, ou, se te agrada, como Luz, Calor e Energia, aquilo que sustenta todas as formas, e se oculta atrás de e em todas as manifestações e todas as fases da vida, nada mais é do que a manifestação de Meu Ser no ato ou estado de Ser (Existir). 
 
111. Nada pode existir sem manifestar ou expressar alguma fase de Mim, que não somente SOU o Construtor de todas as formas, como também resido (permaneço) em cada uma delas. No coração de cada uma, Eu tenho minha morada; no coração do ser humano, no coração do animal, no coração da flor, no coração da pedra. No coração de cada um, Eu vivo, Movo-Me e tenho Meu ser, e desde o coração de cada um, Eu faço surgir aquela fase de Mim que desejo expressar, e que no mundo externo se manifesta como uma pedra, uma flor, um animal ou um homem. 
 
112. "Não há então nada mais que este grande EU?" "Não me será dado ter individualidade própria?" é o que ouço que Me perguntas. 
 
113. Não, nada há, absolutamente nada que não seja uma parte de Mim, governada e regida eternamente por Mim, a única Infinita Realidade. 
 
114. E quanto à tua assim chamada individualidade nada mais é senão tua personalidade, que ainda busca manter uma existência separada, 
 
115. Cedo saberás que não há individualidade separada de Minha Individualidade, e que toda personalidade esvanecer-se-á em Minha Divina Impersonalidade.

116. Sim, e rapidamente chegarás a esse estado de despertamento, no qual haverás de perceber um lampejo de Minha Impersonalidade, e então não desejarás ser uma individualidade separada; porque haverás de reconhecer que tudo isso nada é senão mais uma ilusão de tua personalidade.
Cont...


domingo, agosto 25, 2013

Pausa para um comentário...

- Núcleo -
 
 
Divinos personagens, permitam-me participar deste diálogo!

Antes, uma palavra de apresentação...

Quem Eu Sou é Aquele que É. Mas também, Quem todos Somos é Aquele que É. A questão não é Quem Sou ou Quem somos, mas sim, Quem ME vê? E a resposta é esta: Sou Eu! A chave de compreensão aqui é a visão; ou seja, é responder a pergunta: Quem ME vê?
 
A importância de assimilar esta “chave de compreensão” faz com que a experiência humana possa ser vista como “adorável” e não apenas como uma “confusão adorável”.
 
E neste ponto ressalta o ensinamento compartilhado pelo divino personagem Jesus, que assim orou: “Pai, não te peço que os tire do mundo, mas que os livre do mal.”
 
Foi dito que a chave de compreensão aqui é a visão. A “visão equivocada” é a que vê o “mal”.
 
Assim, usando a linguagem do Núcleo, Jesus não pediu que os divinos personagens fossem “tirados da representação” [do mundo], mas, que estivessem livres da “visão equivocada”. Por isso compartilhou Sua visão na forma de Seus ensinamentos e de “percepções conscienciais”, como aquela na qual revelou que: “Antes que Abraão existisse Eu Sou”, querendo dizer que antes que houvesse representação [mundo] e qualquer personagem... Eu Sou, sou o Ser Real.
 
E nesse ponto Jesus dá a “chave de compreensão”, respondendo a pergunta: “Quem ME vê”? Quem crê em mim, crê, não em mim, mas naquele que me enviou. E quem me vê a mim, vê aquele que me enviou. Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. E se alguém ouvir as minhas palavras, e não crer, eu não o julgo; porque eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia. Porque eu não tenho falado de mim mesmo; mas o Pai, que me enviou, ele me deu mandamento sobre o que hei de dizer e sobre o que hei de falar. E sei que o seu mandamento é a vida eterna. Portanto, o que eu falo, falo-o como o Pai mo tem dito. [João 12: 44-50].

Notem a sutil diferença na “visão” de Jesus dos demais “divinos personagens”, quando disse “Antes que Abraão existisse Eu Sou”. Narram as Sagradas Escrituras que aqueles divinos personagens viram Jesus apenas como sendo um homem que ainda não tinha cinquenta anos, e que, assim, não poderia ter conhecido Abraão, que vivera muito tempo antes daquele.
 
Jesus disse: “Abraão, vosso pai, alegrou-se por ver o Meu dia, viu-o e regozijou-se” [Jo 8.56]
 
Notem que a sutileza está no fato de que Jesus está se referindo a uma “visão” de Abraão e não a dele mesmo! Ou seja, Jesus está compartilhando uma visão atemporal de Abraão!
 
Estas “visões atemporais” são exemplos claros de “percepções conscienciais”. Assim, Jesus compartilha uma “percepção consciencial” de Abraão e é rejeitado veementemente por todos aqueles personagens que “pegaram em pedras para atirarem nele, mas Jesus se ocultou e saiu do Templo.” [ Jo 8.59 ]
 
Notem, por fim, que estas “visões atemporais” são compartilháveis por serem o que no Núcleo são chamadas de “percepções conscienciais”, e assim o são em virtude de serem percepções da Consciência [percepções conscienciais] e não percepções da mente de um personagem...
 
Sendo assim, Jesus compartilha a “visão de Abraão” por ser a Sua própria visão, que é a visão dAquele que existe antes que existissem o próprio personagem Jesus e o personagem Abraão!
 
Nosso Amigo, o divino personagem Gugu, se refere ao meu atual “personagem” como sendo o “representante do Núcleo” e observa que “Os ensinamentos do Núcleo apresentam o mesmo estilo da mensagem do livro "A Vida impessoal" que está sendo transcrito. Interessante notar é que as mensagens são idênticas, sendo que o livro foi escrito em 1914. Isso mostra que a Verdade é a mesma sempre, ou seja, é atemporal, pois não muda com o passar do tempo. Aquilo que Joseph Benner captou em 1914 é o mesmo que o representante do Núcleo captou/percebeu nos dias de hoje."
 
Como diria outro nosso Amigo, o divino personagem Paulo, é “mais que isso”! Como este atual personagem desperto todos os “personagens despertos” são conscientes de “Quem faz”, por isso compartilham da mesma visão que Jesus resumiu daquela forma:
 
"Quem crê em mim, crê, não em mim, mas naquele que me enviou. E quem me vê a mim, vê aquele que me enviou. Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas."
 
Para concluir este comentário, assim como foi dito que a chave de compreensão é a visão e que, a “visão equivocada” é a que vê o “mal”; a visão focada no Real é que vê a divindade!
 
A visão “focada no Real” parte sempre do Real... E o “real” é a “visão da Consciência do Ser” e não a “visão da mente do personagem”!
 
A “visão da Consciência do Ser” é a PERCEPÇÃO, que é chamada “percepção consciencial" e a “visão da mente do personagem” é o “pensamento”, que é chamado de “percepção mental’.
 
Por isso no Núcleo é dito: “PERCEBA, desfrute e compartilhe!”, e não: “Pense, analise, julgue... e só então... desfrute e compartilhe”...
 
Isto porque a Percepção está na própria Consciência do Ser [o “reino de Deus” está no Núcleo do seu próprio Ser, que é onde está Deus, o Ser, que só pode ser visto a partir de Si mesmo!] Por isso está escrito que "nenhum homem jamais viu Deus”. O “pensamento” surge na “mente do homem” que sendo “personagem” está inserido em algo que não é real [é “representação”].
 
Assim, é preciso partir da PERCEPÇÃO e não do pensamento... 
 
Por isso é dito: “PERCEBA, desfrute e compartilhe”!
 
Mas não é só!
 
Há uma outra “chave de compreensão” que está condensada num ensinamento compartilhado no Núcleo que diz: “Não há percepção sem ação”!  
 
Os que quiserem “erguer-se do leito dos mortos... e receber a LUZ de Cristo”, ou seja, os que quiserem elevar-se do pensamento à PERCEPÇÃO devem atentar bastante a este ponto!
 
Da forma como é dito que “o mundo é uma representação” e que os “personagens” são apenas isso: personagens, alguns poderão estar concluindo que não há nada que o personagem possa fazer que faça qualquer diferença em suas vidas, e então se tornarem resignados ou fatalistas, partindo do pensamento de que “Deus escreve um texto e o personagem apenas o encena...”
 
Então aqui vai uma chave de compreensão que pode mudar a vida de todos os personagens que derem a ela a devida atenção! Esta chave de compreensão está implícita no ensinamento do Núcleo acima citado, no qual é dito que: “Não há percepção sem ação”!
 
O personagem não pode se iluminar porque “Quem ele É” já é “iluminado”. Isto significa que a real identidade dos personagens é o Ator, que certamente conhece o que vai interpretar e sabe que se trata de uma encenação. Notem bem, o Ator não acredita ou desacredita..., ele “sabe”! Assim como Jesus sabia o papel que veio desempenhar neste mundo... E efetivamente “agiu”, conforme a PERCEPÇÃO que tinha de sua real identidade de Filho de Deus!
 
Agindo, o personagem pode ter na representação a “percepção de Deus”!
Se Deus é AMOR, ele pode ter a percepção de ser o Amor de Deus!
Se Deus é VERDADE, ele pode ter a percepção de ser a Verdade divina!
Se Deus é VIDA, ele pode ter a percepção de ser a Vida de Deus!
Enfim, agindo, ele pode ter a “experiência de Deus”!
 
Portanto, parta da PERCEPÇÃO E AJA!

Justamente porque “Não há percepção sem ação”! Isto é assim porque “perceber consciencialmente” é perceber-Se em Unidade com o Ser! Os que querem ter a percepção e a experiência do que Deus É devem manifestar em atos o que Deus É!
 
Tanto na “representação” quanto na “Realidade” é “sendo” que experimentamos Quem Somos!
 
Atentem bem: Não basta “acreditar”. Para “perceber” é preciso “crer”! O “acreditar” é um tipo de “pensamento”, pelo qual damos crédito, aceitamos como verdadeiro, mas não necessariamente conhecemos o algo ou alguém em quem acreditamos. Se partirmos do “acreditar” em Deus não nos perceberemos em unidade com Deus. O ensinamento compartilhado no Núcleo estabelece esta distinção para enfatizar que é preciso crer para nos percebermos em unidade com Deus; não basta acreditar em Deus, pois, normalmente quem acredita espera... e quem crê age!... Ou seja, quem acredita em Deus espera que Ele faça, e quem crê em Deus faz o que pode fazer... Porque crer em Deus é perceber-se em unidade com Deus, como uma manifestação de Deus; é perceber-se como um instrumento de Deus estando consciente de que é Deus Quem faz!
 
Deus vem a nós sempre que nos dirigimos a Ele!
 
Atentem a este detalhe muito sutil no que se refere a ação: Do ponto de vista do personagem vai parecer que o personagem está agindo e se dirigindo a Deus. Mas, notem! O que em realidade está acontecendo é que Quem está efetivamente desenhando a cena, na qual o personagem está se aproximando de Deus, é em realidade o próprio Deus! Assim, “personagem e Ser” exercem o controle da ação e sempre agem em unidade, ou seja, aquele que se volta para Deus se eleva do pensamento à percepção de que em realidade é o próprio Deus Quem está se voltando para ele e sendo ele! Ou seja, percebe-se em unidade com Quem É. Por outro lado, aquele que “dá as costas para Deus” imerge na representação e permanece nos pensamentos e nas certezas mentais e não se percebe em unidade com Deus. A unidade essencial sempre existe mas nem sempre é percebida, desfrutada e compartilhada!
 
Em síntese, a chave está na visão correta, aquela focada em Deus! É perceber Quem faz! Foque-se em Deus e perceberá que Deus sempre esteve e sempre estará focado em você!
 
Note por fim que a percepção é sempre de um “eu”... resta saber de qual “eu”. O “eu” da mente, da persona, da máscara que vela o ser? Ou o Eu da Consciência [do Ser]?
 
A confusão, ainda que adorável, se desfaz no exato momento em que identificamos a qual destes “eus” se refere a nossa visão!
 
A visão mental “acredita”, e reage de forma inconsciente e condicionada aos personagens e à representação... ao ponto de se perder nela! Tornando assim a experiência algo confuso...
 
A visão consciencial “crê”, e interage de forma consciente e livre com o Ser na representação, que Se manifesta como incontáveis nomes e formas... tornando a experiência algo adorável!
 
Enfim, parta da “percepção” consciente de que Deus é de fato onipresente! Aja em unidade!
 
Por isso Jesus orou assim: “Seja feita a Vossa Vontade assim na terra como no Céu...”

Aqui na terra [que é a representação divina], Ele “agiu efetivamente” como Filho de Deus! E manifestou sua natureza divina em Seus ensinamentos e nas percepções conscienciais que compartilhou.
 
Assim, algumas percepções estão chegando até você e sendo compartilhadas, a fim de que se volte para a realidade do Ser e de Sua real identidade e natureza divinas, e que você perceba e desfrute, para que também queira compartilhar esta adorável visão da divindade com todos!
    
Namastê.



sexta-feira, agosto 23, 2013

"A Vida Impessoal" - 2/18



2 - AQUIETA-TE E SABE 
 
48. Agora, a fim de que possas aprender a conhecer-Me, de tal forma que possas estar seguro de que Sou Eu, teu próprio e verdadeiro Ser, Quem fala estas palavras, deves, primeiramente, aprender a Aquietar-te, isto é, sossegar tua mente e teu corpo humanos, e todas suas atividades, de maneira que não mais estejas consciente deles. 
 
49. É bem possível que ainda não sejas capaz de fazer isto. 
 
50. Porém, Eu te ensinarei como lográ-lo, se é que realmente queres conhecer-Me, e estás desejoso de prová-lo, confiando em Mim e obedecendo-Me em tudo o que desde agora te peça que faças. 
 
51. Escuta! 
 
52. Trata de imaginar o "Eu" que fala através destas páginas como sendo teu Ser Superior ou Divino, que se dirige à tua mente e intelecto humanos e os exorta, os quais deves considerar, no momento, como se fossem uma personalidade separada. Tua mente humana está de tal modo constituída, que não pode aceitar nada que não se ajuste ao que antes já tenha experimentado ou aprendido, e que seu intelecto não considere razoável. Portanto ao dirigir-te a ela, sempre empregarás termos e expressões que mais claramente expliquem a teu intelecto os ensinamentos que necessita compreender, antes que a mente possa despertar à consciência do que queiras dar a entender-lhe. 
 
53. O fato é que este "Eu" és tu mesmo, teu Verdadeiro Ser. Tua mente humana tem estado, até hoje, de tal modo absorvida na tarefa de subministrar a teu intelecto e corpo toda classe de indulgências egoístas, que nunca teve tempo de familiarizar-se com o Teu EU Real, seu verdadeiro Amo e Senhor. Tens estado tão interessado e influenciado pelos prazeres e sofrimentos de teu corpo e intelecto que quase chegaste a crer que Tu és teu corpo e intelecto e, consequentemente, quase te esqueceste de Mim, teu Ser Divino. 
 
54. Porém, sabe que EU não SOU teu intelecto nem teu corpo, e esta Mensagem é para ensinar-te que Tu e Eu somos UM. As palavras que Eu aqui falo são para despertar tua consciência para este grande fato e essa é a tarefa principal destas instruções;

55. Não poderás perceber esta verdade, senão quando conseguires libertar-te da consciência desse corpo e intelecto que por tanto tempo têm te mantido escravizado. Tu deves sentir-Me em teu íntimo, antes de que possas saber que EU SOU (estou) presente. 
 
56. Agora, a fim de conseguires abstrair-te por completo de tua mente e seus pensamentos, e do teu corpo e suas sensações, para que possas sentir-Me em teu interior, faz-se necessário que estudes diligentemente e obedeças a estas Minhas instruções. 
 
57. Senta-te, e permanece quieto, em posição que facilite o desaparecimento de tensão de teu corpo e, quando te sentires completamente tranquilo e descansado, deixa que tua mente penetre no significado destas palavras: 
 
58. "Aquieta-te! – e SABE – EU SOU – Deus".  
 
59. Sem pensar, deixa que esta Minha Divina Ordem penetre nas profundezas de tua Alma. Deixa que, sem esforço ou ingerência alguma de tua parte, entrem livremente em tua mente quaisquer impressões que lhe cheguem. Observa, cuidadosamente, sua importância, porque SOU EU Quem, do íntimo de ti mesmo, estou te instruindo por meio de ditas impressões. Então, quando algo da sua vital significação começar a despontar em tua consciência, fala estas Minhas Palavras, lentamente, imperativamente, dirigindo-as a cada célula de teu corpo, a cada faculdade de tua mente, com todo o poder que conscientemente possuas. 
 
60. "Aquieta-te! - e Sabe - EU SOU - Deus". 
 
61. Pronuncia-as exatamente como estão aqui escritas, tentando compreender que o Deus, que está em ti, ordena e exige de teu ser mortal implícita obediência. 
 
62. Estuda-as e procura descobrir sua oculta potência. 
 
63. Analisa-as, leva-as contigo para o teu trabalho, qualquer que este seja. Faze delas o fator dominante e vital de toda a tua atividade, de todos os teus pensamentos criadores. 

64. Pronuncia-as mil vezes por dia.

65. Até que consigas descobrir todo o Meu mais íntimo significado; 
 
66. Até que cada célula de teu corpo estremeça prazerosamente, e, responda à ordem: "Aquieta-te", e instantaneamente obedeça. 
 
67. E cada pensamento vagabundo rondando tua mente desapareça no nada. 
 
68. Então, à medida que as Palavras ressoem nas profundidades de teu ser, agora vazio; 
 
69. Então, à medida que o Sol do conhecer (Saber) comece a despontar no horizonte de tua consciência, 
 
70. Então, haverás de sentir-te pleno de um maravilhoso e estranho Hálito, enchendo-te dos pés à cabeça, que teus sentidos mal poderão conter pelo estado de êxtase que isso em ti produzirá; então, virá a ti, onda após onda, um enorme e irresistível Poder, que surgindo de teu interior, elevar-te-á, até desprender-te quase da terra; então, sentirás dentro de ti a Glória, a Santidade e a Majestade de Minha Presença; 
 
71. Então, e só então SABERÁS: EU SOU DEUS. 
 
72. TU, quando assim Me hajas sentido em ti mesmo, nesses momentos, quando assim hajas saboreado Meu Poder, escutado com atenção Minha Sabedoria e conhecido o êxtase de Meu Amor todo-envolvente, nenhuma enfermidade poderá tocar-te, nenhuma circunstância te fará fraquejar, nenhum adversário poderá vencer-te. Porque agora tu SABES: EU SOU (ESTOU) no teu interior; e, daí em diante, não terás senão que voltar-te a Mim, em tuas necessidades, pondo toda tua confiança em Mim, e deixando que Eu manifeste Minha vontade. 
 
73. Tu, quando assim te voltares para Mim, encontrarás sempre em Mim um infalível e sempre presente socorro em teus momentos de necessidade; porque, de tal maneira te farei sentir a Realidade de Minha Presença e de Meu Poder, que, para conseguires qualquer coisa de que necessites, te bastará Aquietar-te, deixando que Eu seja Quem faça aquilo que tu queiras fazer, seja para curar teus males ou os de outros, iluminar tua mente, para que possas ver com Meus olhos a Verdade que buscas, ou desempenhar com perfeição as tarefas que antes te pareciam quase impossíveis de serem realizadas.

74. Porém, este Conhecimento, esta Realização, não virão repentinamente. Quiçá não venham em muitos anos. Poderão vir amanhã. 
 
75. Depende exclusivamente de Ti, somente de Ti. 
 
76. Não de tua personalidade, com seus humanos desejos e compreensão humana; 
 
77. Mas do EU SOU de ti , Deus, em teu interior. 
 
78. Quem é que faz com que o casulo se abra em flor? 
 
79. Quem faz com que o pintinho rompa a casca do ovo? 
 
80. Quem determina o dia e a hora? 
 
81. É o ato consciente e natural da Inteligência interna, Minha Inteligência, dirigida por Minha Vontade, frutificando Minha Ideia, expressando-a na flor e no pintinho. 
 
82. Porém, tiveram a flor e o pintinho algo que ver com a manifestação? 
 
83. Não; somente quando submeteram ou unificaram sua vontade à Minha, e permitiram a Mim e Minha Sabedoria, determinar a hora e o ponto de amadurecimento para entrar em ação; e somente quando obedeceram ao impulso de Minha Vontade, para fazer o esforço, puderam eles expressar-se em Nova Vida. 
 
84. Poderás tentar com tua personalidade, milhares e milhares de vezes, romper a casca de tua consciência humana; 

85. Isso só ocorrerá, se vier a acontecer, com o rompimento das portas que Eu coloquei entre o mundo das formas tangíveis e o reino dos sonhos intangíveis; e, aberta a porta, não poderás mais manter os intrusos do lado de fora dos teus domínios privados, senão à custa de grandes dificuldades e sofrimentos.

86. Mas, mesmo por meio de tais sofrimentos, poderás alcançar a força que te falta e a sabedoria de que necessitas, para saber que, enquanto não abandonares todo o desejo de conhecimento, de bondade, sim, de união Comigo, com o propósito de beneficiar-te a ti mesmo, não poderás desabrochar tuas pétalas para mostrar a perfeita Beleza de Minha Natureza Divina, nem desfazer-te da casca de tua personalidade humana e penetrar na gloriosa Luz de Meu Reino Celestial. 
 
87. Portanto, Eu te dou agora estas orientações, no início, para que possas ir aprendendo a maneira de reconhecer-Me. 
 
88. Eu aqui te prometo que se persistires e te esforçares sinceramente em compreender e obedecer Minhas instruções, aqui dadas, muito cedo haverás de conhecer-Me, e te farei compreender todo o conteúdo de Minha Palavra, onde quer que esteja escrita, seja em livros ou ensinamentos, na Natureza ou nos teus semelhantes. 
 
89. Se muito do escrito nestas páginas te parecer contraditório, procura discernir o Meu verdadeiro significado, antes de rejeitá-lo. 
 
90. Não deixes para trás um parágrafo sequer, nem qualquer pensamento nele contido, senão até que se te torne inteiramente claro tudo o que nele Eu quero dar-te a entender. 

91. Deves, porém, ter presente que toda a tua busca e todos os teus esforços devem descansar numa completa fé e confiança em Mim, teu Verdadeiro Ser em teu interior, sem te inquietares pelos resultados; porque os resultados estão sob Meus cuidados e Eu Me encarregarei deles. Tuas dúvidas e tua inquietude nada mais são que aspectos da personalidade, e se deixas que persistam, te conduzirão tão-somente ao fracasso e à desilusão.
Cont...
 
 
 


quinta-feira, agosto 22, 2013

"A Vida Impessoal" - 1/18

 
 
1 - EU SOU 
 
1. A ti que lês, Eu falo. 
 
2. Sim, a ti, que durante tantos anos, em contínuo ir e vir, tens estado ansiosamente procurando em livros e ensinamentos, em filosofias e religiões, algo que não sabias bem o que era: Verdade, Felicidade, Liberdade, Deus. 
 
3. A ti, cuja Alma está cansada e desalentada, e quase destituída de esperança.
 
4. A ti, que muitas vezes lograste perceber um vislumbre dessa "Verdade", para ao final constatar, ao segui-Ia e tentar alcançá-la, que desaparecia no além e não passava de uma miragem do deserto. 
 
5. A ti, que supunhas havê-la encontrado em algum grande instrutor, reconhecido talvez como o chefe de alguma Sociedade, Fraternidade ou Religião, e que a ti pareceu ser um "Mestre", tão maravilhosa era a sabedoria que ensinava e as obras que fazia; para dar-te conta mais tarde de que esse "Mestre" não era senão uma personalidade humana, com suas falhas, debilidades e pecados ocultos, tal como a tua; ainda mesmo que dita personalidade pudesse haver sido um canal através do qual se davam muitos formosos ensinamentos que te pareceram ser a mais alta "Verdade". 
 
6. E aqui estás, Alma necessitada e faminta, sem saber onde nem a quem recorrer. 
 
7. EU SOU quem a ti vem. 
 
8. Similarmente a todos os que tem começado a sentir a presença dessa "Verdade" no íntimo da Alma, e buscam a confirmação daquilo, que, ultimamente, de um modo vago vem lutando por uma expressão viva interior. 
 
9. Sim, EU SOU o que vem agora a todos aqueles que sentem necessidade do verdadeiro "Pão da Vida". 
 
10. Estás tu disposto a participar dele?

11. Se assim é, desperta. Senta-te. Acalma tua mente humana, e segue fielmente Minha palavra, tal como aqui a expresso, pois se assim não fizeres, afastar-te-ás desiludido, uma vez mais, sempre dolorosamente faminto em teu coração. 
 
12. EU! 
 
13. Quem sou EU? 
 
14. Sim. Eu, que falo com tanto conhecimento e autoridade? 
 
15. ESCUTA! 
 
16. EU SOU Tu, essa parte de ti que É e SABE. 
 
17. QUE SABE TODAS AS COISAS. 
 
18. Que sempre soube e sempre tem sido. 
 
19. Sim. EU SOU Tu, Teu próprio SER; o que em ti diz: EU SOU, e que é o EU SOU. 
 
20. Essa parte transcendente, e, ao mesmo tempo, mais profunda de ti, que, a medida em que vai lendo, desperta interiormente e responde a esta Minha Palavra, que percebe a Verdade nela contida; que reconhece a Verdade plena e abandona todo o erro onde quer que o encontre. Não aquela parte que se alimentava do erro por tantos e tantos anos. 
 
21. Porque EU SOU teu verdadeiro Instrutor, o único instrutor verdadeiro que haverás de conhecer e o único MESTRE. 
 
22. Eu, teu SER Divino. 

23. Eu, o teu EU SOU, trago até a ti esta Minha Mensagem, Minha Palavra viva, tal como já tenho trazido para ti tudo na vida, seja um livro ou um "Mestre", para ensinar-te que Eu, EU somente, teu próprio e Verdadeiro Ser, SOU teu Instrutor, o único Mestre e o único Deus, Quem está e sempre tem estado suprindo-te, não só do Pão e Vinho da Vida, senão também de tudo o que é necessário para teu crescimento físico, mental e espiritual, e para teu sustento.

24. Assim, pois, tudo o que sintoniza contigo, a medida em que vás lendo, sabe que é Minha Mensagem falada do teu íntimo a tua consciência humana externa, e vem a ser nada mais do que uma confirmação daquilo que o EU SOU em ti sempre conhecia internamente, mas que não havia ainda traduzido em termos bem definidos e tangíveis a tua consciência externa. 
 
25. Do mesmo modo, tudo aquilo que sempre despertou Teu interesse, oriundo de alguma manifestação externa, nada mais era do que a confirmação de Minha Palavra, já falada em Teu íntimo. A manifestação externa foi o veículo ou o meio mais apropriado de que Eu me vali na ocasião, através do qual Eu pude chegar até tua consciência humana e impressioná-la. 
 
26. Porém não SOU EU tua mente humana, nem seu filho, o intelecto. Estes são apenas a expressão de Teu Ser, tal como tu és a expressão de Meu Ser; não passam de fases de tua personalidade humana, de igual modo como Tu és uma fase de Minha Divina Impersonalidade. 
 
27. Pesa e estuda cuidadosamente estas palavras. 
 
28. Ergue-te e liberta-te agora e para sempre da dominação de tua personalidade, cuja mente e intelecto tendem a glorificar-se e envaidecer-se. 
 
29. Para que Minha Palavra penetre até a consciência de Tua Alma, tua mente, daqui por diante, deve ser Tua servidora, e teu intelecto, Teu Escravo. 
 
30. EU SOU quem vem agora, à consciência de tua Alma, A qual EU despertei expressamente, a fim de que se prepare para receber Minha Palavra. 
 
31. Assim, pois, se te sentes suficientemente forte para suportá-lo; 
 
32. Se és capaz de deixar de lado todas as tuas fantasias, crenças e opiniões íntimas pessoais, que nada mais são do que as sobras que juntaste dos detritos dos monturos de lixo alheio; 
 
33. Se te sentes suficientemente forte para lançar tudo fora; 
 
34. Então, Minha Palavra haverá de ser para ti um manancial inesgotável de Alegria e Bênção.

35. Deves estar preparado para a dúvida que tua personalidade suscitará, de Minha Palavra, à medida em que a fores lendo nestas páginas. 
 
36. Porque ela sabe muito bem que, se abrires teu coração à minha Palavra e lhe deres morada para sempre, doravante sua vida passará a ser ameaçada, pois ela sabe que não poderá por mais tempo viver ou se desenvolver, nem mais dominar teus pensamentos, teus sentimentos, nem nenhuma de tuas atividades, tal como vem fazendo desde longo tempo. 
 
37. Sim, EU SOU quem vem a ti agora. 
 
38. Para fazer-te consciente de Minha Presença; 
 
39. Porque, sabe, que Eu também preparei tua mente humana, de maneira que ela possa, até certo grau, compreender o que EU significo. 
 
40. Tenho estado contigo sempre, porém tu não o sabias. 
 
41. Tenho te conduzido intencionalmente por todo o Deserto de livros e ensinamentos, de religiões e filosofias, mantendo sempre, ante os olhos de tua Alma, a visão da Terra Prometida. 
 
42. Sim, alimentando-te com o maná do Deserto, para que pudesses lembrar-te, valorizar e desejar com veemência o Pão do Espírito. 
 
43. E agora, Eu te trouxe até o Rio Jordão, que te separa de tua Divina herança. 
 
44. É chegado agora o momento para que tu, conscientemente, Me conheças; é chegado o tempo para que cruzes o rio e entres na Canaã, a Terra do Leite e Mel. 
 
45. Estás pronto? 
 
46. Queres ir? 
 
47. Se é assim, segue esta Minha Palavra, que é a Arca de Minha Aliança, e passarás a pé enxuto.
 
Cont...
 
 
 

terça-feira, agosto 20, 2013

"A Vida Impessoal" - Introdução



Caros amigo leitores,

Venho convidá-los a fazer um trabalho de pura percepção consciencial que será realizado aqui no blog. Durante os próximos trinta dias estarei expondo na íntegra a mensagem divina contida num livro que há pouco tempo chegou em minhas mãos. O livro apresenta um conteúdo profundo, muito valioso, e que nos possibilitará realizar um grande trabalho de meditação, conscientização e percepção. Este será um trabalho muito especial. Tenho recebido mensagens com perguntas, comentários e elogios referente aos textos ultimamente postados, especialmente os do Núcleo. Textos que, por apresentarem uma linguagem fácil, leve e compreensível, têm a capacidade de aprofundar as nossas percepções acerca do Eu Real, o Ser único, universal, impessoal, que vive e Se manifesta em cada um de nós.

O trabalho que iniciaremos a partir de hoje dará continuidade a esse importante aprofundamento da percepção da Consciência. Por isso, mais do que nunca, convido todos os leitores a acompanharem com atenção – e de perto – as próximas 18 postagens. Os que levarem este convite a sério darão passos importantes no sentido de transcender a percepção da mente do personagem (percepção mental) e obter grandes  resultados/avanços/benefícios no aprofundamento da percepção consciencial. Aqueles que perseverarem até o fim deste trabalho, seguindo todas as instruções contidas na mensagem do livro, ao final de um mês sentirá grande diferença em seu estado de consciência. Trata-se de algo que realmente valerá a pena empreender.

Aproveito para agradecer a visita e a presença de todos vocês que acessam este blog, no intuito de buscar cada vez mais o aprimoramento espiritual.
 
Iniciaremos a exposição do livro – "A Vida Impessoal", escrito pelo Ser através de Joseph S. Benner – a partir da próxima postagem. Fiquemos, por enquanto, com as palavras que foram escritas na forma de abertura e introdução:
 
Deus Querido:
 
Tu que proves tudo, Tu que és o meu Inesgotável Suprimento, minha Suficiência em todas as coisas.
 
Por esta convenho Contigo dedicar minha vida e tudo o que Tu me deste, a Teu serviço; trabalhar, de agora em diante, tão só para Ti, deixando que Tu me guies e me orientes em todas as coisas.
 
Em retorno eu só Te peço Sabedoria e Compreensão, para poder sempre conhecer Tua Vontade e Teu Significado quando Tu Falas; também Te peço Força para jamais duvidar de Teu Infalível Sustento e Provisão.
 
Amado Pai:
 
Tu implantaste em meu coração um grande desejo de entregar ao mundo a Mensagem de "A Vida Impessoal". Eu sei que tal é Teu desejo, e que Tu escolheste a mim como o canal através do qual Tu queres manifestá-la.
 
Agora Te peço que afastes de mim tudo quanto impeça a manifestação externa deste Desejo, e que agora me proporciones os meios necessários para dar perfeita expressão a "Vida Impessoal’, tanto em minha própria vida, como para os milhões de meus semelhantes, na forma em que Tu me o hás mostrado.
 
Como Tu me concedeste o privilégio de ser o agente pelo qual se dará ao mundo este novo procedimento, Te peço também, que Tu me guies em todos os meus caminhos que visam esta finalidade para que deem os maiores resultados possíveis para Teu Trabalho.
 
Este é Teu Trabalho, Tua Ideia, Teu Desejo. Faz Tu, Oh Senhor! Que, através de mim, prontamente ocorra que Tua Vontade seja feita na Terra.
 
Como já é feita no Céu.
 
Em Nome de Cristo, eu o peço.
 
JOSEPH S. BENNER